Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Ponto de Cultura Aláfia inscreve para oficina de rádio e cultura

Curso irá abordar o patrimônio cultural e a sua difusão por meio da radiodifusão.

O patrimônio cultural de Pernambuco e a história de Goiana em breve vão ganhar mais espaço por meio da radiodifusão comunitária. Para isso, o Ponto de Cultura Aláfia irá realizar uma oficina para formação de agentes culturais interessados em se tornarem radiodifusores. A oficina “Nossa Memória na Rádio” será iniciada nesta quinta-feira (18/12) e segue até 10 de janeiro de 2015. Serão abordadas as manifestações culturais caboclinho, maracatu, cavalo marinho, coco de roda e ciranda, considerando a origem, o desenvolvimento, a simbologia, a dança e a música. Na parte de comunicação, haverá conteúdo sobre a história da rádio e a produção de um programa, na prática, sobre o patrimônio cultural de Pernambuco e de Goiana. O curso será ministrado por Catarina Apolônio e pelo Mestre Ítalo Mário Rodrigues, com monitoria de Elaine Rodrigues e coordenação de Gabriela Apolônio.

Quem quiser participar ainda pode se inscrever gratuitamente no site http://alafiapontodecultu.wix.com/alafiapontodecultura. A atividade terá carga horária total de 64 horas, com aulas de quinta a sábado, das 8h às 18h, na Escola Técnica Estadual Aderico Alves de Vasconcelos, em Goiana.

A oficina “Nossa Memória na Rádio” faz parte de um convênio firmado entre a Fundarpe e o Ministério da Cultura, que prevê a realização de 12 atividades pedagógicas em escolas públicas de Pernambuco. Cada oficina é ministrada por um Ponto de Cultura, com a participação de um oficineiro e um mestre da cultura popular. O Ponto de Cultura Estivas já realizou oficina de percussão e dança e o Ponto de Cultura Circocidadania ofereceu aulas malabares e equilíbrio.

Dentro do convênio, também já foram realizadas oficinas de graffite, cinema de animação, dança popular, música e teatro de bonecos no Sítio Trindade, resgatando a história do Movimento de Cultura Popular encerrado na década de 60 devido ao período de ditadura militar. O convênio entre os governos estadual e federal é resultado de uma emenda parlamentar de autoria do ex-deputado Maurício Rands que garantiu os recursos para as atividades culturais.

< voltar para home