Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Projetos incentivados pelo Funcultura participam do FIG 2014

A exposição “Instantâneas da África” e az intervenções de artes visuais “Do Outro Lado” e “Lambe-lambe Ladrilho Hidráulico” irão mudar o cotidiano de Garanhuns.

Alguns projetos contemplados com incentivo do Funcultura estão na programação da 24ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG). Entre elas, a exposição “Instantâneas da África”, do fotógrafo Diego Di Niglio, e a intervenção de artes visuais “Do Outro Lado”, de Thiago França. Ambas as atividades fazem parte de projetos que já previam a itinerância no circuito de festivais Pernambuco Nação Cultural, realizado pela Secretaria de Cultura e Fundarpe. O designer Guilherme Luigi também mudará o cotidiano da cidade com a intervenção “Lambe-lambe Ladrilho Hidráulico”. A ação é um desdobramento da fonte digital que está criando dentro de projeto incentivado pelo Funcultura.

A programação do FIG ainda agrega filmes e espetáculos incentivados pelo Funcultura e inéditos na Cidade das Flores. Na mostra audiovisual, os destaques são os premiados longas-metragens “Amor, Plástico e Barulho”, de Renata Pinheiro, e “Tatuagem”, de Hilton Lacerda. Na área de artes cênicas, foram selecionados a peça teatral “A Dona da História”, da Duas Companhia, e o espetáculo “Disse me dança”, da Cia Encena Arte Cidadania, também já contemplados em editais do Funcultura.

A 24ª edição do FIG acontece de 17 a 26 de julho em Garanhuns, a 230 km do Recife. Saiba mais sobre o festival AQUI.

Diego Di Niglio

Diego Di Niglio

“Instantâneas da África” levará imagens de paísas africanos para a comunidade quilombola Timbó.

FOTOGRAFIA – O fotógrafo Diego Di Niglio leva a exposição “Instantâneas da África” para a comunidade quilombola Timbó. A mostra reúne imagens de diferentes países africanos: Moçambique, Malaui, Burkina Faso, Senegal, Níger, Chade, Camarões, Togo, Benin e Gâmbia. Além da exposição, Diego realizou em parceria com os fotógrafos Mateus Sá e Guga Soares oficina com jovens quilombolas com o tema “Memória, identidade e herança africana”. O resultado da oficina será organizado em catálogo e documentário audiovisual. A exposição fotográfica itinerante começou em abril em Catucá, no município Goiana, e ainda passará pelas comunidades Filhos do Pajeú (Floresta) e Aguas Claras (Triunfo).

Thiago França

Thiago França

Mudar a paisagem local provocando a reflexão é a proposta do artista Thiago França

ARTES VISUAIS – O artista Thiago França irá realizar a intervenção urbana “Do Outro Lado” com fotografias de paisagens e cenas pernambucanas emolduradas em janelas de demolições. As peças serão expostas em espaços públicos da cidade de Garanhuns. A intervenção pretende atrair a atenção de moradores e visitantes para que repensem a relação com o meio, na tentativa de despertar uma maior intimidade com os lugares por vezes muito frequentados. O projeto já realizou intervenção, em Goiana, durante o Festival Pernambucano Nação Cultural, e ainda passará por Triunfo.

DESIGN – A intervenção urbana “Lambe-lambe Ladrilho Hidráulico”, do designer Guilherme Luigi, irá distribuir mil mosaicos coloridos nos muros de Garanhuns durante o FIG. Os lambe-lambes serão impressos utilizando os elementos da fonte digital Dingbat Ladrilho Hidráulico e a aplicação será nos dias 19 e 20 de julho. Dingbats são fontes tipográficas que trazem símbolos ao invés de letras. Neste caso, Luigi criou dingbats inspirados nos ladrilhos hidráulicos pernambucanos. A intervenção marca a primeira aparição pública do projeto aprovado pelo Funcutura. Para participar do FIG, o projeto foi inscrito na convocatória pública lançada pela Secut/Fundarpe.

Flávio Gusmão

Flávio Gusmão

Depois de receber vários prêmios em festivais, “Tatuagem” será exibido pela primeira vez em Garanhuns.

AUDIOVISUAL – Os premiados filmes pernambucanos “Amor, Plástico e Barulho”, de Renata Pinheiro, e “Tatuagem”, de Hilton Lacerda, farão parte da mostra audiovisual do FIG. Os longa-metragem contaram com o incentivo do Funcultura e são inéditos na Cidade das Flores. “Tatuagem”, que alcançou público de 12 mil pessoas no Recife, com a história do grupo de teatro Chão de Estrelas, liderado por Clécio Wanderley (Irandhir Santos) durante a ditadura militar. A vida de Clécio muda ao conhecer Fininha (Jesuíta Barbosa), apelido do soldado Arlindo Araújo, 18 anos: um garoto do interior que presta serviço militar na capital. Já “Amor, Plástico e Barulho” aborda o universo da música brega através de Shelly (Nash Laila), Shelly, uma jovem que sonha em se tornar cantora, inicia sua carreira como dançarina de uma banda apresentando-se em casas noturnas e programas de TV locais do Recife. Jaqueline (Maeve Jinkings), a cantora veterana da banda, é a sua inspiração e um possível espelho do seu destino.

Renata Pires

Renata Pires

A peça “A Dona da História” mostra uma mulher que reinventa seu passado 20 anos depois

TEATRO – A peça “A Dona da História”, montagem da Duas Companhia para o texto de João Falcão, integra a programação teatral do FIG 2014. O espetáculo estreou em março deste ano, no Recife, e será apresentado pela primeira vez em Garanhuns. Com direção de Duda Maia, a peça traz no elenco as atrizes Lívia Falcão e Olga Ferrário, que vivem uma mulher que resolve conversar com o seu passado 20 anos depois e vai reinventando sua caminhada. A montagem celebra os 10 anos da companhia de teatro e contou com o incentivo do Funcultura.

Daniela Nader

Daniela Nader

Livros infanto-juvenis inspiraram o espetáculo “Disse me Dança”

DANÇA – O espetáculo “Disse me dança”, da companhia Em Cena Arte e Cidadania, traz elenco formado por 11 adolescentes e jovens, que interpretam, através dos movimentos, a obra literária do escritor pernambucano Luciano Pontes, autor de livros como “Em Briga de irmão, quem dá opinião?”, “Ouvindo as conchas do mar” e “O Carrossel do tempo”. O espetáculo estreou em setembro de 2013, no Recife, com o incentivo do Funcultura. Será a primeira vez que a montagem será apresentada em Garanhuns. Com coreografia de Mieja Chang e Valéria Medeiros e direção de Marcus Rodrigues, o espetáculo de dança explorar a trajetória de vida de uma pessoa, o caminho percorrido desde as primeiras brincadeiras da infância, passando pelas descobertas na adolescência até os desafios e conquistas da juventude. O cenário tem assinatura de Java Araújo, que se inspirou nos livros pop up, nos quais dobraduras são reveladas a cada página.

< voltar para home