Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Festival com temática LGBT vai ganhar a tela do Cinema São Luiz

Quarta edição do Recifest começa na próxima terça-feira, 15 de novembro, com incentivo do Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura

*com informações da Assessoria

Still/Divinas Divas

Still/Divinas Divas

‘Divinas Divas’, documentário de Leandra Leal, vai estrear no festival

Saiu a programação completa do  Recifest – Festival da Diversidade Sexual e de Gênero, evento dedicado à temática LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros). A programação gratuita começa no dia 15 de novembro, tomando a tela do Cinema São Luiz. Até o dia 19/11, vinte e sete filmes, além de lançamentos de livros, performances, debates e apresentações de teatro e dança vão envolver o público. O festival conta com incentivo do Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura.

Entre os destaques da programação está o documentário Divinas Divas, de Leandra Leal,  uma homenagem à primeira geração de artistas travestis que fizeram sucesso e história quebrando padrões de gênero e sexualidade na sociedade brasileira. Entre as entrevistadas do longa estão Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Eloína dos Leopardos, Fujika de Halliday, Marquesa e Brigitte Búzios.

O festival também faz a estreia de Amores Santos, de Dener Giovani, sobre a relação de líderes religiosos com homens gays através da internet. O longa escancara o discurso de ódio e homofobia desses clérigos em contraposição ao sexo virtual. Além dos longas o festival ainda apresenta as mostras competitivas nacional e pernambucana, além de programas de curtas internacional e de animação, fora de competição.

Still/Amores Santos

Still/Amores Santos

O longa ‘Amores Santos’ será exibido na terça, 15/11

A curadoria das mostras competitivas é do doutor em Estudos Cinematográficos e crítico, Alexandre Figueirôa e da Mestre em Gestão Pública e documentarista Clara Angélica. O diretor e curador do Rio Festival de Gênero & Sexualidade Alexander Mello é o curador da sessão de curtas internacionais e de animação. Os homenageados desta edição são a diva da Praça Roosevelt, Phedra de Córdoba, e o crítico de cinema Christian Petterman – falecidos no começo deste ano.

Antes das apresentações dos filmes o festival apresentará performances que dialogam com a temática LGBT. No mezzanino do cinema, os estilistas pernambucanos Chico Marinho e André Aguiar estarão expondo e vendendo suas criações.

Destaques 

Os trabalhos iniciam na terça-feira, 15 de novembro, com o lançamento do livro Homoafetividade e as Religiões: Educando Pela Diversidade, de Jorge Arruda, às 18h. Uma hora depois é a vez de realizar a lavagem da calçada do cinema São Luiz. A abertura acontece às 19h30, com o filme “Amores Santos”, de Dener Giovanini, que será precedido de apresentação pocket do espetáculo Ossos, de Marcelino Freire, pelo Coletivo Angu de Teatro.

Esta primeira noite será apresentada por Fabiana Melo Oliveira, assessora parlamentar, estudante de psicologia e militante da Amotrans – Articulação e Movimento para Travestis e Transexuais de Pernambuco. Após a exibição haverá debate com o diretor do longa.

Na quarta-feira, 16/11, o IV Recifest começa com o lançamento do livro Cinema Noir. A sombra como experiência estética e narrativa”, de Bertrand Lira, seguida da apresentação musical “#acordefrida: sapatômico”, com Madalena Rodrigues e Juliane Pires. Após isso, serão apresentados os curtas internacionais em parceria com a Div.a – Diversidade em Animação. A apresentação deste segundo dia será de Robeyoncé Lima, formada em Direito pela UFPE e primeira mulher trans aprovada no exame da OAB-PE.

Na quinta-feira, 17/11, a programação começa às 18h30 com o lançamento dos livros Gays, lésbicas e travestis em foco: sobre sociabilidade e acesso à educação e saúde e HIV e Aids: Desafios rumo a 2030, organizados por Luís Felipe Rios, Luciana Fontes e Tacinara de Queiroz. Na sequência, será realizada apresentação de dança, com o espetáculo ämämä mämäm, do bailarino André Aguiar, às 19h30. Em seguida o público participa de um debate com a mulher travesti Maria Clara de Sena, que conquistou o Prêmio “Claudia 2016” na categoria Políticas Públicas, se tornando a primeira travesti a receber esse reconhecimento, criado há 21 anos. Na continuidade haverá a mostra competitiva pernambucana.

Na sexta-feira, 18/11, a abertura será realizada com a exibição do vídeo sobre o sr. Avelino Fortuna, pai do jovem jornalista e árbitro de futebol, Lucas Fortuna, que, aos 28 anos, foi assassinado cruelmente. O corpo foi encontrado boiando na Praia de Calhetas, em Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco. Desde o acontecimento, Avelino apoia pais e mães que não sabem lidar com a orientação sexual e afetiva dos filhos gays, lésbicas e bissexuais, bem como com as identidades de gênero trans. Essa roda de apoio coletiva é um projeto do grupo Mães pela Diversidade, que Avelino faz parte. A noite será apresentada por Maria Daniela Mendonça Silveira – mulher transexual, lésbica, engenheira agrônoma, funcionária pública. Na sequência haverá a mostra competitiva nacional, seguida de conversa com os diretores.

Encerramento

No sábado, 19/11, a noite de encerramento começa com apresentação do Projeto margem, de Giu Nonato, travesti paulistana de 22 anos. Giu trabalha com projetos de fotografia e cinema mobile (feitos com smartphone) e está escrevendo o primeiro livro. Na sequência a Comissão Julgadora e a Fepec – Federação Pernambucana de Cineclubes – anunciarão os filmes premiados e a noite encerra com o documentário musical Divina Divas, que tem direção de Leandra Leal.

No doc, Leandra Leal, propõe a compreensão das vidas de divas brasileiras como obras de arte, mas também como também ato político no Brasil de ontem e de hoje. Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Eloína dos Leopardos, Fujika de Halliday, Marquesa e Brigitte Búzios são ícones da primeira geração de artistas travestis do Brasil que são entrevistadas no longa.

Still/Quarto

Still/Quarto

O curta “Quarto Para Alugar” é um dos filmes da mostra competitiva pernambucana

Serviço

Recifest – IV Festival da Diversidade Sexual e de Gênero
Quando: 15 a 19 de novembro
Onde: Cinema São Luiz, Rua da Aurora, Rua da Aurora, 175, Boa Vista, Recife
Entrada: Gratuita
Horário: A partir das 19h
https://www.facebook.com/Recifest
http://recifest.com/

VEJA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

TERÇA, 15/11
18h – Lançamento do livro: “Homoafetividade e as religiões: Educando pela Diversidade”, de Jorge Arruda
19h – Lavagem da calçada do São Luiz
19h30 – Abertura: Teatro: Fragmento do espetáculo “Ossos”, de Marcelino Freire, pelo Angu de Teatro + Longa: Amores Santos, de Dener Giovani

QUARTA – 16/11
18h- Lançamento do livro: Cinema Noir: A Sombra como experiência estética e narrativa, de Bertrand Lira
19h30 – Abertura Música: Espetáculo “#acordefrida: sapatômico”, de Madalena Rodrigues e Juliana Pires + Mostras curtas internacionais e Div.A

QUINTA – 17/11
19H30 – Abertura: Dança – espetáculo “ämämä mämäm, de André Aguiar + Mostra competitiva pernambucana

SEXTA – 18/11
19H30 – Abertura: Representatividade – Vídeo sobre Sr. Avelino Fortuna, do Mães pela Diversidade + Mostra competitiva nacional

SÁBADO – 19/11
19h30 – Abertura: Audiovisual – Projeto Margem, de Gui Nonato + Divinas Divas, de Leandra Leal

Seleção de curtas internacionais + Div.A
- A Night in Tokoriki, de Roxana Stroe (Romênia)
- The Wayward Carnality, de Joanna Maria Wókcik (Polônia)
- Lucid Noon, Sunset Blush, de Alia Logout (EUA)
- Elise, de Evan Sterrett e Jo Bradlee (EUA)
- Máscaras, de David San Juan (Bélgica)
- Float, de Sam Berliner (EUA)
- All Their Shades, de Chloé Allienz (Bélgica)

Mostra competitiva pernambucana
- Quarto para alugar, de Enock Carvalho e Matheus Farias
- Faz que vai, de Bárbara Wagner e Benjamim de Burca
- Um brinde, de João Vigo
- Angu.doc, de André Brasileiro e Vinícius Vieira
- Irma – Era uma vez no sertão, de Camilla Lapa e Lorena Arouche
- Nena cajuína, de Almir Guilhermino
- Milagres, de Adalberto Oliveira
- Transexualidade masculina, de Lucio Souza, Emannuel Nascimento, Bianca Pereira e Giselle Cahú.

Mostra competitiva nacional
- Canto da sombra, de Thiago Kistenmacker (RJ)
- Ingrid, de Maick Hannder (RJ)
- O chá do general, de Bob Yang (SP)
- Rosinha, de Gui Campos (DF)
- Se o mundo acabar, me dê um toque (SP/Bélgica)
- Horizonte de eventos, de Gil Baroni (PR)
- Lovedoll, de Debora Zanatta e Estevan de La Fuente (PR)
- Onde é aqui, de Mateus Capelo (SP)
- Aquela estrada, de Rafael Ramos (AM)
- Antes da encanteria, de Elena Meirelles, Gabriela Pessoa, Jorge Polo, Lívia de Paiva e Paulo Victor Soares (CE).

Longas
- Amores Santos, de Dener Giovani
- Divinas Divas, de Leandra Leal

< voltar para home