Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Na Torre Malakoff, Ana Araújo lança fotolivro sobre o povo Pankararu

A fotojornalista tacaratuense Ana Araújo promove o lançamento do seu novo fotolivro “PANKARARU – Identidade, Memória e Resistência”, nesta sexta-feira (17),  a partir das 19h, na Torre Malakoff. A obra, apresentada de forma cronológica, é resultado de um mapeamento etnográfico realizado durante 34 anos pela autora, de 1996 a 2020, e conta a história dos indígenas Pankararu, habitantes originários do sertão de Pernambuco, através de imagens inéditas em três capítulos: do seu território, do seu povo e dos seus rituais ancestrais e sincréticos. A publicação conta com incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, por meio dos recursos do Funcultura. Por conta da pandemia, será obrigatório o uso de máscaras durante o evento de lançamento.

O objetivo do livro é dar visibilidade à cosmologia do povo Pankararu, que tem cerca de 11.366 indígenas, vivendo em área demarcada de 8.377 hectares, entre os municípios de Tacaratu, Jatobá e Petrolândia, na região do submédio São Francisco, no sertão de Itaparica. Esse evento, que marca o primeiro lançamento do fotolivro, tem o apoio da Casa de Memória – Associação Tronco Velho Pankararu, e da Secretaria de Assuntos Indígenas, da Prefeitura Municipal de Tacaratu. Na ocasião, serão entregues os 400 exemplares destinados à doação aos representantes das escolas, bibliotecas, entidades, lideranças e aos indígenas ou seus familiares retratados no livro. Também haverá a apresentação do grupo Nação Cultural Pankararu, com a “Dança do Búzio”.

Além da presença de intérpretes de Libras para a inclusão de pessoas com deficiência auditiva nos lançamentos, o livro está disponível às pessoas com deficiência visual e baixa visão, e ao público em geral, através de QR Code, na contracapa, que dá acesso ao canal do foolivro Pankararu, no YouTube. Esse conteúdo com a audiodescrição de Liliana Tavares e Sílvia Albuquerque, da Com Acessibilidade, pode ser ouvido por meio do link: youtu.be/e7OuJAVE5D4.

PUBLICAÇÃO - O livro apresenta um conteúdo atualizado para pesquisas de professores e alunos, tendo a memória e a resistência como componentes de construção e de fortalecimento da identidade cultural Pankararu. Um dos campos de estudo é o da fotografia, pela linguagem e pelo importante registro histórico, feito durante a transição dos séculos 20 e 21, quando houve a revolução tecnológica do sistema analógico para o digital. A antropologia visual também é contemplada, por apresentar uma potente documentação etnográfica dos rituais Pankararu.

A obra tem 124 páginas, em papel couchê, capa dura, com 107 fotos coloridas e em preto e branco, sendo 32 feitas com câmeras analógicas e 75 com as atuais digitais. Os textos em português, com tradução de Sarah Bailey para o inglês, são de autoria de Ana Araújo – que também redigiu as legendas e fez a coordenação editorial – da linguista e primeira indígena brasileira com doutorado, Maria das Dores de Oliveira Pankararu, do primeiro advogado indígena do Brasil, Paulo Celso de Oliveira Pankararu, da historiadora Bartira Ferraz Barbosa, docente da UFPE – Universidade Federal de Pernambuco, e do professor de Fotografia da UFPE que assina a coedição das fotos, José Afonso Jr. O design e a produção gráfica são de Tácio Ferraz e Isabela Faria, a produção executiva de Bianca Pimentel, o tratamento de imagens de Robson Lemos, a revisão de textos de Tatiana Portela.

O primeiro lançamento da obra foi na aldeia Pankararu, Brejo dos Padres, no último dia 4 de dezembro. Na ocasião, foram entregues os 400 exemplares destinados à doação aosrepresentantes das escolas, bibliotecas, entidades, lideranças e aos indígenas ou seus familiares retratados no livro. Mais informações pelo perfil do Instagram da autora: @fotoanaaraujo.

Serviço
Lançamento do fotolivro “PANKARARU – Identidade, Memória e Resistência” – Ana Araújo
Quando: 17 de dezembro de 2021 (sexta-feira), às 19h
Onde: Torre Malakoff (Praça do Arsenal, s/n – Recife, PE)
Evento aberto ao público. É obrigatório o uso de máscara

< voltar para home