Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Joelson Gomes abre sua casa-ateliê com mostra coletiva

'A Casa Simples – Processos Artísticos' é fruto de uma residência com quatro artistas convidados. A mostra, com incentivo do Funcultura, abre ao público na quarta (31/8).

por Marina Suassuna

Hassan Santos

Hassan Santos

Para a residência artística, Joelson Gomes convidou Mana Bernardes (RJ), Hélio Pellegrino (MG) e Maurício Castro (PE)

Uma casa arejada, com muitas plantas, cachorro, oitão e histórias que se confundem com as do próprio bairro. Assim é o ateliê do artista plástico Joelson Gomes, no Poço da Panela, Zona Norte do Recife. Há 20 anos residindo no local, Joelson procura fazer do lugar um espaço alternativo para o circuito das artes visuais no Recife, desenvolvendo experiências artísticas sem pretensão comercial. Neste sentido, surgiu A Casa Simples, projeto financiado pelo Funcultura que consiste em três ações no ateliê: uma residência com três artistas convidados e duas exposições.

A primeira das exposições, intitulada A Casa Simples – Processos Artísticos, será aberta nesta quarta-feira (31), às 19h. Será apresentado um misto de esboço e making of da residência, que contou com os artistas Mana Bernardes (RJ), Hélio Pellegrino (MG) e Maurício Castro (PE). Joelson buscou artistas que dividem com ele o interesse pela mesma poética e matéria-prima: cerâmica e fios de plástico (espaguete) tramados sobre estruturas de ferro, além da mescla do design com a arquitetura, unindo arte aos objetos do cotidiano.

Hassan Santos

Hassan Santos

Uma das matérias-primas utilizadas pelos artistas foi a cerâmica

Nesta primeira, que fica em cartaz por três meses, serão apresentados registros fotográficos, vídeos e anotações feitos durante a residência. As obras estarão em estágio de protótipo, talvez algumas concluídas, que deverão compor a exposição definitiva A Casa Simples – Arte Cotidiana, com o resultado final do intercâmbio, ainda sem data marcada.

Durante dez dias, Mana Bernardes, Helio Pelegrino e Maurício Castro estiveram imersos num processo criativo junto com Joelson na Casa Simples e também nas cidades de Bezerros, Tracunhaém e Brejo da Guabiraba, onde conheceram artesãos locais e seus métodos de produção. Segundo Joelson, as visitas agregaram bastante às possibilidades de trabalho pensadas em seu ateliê. “A Casa Simples é a base onde pegamos as informações, idealizamos e desenhamos todas as ideias para serem sintetizadas e executadas nesses outros lugares, junto com os oleiros”.

Também foram selecionados quatro jovens dessas comunidades para acompanharem os mestres no desenvolvimento das obras criadas pelos artistas. “Os oleiros e os serralheiros também contribuem para o processo. Trabalhar com eles é uma forma de valorizar esses profissionais, resgatando saberes populares e estabelecendo uma troca desse conhecimento com a nossa arte. Isso também é uma coisa que liga esse artistas. Todos têm, por hábito, estabelecer parcerias sociais, com mestres e aprendizes. A Casa Simples sempre teve essa pegada”, observa Lucia Padilha, coordenadora do projeto.

Joalheira, poeta, designer, entre outras habilidades, Mana Bernardes começou a fazer joias com materiais reciclados aos 7 anos de idade. Escreve desde a adolescência e em 2011 lançou o livro Mana e Manuscritos. Seus escritos têm se transformado em estampa para guardanapos, toalhas de mesa, vasos, entre outros objetos. Já Hélio Pellegrino, artista plástico e designer de Minas Gerais, foi convidado por Joelson pela sua relação com a arquitetura e por considerar o reuso de materiais como contribuição para o futuro e valorização do planeta. Desde a década de 1980 realizando exposições individuais e coletivas no Brasil, o pernambucano Maurício Castro traz para o projeto toda a sua experiência com esculturas de ferro que desenvolveu durante 10 anos. Suas atividades pedagógicas voltadas à pintura, reciclagem e ao desenho no Ateliê Peligro e na Gráfica Lenta também contribuem com a proposta d’A Casa Simples.

Hassan Santos

Hassan Santos

Durante dez dias, o quarteto esteve imerso num processo criativo que resultou na exposição

Confira Galeria de Imagens do projeto.

SERVIÇO
Abertura da exposição ‘A Casa Simples – Processos Artísticos’
Quarta-feira, 31 de agosto de 2016 | 19h
A Casa Simples – Rua dos Arcos, 260 – Poço da Panela/Recife
Gratuito

 

< voltar para home