Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Intercâmbio leva pesquisadora pernambucana ao Festival Del Caribe, em Cuba

Com incentivo do Funcultura, Mery Lemos foi conferir de perto como é a produção de um dos mais importantes festivais de música latina, realizado de 3 a 9 de julho

Jedson Nobre

Jedson Nobre

Através de um blog, Mery Lemos vem detalhando, numa espécie de diário de bordo, a pesquisa e a sua viagem em solo cubano

Por Marcus Iglesias

A produtora pernambucana Mery Lemos está em Cuba para conferir de perto como é a produção de um dos mais importantes festivais de música latina, o Festival Del Caribe – realizado de 3 a 9 de julho. O intercâmbio faz parte de um projeto de pesquisa incentivado pelo Governo de Pernambuco, através do Funcultura.

O Festival Del Caribe reúne uma variedade de performances, exposições, oficinas e atividades de rua, celebrando a cultura cubana durante a programação. Através de um blog, Mery Lemos vem detalhando, numa espécie de diário de bordo, a pesquisa e a sua viagem em solo cubano através de fotos, vídeos e depoimentos dos processos de pré-produção e realização do evento.

Um dos encontros já registrados durante a viagem foi com o Quarteto JJ Son, de Santiago. “Quem me conhece um pouco sabe do meu apreço pelos ritmos latinos, em especial pelo bolero. Eles são um dos principais grupos de música popular e tradicional cubana, cantam o amor e embalam a história. Viajam por ritmos como son (salsa cubana), cumbias, guarachas, bachatas, afro cubano, trova e bolero cha”, explica a produtora.

Divulgação

Divulgação

Um dos encontros já registrados por Mery Lemos durante a sua viagem por Cuba foi com o Quarteto JJ Son, de Santiago

“Sua formação anterior era de um trio, agora incrementado pela maravilhosa presença de Idalvelis Lois que canta e toca Maracas. As cordas ficam sob o comando de José Ángel (violão e voz) e Ángel Días (três cubano) e na cozinha temos a graça e simpatia percussiva de Jorge Ferrer (bongô e cobel)”, reforça ela.

Esta será a segunda vez que Mery Lemos participa do festival em Cuba, mas a primeira com o olhar de pesquisadora e produtora. Segundo ela, “a ideia da pesquisa é observar, estudar e buscar novos modelos de realizar eventos culturais, bem como compartilhar esse conhecimento com a cadeia cultural pernambucana. Com os orçamentos cada vez mais enxutos, é importante buscar novos modelos de promover cultura e, quem sabe, criar uma nova forma de valorizar e apresentar os artistas pernambucanos”.

A Casa del Caribe é uma instituição do estado Cubano que pertence ao ministério da Cultura e a Direção Províncial de Cultura de Santiago de Cuba, e tem como principal objetivo o estudo da história e da cultura de Cuba e do Caribe com foco nas culturas populares e tradicionais. Mery conta no seu blog que a Casa está a frente da organização Festival do Caribe, “consolidado como um espaço de encontro e intercâmbios solidários e um dos principais responsáveis pela formação da identidade cultural cubana e caribenha”.

Orlando Vergéz, o atual diretor da instituição, realiza a coordenação geral do Festival e atua nas articulações entre grupos nacionais e internacionais. “Ele teve a oportunidade de conhecer Pernambuco através da articulação do produtor Nilton Pereira, que os levou ao Brasil em 2008. Nessa ocasião, esteve com diversos grupos de cultura popular e religiosos, e o mesmo destaca a ida a Nazaré da Mata, onde visitaram o Maracatu Cambinda Brasileira. Ele ficou surpreso e imediatamente identificou diversos pontos comuns entre Santiagueros e Pernambucanos”, narra Mery no seu diário. “São povos que não tem ligação histórica, mas se parecem em suas condutas artísticas e comunitárias”, conclui a produtora.

< voltar para home