Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Paulo Santos e José Cláudio disponibilizam versão virtual do romance “O general das massas”

José Cláudio/Divulgação

José Cláudio/Divulgação

O livro narra as epopeias políticas, militares e amorosas de José de Inácio Abreu e Lima e de Simón Bolivar, dois dos maiores personagens da política na América Latina

As artes de dois pernambucanos se encontram numa versão online do romance histórico “O general das massas”. O texto do jornalista e escritor recifense Paulo Santos de Oliveira, narrando as epopeias políticas, militares e amorosas de José de Inácio Abreu e Lima e de Simón Bolivar, ganha o auxílio luxuoso das ilustrações do grande pintor, escultor e escritor ipojucano José Cláudio da Silva. Lançada em 2012, com incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, por meio dos recursos do Funcultura, e premiada como melhor do ano pela Academia Pernambucana de Letras, a obra agora está disponível gratuitamente na internet, por meio do site: ogeneraldasmassas.art.br. A digitalização da obra foi contemplada pelos recursos da Lei Aldir Blanc em Pernambuco.

Com narrativa em primeira pessoa, Abreu e Lima nela descreve suas aventuras, a partir da fuga de uma prisão portuguesa, na Bahia, após ter sido obrigado a assistir ao fuzilamento do próprio pai, o Padre Roma, primeiro mártir da Revolução Pernambucana de 1817. Exilado na Venezuela, o então jovem capitão torna-se membro do estado-maior do exército de Simón Bolívar e participa intensamente da guerra de independência e do processo de implantação de regimes republicanos numa região vastíssima, que compreende seis dos atuais países sul-americanos. Como pilares desse projeto, o exercício pleno da democracia e uma educação de qualidade, ampla, popular e gratuita, metas ainda por alcançar, dois séculos depois.

De volta ao Brasil, ele continua a lutar pelos seus ideais progressistas, tendo amargado prisão em Fernando de Noronha pela sua participação como um dos “cabeças” da Revolução Praieira, em Pernambuco, no ano de 1848, E depois de morto foi obrigado ao exílio, novamente: por defender a liberdade religiosa, o bispo Cardoso Ayres proibiu seu enterro em campo santo católico, e seu corpo repousa até hoje no Cemitério dos Ingleses.

“Espero que este trabalho ajude a divulgar as fantásticas histórias de Abreu e Bolívar”, diz o autor, “pois, além de extremamente aventurosas e românticas, ajudam-nos a entender a formação política e as consequentes mazelas da nossa América Latina”.

O website ogeneraldasmassas.art.br apresenta uma versão condensada da obra, com apresentações de Maurício Rands, Caesar Sobreira e Beatriz Arcoverde. Quem se interessar pelo livro completo, poderá adquirir através de link disponibilizado no site. O design é de Célia Menezes, a produção de Beatriz Arcoverde.

< voltar para home