Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

NO TEXAS promove conexões artísticas no Centro do Recife

Próxima edição do projeto é com a banda Rua, nesta quinta-feira (14), a partir das 21h

Flora Pimentel/Divulgação

Rua apresentará durante o show as músicas dos discos Limbo (2014) e Do Absurdo (2011).

A música independente pernambucana ganha espaço nesta quinta-feira (14) com mais uma edição do NO TEXAS, projeto que acontece no centro do Recife e tem a missão de promover, divulgar e incentivar as novidades da cena local. A apresentação desta vez ficará por conta da banda experimental Rua, que fará o show no terceiro andar do Edf. Texas, localizado no Largo de Santa Cruz. Os ingressos podem ser retirados gratuitamente, duas horas antes da apresentação, marcada para começar às 21h. Serão disponibilizadas 50 entradas.

Quem não conseguir ingressos, poderá conferir o show por meio de uma projeção ao vivo no Pátio de Santa Cruz e na internet (através do Facebook do Edf. Texas). A conexão entre as linguagens música e audiovisual que o NO TEXAS promove vai além. Cada noite é documentada e alguns programas já estão no Youtube, como forma de deixar registros de contatos íntimos entre os grupos e o público que por ali passam. Cada apresentação resulta ainda num EP e num programa para internet com entrevistas e registro do show disponíveis no Soundclound.

Formada por Nelson Brederode (Cavaco), Hugo Medeiros (Bateria), Caio Lima (Voz) e Yuri Pimentel (Contrabaixo), a Rua apresenta NO TEXAS as faixas dos discos Limbo (2014) e Do Absurdo (2011). O grupo surgiu em 2009 entre amigos do curso de música da Universidade Federal de Pernambuco que tinham em comum a intensa investigação sobre formas de composição e o interesse pela criação artística.

De acordo com Pedro Escobar, um dos idealizadores do NO TEXAS, circulam em cada edição aproximadamente duas mil pessoas no entorno do espaço. “Como temos uma limitação no terceiro andar, a gente faz também a projeção por streaming, através do nosso Facebook, e na rua, em pleno Pátio de Santa Cruz. E essa é a parte mais legal porque engloba todos os bares do entorno que estão ali, tem também as pessoas que estão passando e decidem ficar e o público na internet”, explica Pedro Escobar.

O projeto conta com incentivo do Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura, e seis bandas integram a programação iniciada em julho deste ano. Já passaram pelo palco a cantora Aninha Martins, o Projeto Sal, Juliano Holanda e a banda Desalma. Após o show da Rua, o NO TEXAS encerra com o grupo Bongar, no dia 28 setembro.

“A gente sempre teve a ideia do Edf. Texas ser um espaço cultural, mas que também fosse um produtor de conteúdo e ligado aos conceitos de arte, formação e jornalismo. Eu, por exemplo, já vinha trabalhando com música e audiovisual, sempre fiz clipes e registros de shows, e naturalmente a equipe do Texas como um todo foi sentindo a necessidade de ter um projeto como esse, já que tínhamos experiência, material e equipamento próprio”, revela Pedro Escobar, sobre como surgiu o projeto. “Outra coisa foi viabilizar isso através do Funcultura. Já tínhamos pilotos, como o que fizemos em parceria com a banda Cosmo Grão, mas neste formato só foi possível com os recursos do Fundo, e através dele pudemos trabalhar de uma forma mais profissional com outras linguagens, como a fotografia e o audiovisual”, pontua ele.

O produtor conta que a equipe segue planejando como será a próxima temporada do NO TEXAS. “Só precisamos ver como viabilizar financeiramente da forma que conseguimos desta vez. Vamos pensar em outros caminhos, tanto pelo privado como pelos editais, além das parcerias que seguem. Temos também uma proposta de ter um programa de televisão, e já estamos conversando com a TVU sobre essa possibilidade”.

Pedro-Escobar-

Edf. Texas celebra em dezembro três anos de história voltada à produção artística alternativa do Recife

Quem tiver uma banda, projeto artístico ou de formação e queira entrar em contato para enviar uma proposta deve fazer isso através do Facebook do espaço. “A casa está sempre aberta para os artistas e pra gente trocar ideias. O Texas fará três anos de atividade agora em dezembro, e o pátio se tornou um espaço cultural de uma cena totalmente livre e espontânea. As pessoas já têm essa referência. De repente a gente se tornou um escape num momento que se precisava de um lugar, mas foi uma coisa completamente natural, não pensada. Há um avanço e isso deve ser reconhecido, mas o mais importante foram as relações que construímos. Hoje a gente só se sustenta graças às parcerias em todos os setores, como fotografia, artes cênicas, vídeos e música. O maior legado é essa forma de fazer que buscamos ter sempre em mente”, detalha Pedro Escobar.

Serviço
NO TEXAS #05 – Rua
Quinta (14) | 21h
Edf. Texas (Rua Rosário da Boa Vista, 163, Recife)
Gratuito | Senhas 2h antes no local | Sujeito a lotação: 50 pessoas

< voltar para home