Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Programação do 23º Janeiro de Grandes Espetáculos ocupa o Teatro Arraial

Com incentivo do Funcultura, o evento começa nesta quinta-feira (12) e segue até o próximo dia 29/1

Divulgação

Divulgação

Sete montagens subirão ao palco do Arraial durante o 23º Janeiro de Grandes Espetáculos

Um dos mais importantes festivais de artes cênicas do Brasil, o Janeiro de Grandes Espetáculos ocupará, a partir do próximo sábado (14), o palco do Teatro Arraial Ariano Suassuna, com a apresentação de sete montagens: Terror e Miséria no Terceiro Reich – O Delator (14, 15, 21, 22, 28 e 29/1, às 18h); Medéa – O Evangelho (16/1, às 20h); Microclima (17 e 24/1, às 20h); Martelada (18 e 25/1, às 20h); Pa(Ideia) – Pedagogia da Libertação (20/1, às 20h); Três Tristes Gregas… (23/1, às 20h); H(Eu)stória – O Tempo em Transe (27/1, às 20h).

Nessa 23ª edição, o evento – que é uma realização da Apacepe, com incentivo do Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura, co-patrocínio da Prefeitura do Recife e apoio do Sesc Pernambuco – presta uma homenagem ao artista caruaruense Sebastião Alves, mais conhecido como Mestre Sebá, e conta, em sua programação, com 58 produções, entre teatro adulto, teatro para a infância, dança, circo, shows musicais e duas leituras dramatizadas. Há ainda o lançamento de um acervo online do Balé Popular do Recife e um vídeo documentário, uma exposição de quadros do artista Cleusson Vieira, três oficinas e um workshop, isto sem contar a programação paralela que reúne mais dez espetáculos ou performances diferentes, com destaque à estreia de A Gaivota, de Tchékhov, por atores-alunos do Curso de Interpretação para Teatro do Sesc Piedade e mostras no Espaço O Poste, Teatro Mamulengo e Espaço Cênicas, três saraus de artes, do Grupo de Teatro João Teimoso, e o lançamento de uma videodança e pesquisa da Cia. Etc. A programação começa nesta quinta-feira (12) e segue até o próximo dia 29/1.

O Janeiro de Grandes Espetáculos ocupará 14 teatros/espaços culturais diferentes entre Recife e Caruaru. Os ingressos, a preços bem variados, podem ser adquiridos antecipadamente pelo site: www.compreingressos.com/janeirodegrandesespetaculos (Tel. 81 2626 2605), ou na Central de Vendas que funcionará no Teatro de Santa Isabel, diariamente das 9h às 16h. Mais informações: www.janeirodegrandesespetaculos.com.

Confira a programação do Teatro Arraial Ariano Suassuna:

Renato Filho/Divulgação

Renato Filho/Divulgação

Terror e Miséria no Terceiro Reich – O Delator

Quando: 14, 15, 21, 22, 28 e 29/1 (sábados e domingos), às 18h
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE)
Sinopse: Obra escrita entre 1935 e 1938 pelo dramaturgo e poeta alemão Bertolt Brecht fazendo uso de recortes de jornal, notícias recebidas da resistência – ele vivia então na Dinamarca –, rádio ou qualquer forma que pudesse levar a informação além das fronteiras do Reich. A partir do trecho “O Delator”, sobre um casal de classe média em busca do filho que saiu de casa, exatamente quando a Alemanha vive a opressão do ditador Hitler, Brecht nos força a enxergar, mais do que o retrato de uma década mergulhada em equívocos, a decadência de toda uma sociedade sufocada pelo terror.

Djair Freire/Divulgação

Djair Freire/Divulgação

Medéa – O Evangelho (Leitura Dramatizada)

Quando: 16/1 (segunda-feira), às 20h
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE)
Sinopse: Baseada em “Medeia”, texto de Eurípides, a obra traz como foco a tragédia grega e seu autor maior e narra a trajetória da personagem-título dez anos após a ação de assassinato dos próprios filhos por vingança de amor. Após vagar pela terra, Medéa chega ao Olimpo, na carruagem de Apolo, pai do seu pai, e se apresenta para os deuses expondo os fatos de sua ação tresloucada. Numa visão em flashback, a direção procura na força da interpretação promover diálogos lógicos entre Medéa e as demais personagens da trama original, mesmo tratando-se de um monólogo.

Danilo Galvão/Divulgação

Danilo Galvão/Divulgação

Microclima

Quando: 17 e 24/1 (terças-feiras), às 20h
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE)
Sinopse: A partir da dança, uma visão sobre estar numa cidade que parece o cenário de um filme distópico: ilhas de calor insuportáveis, trânsito caótico, a natureza que é menosprezada aumentando o mal-estar físico e mental, uma população vítima das políticas públicas e agente das suas próprias escolhas… Como disse René Char: “Movo-me numa paisagem onde revolução e amor fazem discursos desconcertantes”.

Nilton Pereira/Divulgação

Nilton Pereira/Divulgação

Martelada

Quando: 18 e 25/1, às 20h
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE)
Sinopse: Um velho guardador de mistérios divide suas histórias, memórias, sonhos e devaneios com os que passam por sua casa. Entre a loucura e a sanidade, este homem é um velho Mateus de cavalo-marinho já afastado da brincadeira, mas que diante de um público retoma a energia do palhaço que foi para encenar e reencenar seu inferno peculiar. Inspirado num relato feito por Martelo – um dos mais antigos, Mateus de Cavalo-Marinho de Pernambuco –, o monólogo se conecta com a sabedoria popular de muitas figuras que nos cruzam o caminho e apresenta uma história cheia de realismo fantástico.

Rogério Alves//Divulgação

Rogério Alves//Divulgação

pa(IDEIA) – Pedagogia da Libertação

Quando: 20/1 (sexta-feira), às 20h
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE)
Sinopse: Este segundo espetáculo da “Trilogia Vermelha” narra a prisão do professor Paulo Freire em 1964, o Brasil de hoje e as contradições da educação como temas centrais da obra. A encenação propõe um diálogo – sempre a partir da reflexão social – que não deixa ninguém à margem da vida nacional. Política, dialética e amor servem de estímulo para atingir a libertação através das idéias, e o espectador vai sendo permanentemente colocado a ocupar/desocupar, agir/reagir a cada novo avanço da História.

Gustavo Túlio/Divulgação

Gustavo Túlio/Divulgação

Três Tristes Gregas… (Leitura Dramatizada)

Quando: 23/1 (segunda-feira), às 20h
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE)
Sinopse: A proposta é fazer uma releitura da tragédia grega através de três das suas personagens femininas centrais: Fedra, Antígona e Elektra, misturá-las com alcoviteiras, farrapos humanos e vícios, na intenção de atingir o limite entre o justo e o injusto diante dos deuses de Sócrates e das fábulas morais acerca deles, jogando com a ideia de que viver é morrer e querer é viver. A peça não deixa de ser filiada ao drama satírico, tragédia curta próxima ao ditirambo, misturando o grotesco, a seriedade e flertando com o humor.

Arthur Canavarro/Divulgação

Arthur Canavarro/Divulgação

h(EU)stória – o tempo em transe

Quando: 27/1 (sexta-feira), às 20h
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE)
Sinopse: Primeiro espetáculo da “Trilogia Vermelha” que desvela o universo apocalíptico, caótico e profético do cineasta baiano Glauber Rocha, inclusive narrando as relações dele com Pernambuco através das cartas escritas para o poeta e educador Jomard Muniz de Britto e o ex-governador Miguel Arraes. Tudo na montagem traz verdades desconcertantes, um campo em transe que vaza do palco para a plateia. E o resultado é uma obra que impressiona pela atualidade do discurso.

< voltar para home