Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Janeiro de Grandes Espetáculos começa nesta quarta-feira (10)

Com incentivo do Governo de Pernambuco, 24ª edição do evento conta com mais de 90 atrações e aposta em espetáculos de teatro, dança e música

Flora Negri

Flora Negri

O espetáculo “Dorinha, Meu Amor” fará a abertura do festival nesta quarta-feira (10)

Camila Estephania

Buscando investir ainda mais em atividades formativas, nesta quarta-feira (10) começa o 24º Janeiro de Grandes Espetáculos, que em 2018 conta com incentivo do Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura. Além de contar com mais ações referentes ao aperfeiçoamento dos artistas, o evento, tradicionalmente associado às artes cênicas, assume oficialmente sua abrangência para outras linguagens. Por isso, neste ano, a música foi acrescida ao seu título, que agora passa a ser Festival Internacional de Artes Cênicas e Música de Pernambuco.

“Já fazem sete anos que a gente coloca a música com mais intensidade. De uns dois anos para cá, estávamos apresentando em torno de 14 espetáculos musicais. Acho que incluir isso oficialmente foi muito bom, porque a música pernambucana é muito forte e a gente não dava o poder que ela tem. Agora, queremos que tenha peso igual com as artes cênicas, porque tem trazido um grande público e apresentado a música daqui a um pessoal mais novo”, observa Paulo de Castro, que é presidente da Apacepe e coordenador-geral do evento.

Para simbolizar esse novo momento, o musical “Dorinha, Meu Amor” fará a abertura do festival, que acontecerá amanhã, às 20h30, no Teatro de Santa Isabel, onde será encenado novamente nesta quinta (11), às 20h. Dirigido por João Falcão e protagonizado pela atriz e cantora pernambucana Isadora Melo, o espetáculo mistura teatro e música para contar as experiências amorosas de Dorinha. Canções da música popular brasileira são interpretadas pela cantora ao lado dos músicos Juliano Holanda e Rafael Marques costurando o texto que explora a comédia e dramaticidade.

Laís Domingues

Laís Domingues

João do Pife (foto) e Egberto Gismonti estreiam show conjunto dentro da programação do evento.

Edição dedicada em homenagem aos pesquisadores e artistas Renato e Vanda Phaelante, o evento também fará outras reverências, como no “Tributo a Expedito Baracho”, que contará com as apresentações de Zé Baracho, Claudionor Germano, Spok, Lula Queiroga e outros no palco do teatro Santa Isabel. Dominguinhos, por sua vez, será lembrado pelo requinte do projeto Cantoria Agreste, que reúne Marcelo Melo, Sérgio Andrade, Gennaro e João Neto, no teatro Luiz Mendonça, dia 18 de janeiro. Entre os novos nomes, Igor de Carvalho se apresenta junto com Tibério Azul também no teatro Luiz Mendonça, enquanto o projeto Reverbo toma lugar no Santa Isabel.

“A gente está trazendo também o Egberto Gismonti junto com João do Pife, que são dois músicos de muita qualidade. Eles vão apresentar primeiro em Caruaru e no Recife e depois vão pro mundo. É algo muito importante não só pro festival, mas para a música brasileira”, frisou Paulo de Castro, sobre o crescimento do evento que também conta com palcos em Paulista e Caruaru.

Entre teatro, dança, música e espetáculos infantis, serão ao todo 91 montagens, sendo a maioria delas de Pernambuco. Quinze montagens são de outros estados brasileiros, como “Ícaro”, da LM Produções, de Porto Alegre, “Espelunca”, da Cia Teatral Milongas (RJ), e “Alegria de Náufragos”, do Coletivo Ser Tão Teatro (PB). No time internacional, o evento conta com 3 espetáculos, sendo eles “Kalashnikova – AK 47”, da Companhia el contrabando, da Suíça, “(…) E a Vida, Afinal, é como as Orquídeas”, da Gambuzinos com 1 Pé de Fora, de Portugal, e “Dialogus Ibéricos”, que é uma coprodução entre Portugal e Espanha da Favelacult Gestión Cultural.

Sérgio Paciência

Sérgio Paciência

“(…) E a vida, afinal, é como as orquídeas” é uma das montagens internacionais que fazem parte da programação parelela do festival.

Nesta última, o elenco promoverá um intercâmbio de experiências com os artistas pernambucanos sobre música, dança, canto e teatro.  cujo elenco abrirá diálogo para troca de experiências com os artistas pernambucanos sobre música, dança, canto e teatro, em ação paralela à apresentação. A vinda do grupo conta com o apoio da Ação Cultural Espanhola (AC/E) através do Programa para a Internacionalização da Cultura Espanhola (Pice).

Essas última atração internacional se aproxima das ações formativas do festival, que neste ano foram ampliadas, trazendo desde leituras dramatizadas, como “O Sonho de Ent”, do espaço O Poste Soluções Luminosas, até experiências acadêmicas, como “Isadora: um espetáculo de plagiocombinação”, do curso de licenciatura em Teatro da UFPE. “As ações pedagógicas neste ano estão muito fortes, porque é uma questão de mercado de trabalho. Quanto mais a gente vai para esse lado, mais a gente fortalece o músico, o ator, o bailarino. Ainda temos poucos cursos pra essas áreas aqui, então, quando temos a oportunidade de oferecer, é importante”, comenta Paulo de Castro.

As Atividades Formativas e Mostra Paralela acontecem entre os espaços Cênicas, Fiandeiros, O Poste e Mamulengo, os teatros Boa Vista e Paulo Freire (Paulista), o Centro Cultural Correios, Torre Malakoff, Fundação Joaquim Nabuco e o Recife Praia Hotel. Enquanto a programação principal do festival toma lugar nos teatros de Santa Isabel, Apolo, Hermilo Borba Filho, Marco Camarotti, Luiz Mendonça, Arraial Ariano Suassuna, Barreto Júnior e Sesc Caruaru.

Fernanda Chemale

Fernanda Chemale

“Ícaro” apresenta um monólogo sobre a vida em cima de uma cadeira de rodas.

TEATRO ARRAIAL

Equipamento cultural do Governo do Estado, o palco do Teatro Arraial terá sua estreia em 2018 com a peça “Ícaro”, que está dentro 24º Janeiro de Grandes Espetáculos. Em cartaz nos dias 12 e 13 de janeiro, às 19h e 17h, respectivamente, a atração traz um monólogo do ator Luciano Mallmann em que mistura ficção e realidade ao falar da vida sob uma cadeira de rodas. Em cartaz. Entre as peças, o espaço ainda recebe “Pro(fé)ta – O Bispo do Povo” (17 e 18h de janeiro, às 19h) e “O Último Édipo” (27 de janeiro, às 20h). O local também receberá os shows de Cassio Sette (19 de janeiro, às 20h), Sheyla Costa (20 de janeiro, às 20h) e Geraldo Maia (21 de janeiro, às 18h). Como parte da também da programação parelela, o Teatro Arraial sediará o lançamento do livro “Teatro de Joaquim Cardozo – Obra Completa” (24 de janeiro, às 19h) e do projeto “Ricardo III” (28 de janeiro, às 17h).

>>> A programação completa do festival pode ser conferida neste link e os ingressos já podem ser comprados pelo site Compre Ingressos ou na central de vendas do evento, que fica na bilheteria do Teatro de Santa Isabel.

 

 

 

< voltar para home