Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

“Morro de Fé” ganha publicação

Com incentivo do Funcultura, o livro com fotos assinadas por Beto Figueiroa será lançado quinta-feira (26), às 19h, no Conselho de Moradores do Morro da Conceição, reiterando a necessidade de "devolução" à comunidade em 14 anos consecutivos de captação de imagens no local

*Com informações da assessoria

Beto Figueiroa/Divulgação

Beto Figueiroa/Divulgação

Um anos após intervenção urbana no Morro da Conceição, com imagens a céu aberto e em grandes proporções, fixadas nas fachadas e muros das casas, Morro de Fé, do fotógrafo Beto Figueiroa, será publicado em livro

Os moradores do Morro da Conceição terão um novo encontro com o projeto Morro de Fé. Um ano depois de ter ocupado muros, fachadas e telhados de casas da comunidade na Zona Norte do Recife, a prestigiada exposição​/ intervenção urbana​ do fotógrafo Beto Figueiroa virou livro. Com design gráfico ​de ​Sebba Cavalcante, incentivo do Funcultura e apoio da Prefeitura do Recife e da gráfica Facform, o lançamento da publicação será quinta-feira (26), às 19h, no Conselho de Moradores do Morro da Conceição. A noite de autógrafos é aberta ao público, e o livro será vendido por R$ 20.

Editado para ser uma espécie de continuação viva da mostra, um registro perene de uma intervenção efêmera, o livro Morro de Fé reproduz, em suas 114 páginas, uma seleção mais ampla com um acervo de 50 fotografias coloridas e em preto e branco, duas dezenas a mais que a apresentada na exposição ao ar livre, permitindo um mergulho mais profundo e sensível no diálogo entre o sagrado e o profano da Festa do Morro, evento que ​atrai cerca de 800 mil pessoas nos dez dias que antecedem o 8 de dezembro, Dia de Nossa Senhora da Conceição. Em versão bilíngue (inglês e português), o livro também é entremeado por textos do jornalista Bruno Albertim. Nesta primeira tiragem, foram impressos 1 mil exemplares.

“Das cerca de 8 mil imagens, fizemos uma pré-seleção em que separamos mil e depois 50 imagens, até chegar àquelas que iriam para a rua. Agora, o público terá a chance de ver ​essa seleção que não foi para a mostra”, comenta Beto Figueiroa, que produziu as imagens ao longo de 14 anos trabalhando junto à festa. A curadoria de Morro de Fé é assinada pelo fotógrafo Mateus Sá.

Além de fotografias inéditas, incluindo, no final do livro, um recorte especial dedicado ao pescador Amaury, lendário pagador de promessas que decidiu subir o asfalto “a nado” por anos consecutivos, a edição sairá com o encarte gratuito O Morro para o Morro, ilustrado com fotos da exposição ano passado, também pelo olhar de Beto, e com texto do jornalista Jorge Cavalcanti. “Acompanhei a montagem delas. Foram cinco dias. Não raro, pessoas, se aproximavam para puxar conversa, curiosas, encantadas pelo tamanho e beleza das fotos. Muitas delas perguntaram como faziam para ter uma daquelas em seu muro, na sua laje”, diz o trecho do texto, escrito por Jorge.

Longe de trazer um perfil meramente religioso, o trabalho explora as figuras humanas que frequentam a festa, numa analogia entre a fé e o profano. São romeiros, pedintes, bêbados, pagadores de promessas, vendedores ambulantes, prostitutas. A maior romaria urbana do Nordeste, pelas lentes de Beto, representa as misturas sociais e misticismos de um povo genuinamente brasileiro.

“Assim como a exposição, o lançamento não poderia ser em outro lugar”, coloca Figueiroa, reiterando a necessidade de “devolução” à comunidade em 14 anos consecutivos de captação de imagens. Mais uma vez, a proposta é provocar, nas fotos, o reconhecimento dos moradores e dos visitantes do Morro.

Exposição
Composta por 30 fotografias coloridas e em preto e branco, impressas em grandes formatos, a mostra Morro de Fé ocorreu entre 29 de novembro de 2014 e 6 de janeiro de 2015, ocupando paredes, lajes e telhados com até 14 metros de largura. Durante a noite, as fotos contaram com iluminação instalada pela Emlurb, apoiadora do projeto. A mostra fotográfica foi eleita pelos leitores do Diario de Pernambuco, em dezembro de 2014, como o destaque de artes visuais de Pernambuco naquele ano, na enquete on line Top PE.

Fotógrafo
Beto Figueiroa passou parte da infância na histórica cidade de Goiana, Mata Norte de Pernambuco. Foi criado por uma mulher cega. Mãe Ná, sua avó, morreu em 2009 aos 106 anos e sempre foi uma referência não só na conduta de vida como na arte de enxergar. Para o menino Beto, o sentido da visão jamais foi parte essencial para a alegria. O jeito de ver as coisas se construiu de maneira diferenciada – bem provavelmente pela força dos ensinamentos de Mãe Ná, que jamais o viu, mas o acompanhou de perto, desde o início de sua carreira como fotógrafo.

A afetiva história sobre o olhar especial de Beto Figueiroa, evidente em suas fotos, talvez seja a primeira explicação para o reconhecimento do seu trabalho. Já com larga experiência na cobertura de eventos musicais, atua como fotógrafo oficial do festival MIMO, onde assinou a exposição de 10 anos da mostra em 2013.

Com trabalho reconhecido pelas principais premiações do fotojornalismo nacional, como Vladimir Herzog, Caixa e Ayrton Senna, Beto participou de exposições individuais e coletivas, no Brasil e no exterior, além de inúmeras publicações em livros e revistas. Em 2007, esteve entre os dez brasileiros escolhidos pela Fototeca de Cuba e pelo Instituto de Mídia e Arte – Imea (SP) para representar a fotografia brasileira, sendo o mais jovem da seleção na mostra “Mirame – uma ventana da fotografia brasileña”, em Havana.

Serviço
Lançamento do livro Morro de Fé, de Beto Figueiroa (117 págs; R$ 20)
Quando: quinta-feira (26), às 19h
Onde: Conselho de Moradores do Morro da Conceição (Praça da Conceição, 462, Morro da Conceição)
Acesso gratuito

< voltar para home