Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

O Terreiro de Xambá pelas lentes de Beto Figueiroa

Exposição integra o projeto Tertulia Fotodocumental, que conta ainda com debates e grupos de estudos sobre o tema. O projeto tem o incentivo do Governo de Pernambuco, através do Funcultura.

Dando início ao segundo ano do projeto Tertúlia Fotodocumental nesta sexta-feira (8), a Casa de Máquinas convida o fotógrafo Beto Figueiroa para apresentar seu trabalho sobre o acervo fotográfico do Terreiro Xambá. A série foi desenvolvida a partir de fotos já existentes no local, que foram ressignificadas pelo olhar de Figueiroa.

Beto Figueiroa/Divulgação

Beto Figueiroa/Divulgação

Primeira edição de 2016 do projeto se debruça sobre o trabalho de Beto Figueiroa no Terreiro de Xambá

A mostra, que tem curadoria do fotógrafo e pesquisador Emiliano Dantas, é composta por 12 imagens que ficarão expostas na casa para apreciação do público, de 11 a 16 de abril, das 14h às 17h. Participa da abertura, nesta sexta (8), o historiador Hildo Leal da Rosa, responsável pela memória da comunidade. Já no encerramento da exposição, o público poderá participar de conversa e debate com o fotógrafo e o pesquisador Daniel Meirinho.

Todas as edições de 2016 do projeto Tertúlia Fotodocumental contam com incentivo do Governo de Pernambuco, através do Funcultura. O evento é gratuito e pode oferecer tradução em libras, desde que a necessidade seja comunicada à produção até cinco dias antes de cada edição.

Segundo Beto Figueiroa, este recorte faz parte de livro a ser lançado ainda neste semestre e intitulado Velha minha história, novo o meu olhar, que está em fase de finalização. “Ele (o livro) também contou com incentivo do Funcultura e foi idealizado por Guitinho da Xambá, com base no acervo do próprio terreiro. Vale destacar que este conjunto de imagens começou a ser organizado por Mãe Biu, yalorixá da Nação Xambá, um dos objetos centrais do livro, que está hoje sob os cuidados do historiador Hildo Leal”, explica o fotógrafo, que revelou ter acumulado cerca de 100 imagens para compor a publicação.

Beto Figueiroa/Divulgação

Beto Figueiroa/Divulgação

A mostra conta com 12 fotos que ficarão expostas na Casa das Máquinas de 11 a 16 de abril. . Na foto, o babalorixá Ivo segura com as duas mãos uma outra imagem que mostra ele ainda criança no colo de Mãe Biu.

Ainda de acordo com Beto Figueiroa, este trabalho com a Xambá fez um diálogo direto com a proposta do Tertúlia. “Após receber o convite para fazer a edição do livro, num bate papo com o curador Emiliano, a gente percebeu que esse trabalho era muito interessante para o Tertúlia. Como o acervo fica em Xambá, e não podia tirar nada de lá, os registros foram feitos com a participação de Guitinho e, na maioria das vezes, com o Hildo também. Foi um exercício interessante, pois ressignificamos várias imagens”, comenta.

Grupo de Estudo

A programação conta ainda com um grupo de estudo sobre fotografia documental, também coordenado por Daniel Meirinho, tendo como estudo de caso a exposição de Beto. Os interessados têm até esta quinta-feira (7) para realizar inscrições. É necessário enviar carta de intenção, explicando a relação com o tema, para o e-mail tertuliafotodocumental@gmail.com, anexando ainda uma breve biografia do proponente.

Reprodução/Site

Reprodução/Site

Além da exposição, edição do Tertúlia Fotodocumental terá debates e grupo de estudo com base no trabalho de Beto Figueiroa

Os encontros serão realizados no sábado (9) e na próxima terça-feira (12), das 14h às 17h. A lista de selecionados será divulgada nesta sexta-feira (8), no site da Casa de Máquinas.

Sobre Tertúlia Fotodocumental

A iniciativa se propõe como espaço de debate sobre a fotografia documental contemporânea, com foco na produção de conteúdos, propostas de novos caminhos, de forma a fornecer novos olhares através de um aprofundamento sobre o que se produz de cultura visual fotográfica em Pernambuco.

A ideia é que durante o decorrer do ano aconteçam cinco encontros que envolvem grupos de trabalho, exposição e mesa redonda que serão disponibilizados em fotografia, vídeos, áudios e em um relatório construído coletivamente, que no final do processo irá ser disponibilizado na internet. Todos os eventos acontecerão na sede da Casa de Máquinas, organizadora do projeto.

Serviço
Lançamento do projeto Tertúlia Fotodocumental
Sexta-feira (8) | 19h
Casa de Máquinas (Rua José de Holanda, 295 – Torre, Recife)
Gratuito
Mais informações: (81) 9 9889 4898

< voltar para home