Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Funcultura da Música incentivou, nos últimos anos, mais de 40 discos de artistas pernambucanos

Vários destes álbuns ou canções estão disponíveis para audição em plataformas de streaming como o Spotify

Jan Ribeiro/Secult-PE

Jan Ribeiro/Secult-PE

Formada por vários músicos da nova cena pernambucana, a Orquestra Malassombro teve a gravação de seu disco contemplada no 3º Funcultura da Música

Nos últimos três anos, por meio dos editais do Funcultura da Música, foram aprovados, anualmente, uma média de cinquenta projetos culturais. Além dos videoclipes, festivais, ocupação de espaços, de circulação, pesquisa e capacitação, vários destes projetos incentivados pelo Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Cultura (Secult-PE) e Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), envolveram a gravação de discos de artistas pernambucanos que puderam produzir seus trabalhos autorais.

Ao todo, foram mais de 40 discos produzidos, e vários destes álbuns ou canções estão disponíveis para audição em plataformas de streaming como o Spotify. Uma playlist produzida pelo Cultura.PE pode ser uma opção de lazer em casa, neste período de quarentena, em cumprimento ao Decreto nº 48.832, com recomendações do Governo de Pernambuco para enfrentamento do coronavírus (COVID-19).

Até 2016, os projetos culturais na área da música ainda eram incentivados pelo Funcultura Geral. Atendendo a uma demanda da sociedade e da classe artística do estado, o Governo de Pernambuco decidiu naquele ano criar um edital específico que contempasse a realidade do mercado da música a nível estadual.

“Foi uma grande conquista para o setor da música de Pernambuco um edital específico do Funcultura, que está no seu quarto ano. Com ele, temos um orçamento maior, quase o dobro do que era disponibilizado no Funcultura Geral. Ganhamos também um novo formato na questão da análise dos projetos, e a defesa oral dos projetos habilitados, auxiliando os pareceristas a definirem as iniciativas a serem selecionadas”, destaca Andreza Portella, coordenadora de Música da Secult-PE.

Segundo Andreza Portella, a categoria de gravação de disco é uma das que tem um dos maiores orçamentos. “É também uma das mais demandadas, com o maior número de inscritos nessa categoria, o que ressalta a importância do CD para os artistas no mercado fonográfico. Lembrando que a categoria de gravação não é só para disco físico, como EP, LP e DVD, mas também em formato digital”, explica a coordenadora de Música da Secult-PE.

No 3º edital do Funcultura da Música (2018/2019), 12 artistas foram contemplados e puderam lançar seus trabalhos autorais, músicos pernambucanos como Hugo Lins, Mestre Bi e Ciranda Bela Rosa, e a Orquestra Malassombro, entre outros.

Já na segunda edição do Funcultura da Música (2017/2018), foram aprovados 15 projetos de gravação de disco, envolvendo nomes como Tonfil, Mestre Zé Negão e Mestre Santino Cirandeiro, além de várias compilações como os álbuns “Samba de Erasto” (com canções de Erasto Vasconcelos), e “O que é que o Araripe tem” (apresentando vários forrozeiros do sertão pernambucano).

Branco Produções/Divulgação

Branco Produções/Divulgação

Thiago Martins foi um dos artistas pernambucanos que produziu seu disco autoral (Martins) com incentivo do Funcultura

Lançado em 2016, o primeiro edital do Funcultura da Música (2016/2017) teve 19 gravações de CDs aprovadas, revelando o trabalho autoral de artistas como Thiago Martins, Cosmo Grão e Alexandre Revoredo.

Primeiro artista do Agreste a aprovar um projeto de gravação de disco no Funcultura, Alexandre Revoredo lançou seu disco “Revoredo” na última sexta-feira (27). De acordo com o músico, o Fundo de Incentivo à Cultura deu a ele a possibilidade de fazer um disco de uma forma mais profissional.

“Pude contratar uma equipe de assessoria de imprensa, design, fotografia, de impressão de discos, e ficou um trabalho muito primoroso, além de poder pagar alguns músicos, estúdios e produtores envolvidos no projeto. Sem o Funcultura, eu teria lançado, em 2016, um EP digital com quatro canções, e não um álbum produzido dessa forma mais elaborada e com as participações que eu queria que estivessem comigo”, disse o artista.

Breno César/Divulgação

Breno César/Divulgação

Na última sexta-feira (27) o músico Alexandre Revoredo também lançou um disco incentivado pelo Funcultura

4º Funcultura da MúsicaAs inscrições para o Funcultura da Música 2019/2020 foram prorrogadas para o período de 15 a 29 de junho de 2020. Serão investidos R$ 4,16 milhões em projetos de música, o que garante o desenvolvimento da cadeia produtiva da música em suas diversas áreas. Clique aqui e confira o edital e seus anexos.

Os recursos são distribuídos em nove categorias: Circulação; Festivais; Gravação; Produtos e Conteúdos; Economia da Cultura; Difusão Da Rede de Equipamentos do Estado, Geridos pela Secult/Fundarpe; Manutenção de Escolas de Bandas de Música e Corais; Formação e Capacitação; e Pesquisa.

A Unidade de Atendimento ao Produtor Cultural funcionará, durante o Decreto nº 48.832,  por meio do e-mail atendimentosic@fundarpe.pe.gov.br, e pelos números (81) 9.8327.0979 e (81) 3184.3026, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h, e das 13h às 17h.

< voltar para home