Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

NO TEXAS recebe a ancestralidade e tradição afro do Grupo Bongar

Show está marcado para esta quinta-feira (28), às 21h, e marca encerramento do projeto que contou com incentivo do Funcultura

Com um trabalho desenvolvido há mais de quinze anos, o Bongar realiza uma pesquisa voltada para a preservação e divulgação do universo popular da comunidade do Xambá

Marcus Iglesias

A forte percussão e ancestralidade de matriz africana do Grupo Bongar vai ecoar na noite desta quinta-feira (28), durante a última edição da primeira temporada do projeto NO TEXAS – evento realizado no Edf. Texas, localizado no histórico Largo de Santa Cruz, centro do Recife. O grupo, uma das principais bandas independentes do estado, promete uma apresentação especial com destaque também às músicas que colocam a canção em destaque, sem deixar de lado os elementos percussivos.

Os ingressos podem ser retirados gratuitamente duas horas antes da apresentação, que começa às 21h. Serão disponibilizadas 50 entradas, mas quem não conseguir uma delas tem a oportunidade de assistir ao show através de um telão no Pátio de Santa Cruz – ou pela internet, no Facebook do Edf. Texas.

Juarez Ventura

Juarez Ventura/Secult-PE

“Mostramos com essa participação que a música ancestral desenvolvida por jovens negros e de terreiro cabe em qualquer espaço”, opina Guitinho, vocalista do Bongar

Com um trabalho desenvolvido há mais de quinze anos, o Bongar realiza uma pesquisa voltada para a preservação e divulgação do universo popular da comunidade do Xambá. Para Guitinho, vocalista do grupo, o projeto NO TEXAS acompanha o movimento das grandes metrópoles, que em virtude das suas organizações urbanísticas e dinâmicas sociais têm buscado alternativas para fazer a música independente circular pelas ruas. “Na concretude das cidades, tais alternativas garantem que a música seja um elemento cotidiano das pessoas, fazendo com os centros urbanos fiquem mais vivos”.

21762033_2029610700602662_1359695795549008726_n

Quem não conseguir ingressos tem a oportunidade de assistir ao show através de um telão no Pátio de Santa Cruz

Segundo ele, o Bongar vem de uma unidade periférica da cidade de Olinda, mas com raízes profundas na sociedade musical, o que, para ele, é um sinal da contemporaneidade no qual estão inseridos, apesar dos estereótipos. “A gente quebra esse paradigma de que eventos como esse só recebem a música tida como contemporânea e alternativa. Mostramos com essa participação que a música ancestral desenvolvida por jovens negros e de terreiro cabe em qualquer espaço”, opina Guitinho.

De acordo com o músico, o grupo irá apresentar no Edf. Texas um show que pincelará a estética do culto religioso, na poética, passando por todos os discos do grupo. “Não vamos abandonar nossa postura de percussão forte, mas compreendemos também que este é um espaço no qual poderemos levar um repertório que trata a canção com prioridade. Uma das músicas que vamos tocar é a Ogum Onirê, que está disponível no Youtube, e nela damos destaque à voz, violão e cavaco, com elementos percussivos mais leves”.

Pedro Escobar, um dos idealizadores do NO TEXAS, conta que circulam em cada edição do evento cerca de duas mil pessoas. “Como temos uma limitação no terceiro andar, a gente faz também a projeção por streaming, através do nosso Facebook, e na rua, em pleno Pátio de Santa Cruz. E essa é a parte mais legal porque engloba todos os bares do entorno que estão ali, tem também as pessoas que estão passando e decidem ficar e o público na internet”, explica.

O projeto tem incentivo do Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura, e além dos shows promove outras ações multimídia com a proposta de dar mais visibilidade a tudo que acontece por lá. Cada noite é documentada e alguns programas já estão no Youtube, como forma de deixar registros de contatos íntimos entre os grupos e o público que por ali passam. Além disso, cada apresentação resulta num EP e num programa para internet com entrevistas e registro do show disponíveis no Soundclound.

O produtor Pedro Escobar revela ainda que a equipe segue planejando como será a próxima temporada do NO TEXAS. “Só precisamos ver como viabilizar financeiramente da forma que conseguimos desta vez. Vamos pensar em outros caminhos, tanto pelo privado como pelos editais, além das parcerias que seguem. Temos também uma proposta de ter um programa de televisão, e já estamos conversando com a TVU sobre essa possibilidade”.

Serviço
NO TEXAS #06 – Grupo Bongar
Quinta (28) | 21h
Edf. Texas (Rua Rosário da Boa Vista, 163, Recife)
Gratuito | Senhas 2h antes no local | Sujeito a lotação: 50 pessoas

< voltar para home