Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

‘Papel de Foto’ lança publicação coletiva no Pequeno Encontro da Fotografia

'Transeteu' é resultado de um curso incentivado pelo Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura

Divulgação

Divulgação

Publicação será distribuída gratuitamente após debate com tradução em libras

Com informações da Assessoria

O projeto Papel de Foto lança no próximo sábado, 11 de novembro, a partir das 17h,  a publicação Transeteu, quinto livro coletivo do projeto que revela o resultado do curso ministrado no último mês de setembro por Ana Lira (Retratografia), Daniela Bracchi (LabFoto), Nathália Queiroz e Sabrina Carvalho (Livrinho de Papel Finíssimo Editora), no Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM), no Recife.

Os participantes produziram uma tiragem de 500 fotolivros que será distribuída gratuitamente para o público, parceiros e apoiadores do projeto, em uma roda de conversa que integra a programação dos lançamentos da terceira edição do Pequeno Encontro da Fotografia. A roda de conversa terá tradução em libras. Além de receber um exemplar do livro, os visitantes terão a oportunidade de discutir os resultados do projeto com os próprios autores e editores.

Em paralelo ao lançamento, o público também poderá acompanhar entre os dias 10 e 12 de novembro, dentro da programação do Pequeno Encontro, a exposição RePública, que será dedicada a fotolivros e processos que colocam em discussão este cenário das publicações independentes e da autopublicação. Projetos de fotolivros e fotozines de diversos fotógrafos de Pernambuco e de outros estados do país serão exibidos para acesso do público.

Divulgação

Divulgação

Registro do curso realizado no MAMAM (Recife)

O projeto Papel de Foto também participa desta atividade com a exibição dos fotolivros individuais produzidos pelos participantes da formação, em sua diversidade de pesquisas e formatos, bem como os fotolivros Éter, Koan, Sem Pressa, O Mapa do Abandono e o próprio Transeteu, publicações coletivas resultantes das duas turmas do curso.

O PROJETO

Papel de Foto é um projeto incentivado por meio do edital 2015/2016 do Funcultura Geral (Secult e Fundarpe), que levou para o agreste e para a região metropolitana do Recife uma formação dedicada a criação de publicações fotográficas. O curso foi aberto a fotógrafos, artistas visuais, comunicadores, designers, ilustradores, profissionais do setor gráfico e qualquer profissional que tenha imagem ou a produção gráfica como meio de pesquisa e/ou trabalho.

O objetivo foi apresentar aos participantes o contexto que tem sido responsável por uma mudança sensível no cenário editorial da fotografia, ampliando a percepção sobre as possibilidades de construção de fotolivros, a importância da criação de redes entre fotógrafos e demais criadores do setor gráfico (designers, impressores, fornecedores de materiais, circuitos de transporte, feiras, festivais, entre outros).

Foram abertas 40 vagas (20 por turma) e os participantes vieram de diversas cidades das regiões contempladas, promovendo uma interação de experiências vindas de relações diversas com o ato de publicar. A formação previa 30 horas de atividades, por turma mas teve cerca de 60 horas de envolvimento dos grupos na criação de um ateliê coletivo para construção das publicações. Parte do processo utilizou tecnologias digitais de impressão e a outra parte processos artesanais de montagem e finalização dos livros, fortalecendo o retorno das práticas manuais vistas em editoras e festivais que estão se espalhando pelo país.

NOVOS FORMATOS

A última década foi importante na consolidação de um forte cenário de publicações e feiras. No Brasil, há, hoje, diversas boas feiras independentes como a Paraguassu (BA), Miolos (DF), Tijuana (SP), Plana (SP) e Parada Gráfica (RS) cujos espaços são disputados por editoras da América Latina, Europa e Ásia, que vêm ao país tanto para vender quanto para garimpar nomes com potencial de circulação. Por serem organizadas por coletivos e editoras independentes/artesanais e trabalharem, em geral, com mapeamento de circuitos gráficos de baixo custo, estas feiras exibem livros de boa qualidade com preço e circulação acessíveis, atraindo o interesse de quem gosta de impressos.

A questão é que, como em outros circuitos de difusão e circulação, a maioria destas editoras e feiras está no eixo Rio-São Paulo, fazendo com que diversos fotógrafos das regiões norte, nordeste e centro-oeste continuem disputando com outros fotógrafos do país o mesmo funil que já disputam no panorama de premiações e exibições. Diante da qualidade dos projetos produzidos em Pernambuco (que sempre foi um dos estados que mais publicou livros de fotografia no país) e do cenário apresentado, o circuito fotográfico local decidiu mapear e incentivar o desenvolvimento de propostas semelhantes no estado.

Editoras independentes, como a Livrinho de Papel Finíssimo e a Aplicação, têm sido cada vez mais procuradas por fotógrafos para desenvolver projetos, a exemplo do livro-catálogo do projeto Feira da Quinta, de Iezu Kaeru, produzido como um fotozine pela Livrinho. O debate tem ganhado corpo, em Recife, nos últimos anos, por meio de realização de festivais como o Publique-se (incentivado em 2015 pelo Funcultura), conduzida por produtores locais em espaços culturais da cidade, mas não tem sido expandido para o interior do estado, embora o número de grupos e fotógrafos com bons projetos tenha crescido substancialmente nas regiões da zona da mata, agreste e sertão.

OUTROS EIXOS
Foi para promover este tipo de intercâmbio e pensar em maneiras de criar e fortalecer novos eixos de publicação que o curso Papel de Foto foi pensado. Entre as atividades propostas, os participantes foram apresentados ao panorama desta mudança no mercado editorial, refletiram sobre o potencial do estado na produção deste tipo de publicação, fizeram visitas de campo para produzir um mapeamento do circuito produtivo (fornecedores de materiais, encadernadores e serviços de impressão disponíveis para a realização de publicação de teste); tiveram conversas com mediadores culturais e discutiram o contexto de editais, feiras, financiamentos, dinâmicas de circulação de fotolivros e fotozines, entre outros. No final do projeto, vai ser elaborado um banco de informações com os dados coletados, que serão disponibilizados para a rede criada por meio do curso e para o público por meio do blog www.circuitospossiveis.wordpress.com.

Serviço:
Lançamento de Transeteu – Série Papel de Foto
Data: 11 de novembro de 2017
Local: Pequeno Encontro da Fotografia – Sebo Casa Azul – R. Treze de Maio, 121 – Carmo – Olinda.
Horário: 17h às 18h30
Atividades: roda de conversa e distribuição gratuita dos fotolivros. O evento terá tradução em libras.

Mais informações: retratografia@gmail.com

< voltar para home