Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Recife Arte Urbana lança site com mapeamento de vitrais em espaços públicos

Mais uma etapa do projeto que conta com incentivo do Governo de Pernambuco estará disponível a partir desta quarta-feira (20)

O mapeamento dos vitrais espalhados por diversos espaços públicos da capital pernambucana estará, a partir desta quarta-feira (20), disponível em um site específico, o Recife Arte Pública: Vitrais. Com incentivo do Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura, o produto é resultado de uma pesquisa coordenada pela arquiteta Lucia Padilha e conta com a participação da arte-educadora Niedja Santos, produção de Janaisa Cardoso, design gráfico da Zoludesign e fotografias de Breno Laprovitera, Nando Chiappetta e Hassan Santos.

Um evento na Villa Digital (espaço multiuso da Fundação Joaquim Nabuco) está marcado para as 16h e vai marcar o lançamento do site. Na ocasião, serão distribuídos gratuitamente o mapa impresso “Recife Arte Pública” com a localização das esculturas, murais e vitrais públicos do Recife, que contou com o apoio da CEPE (Companhia Editora de Pernambuco); além de apresentação do acervo histórico-documental da Fundaj em meios digitais.

Hassan Santos

Hassan Santos

Vitral na atual Estação Central Capiba/Museu do Trem data de 1850 e tem autor desconhecido

SOBRE O PROJETO 
A cidade do Recife possui uma admirável coleção de obras de arte espalhadas por seus espaços públicos. É um acervo extraordinário que transforma a cidade em uma exposição permanente de grandes artistas do Brasil e do mundo. São monumentos, esculturas, murais e vitrais que datam do século XVII até os dias atuais. Com a intenção de tornar visível esse valioso patrimônio artístico, histórico e cultural da capital pernambucana, o projeto Recife Arte Pública realizou o mapeamento das esculturas, murais e vitrais espalhados pelas ruas, museus, bibliotecas e prédios públicos da cidade. A pesquisa apresenta mais de 100 pontos de localização para conhecer esses patrimônios construídos em espaços públicos do Recife.

“A ausência de um inventário sobre esse patrimônio material contribui para o esquecimento e desvalorização desse tesouro cultural pernambucano. A arte pública, ao ser criada para a cidade, testemunha o crescimento urbano, e deve ser vista sob esse caráter documental, um verdadeiro acervo público disponível a toda sociedade”, explica Lúcia.

Hassan Santos

Hassan Santos

Vitral no Mercado da Boa Vista (1871) – autor Louis Léger Vauthier

Em 2015, foi disponibilizado ao público o mapeamento das esculturas e murais públicos através do site e de um livreto impresso. Em 2017, o mapeamento dos vitrais também estará disponível no mesmo site. Além disso, um mapa impresso com o resultado dos três mapeamentos – esculturas, murais e vitrais – foi elaborado para ser distribuído gratuitamente com o intuito de revelar esse valioso acervo de arte pública da cidade do Recife e convidar as pessoas para conhecer de perto esta exposição a céu aberto.

Escultura – Foram mapeados mais de 100 pontos de localização que revelam cerca de 300 esculturas públicas em 32 bairros do Recife. São monumentos, esculturas, estátuas e bustos que tornam a cidade mais bela e conta a sua história através da arte. Entre as obras mapeadas estão esculturas francesas do século XVIII como as instaladas na Praça da República e Ponte Maurício de Nassau. Encontram-se obras de Francisco Brennand, Abelardo da Hora, Corbiniano Lins, entre outros grandes nomes que se fazem presentes nessa exposição a céu aberto. Mais contemporâneas instaladas às margens do Rio Capibaribe ou em praças públicas, esculturas e monumentos nascem com a vocação de fazer lembrar ou celebrar, como o Monumento Tortura Nunca Mais e as esculturas dos escritores do Recife que compõem o “Circuito da Poesia”. Contemporâneo também é o Parque de Esculturas de Francisco Brennand, com 90 esculturas do artista e a Torre de Cristal com 32 metros de altura. Muitas dessas obras reforçam a memória da nossa sociedade e constroem a cultura pernambucana.

Mural – Já entre os principais nomes da arte em mural, estão grandes artistas plásticos pernambucanos como Francisco Brennand, Lula Cardoso Ayres, Abelardo da Hora, Cícero Dias, Corbiniano Lins, entre outros. Boa parte também produzidos entre as décadas de 40 e 60 e estão disponíveis para apreciação. O primeiro mural abstrato da América do Sul encontra-se na capital pernambucana, de autoria de Cícero Dias, e está exposto na Secretaria da Fazenda do Estado. Muitos prédios recifenses abrigam nas suas fachadas a arte mural de Francisco Brennand, como o mural de duzentos metros de altura, de 1967, que ocupa metade da lateral de um edifício situado na Rua do Sol. Lula Cardoso Ayres assina mais de dez murais espalhados pela cidade, como o do hall do Cinema São Luis. Corbiniano Lins e Abelardo da Hora também contribuem com esse acervo de painéis e murais artísticos pelo Recife.

Vitral – Sempre inseridos de maneira coerente e harmoniosa nos espaços construídos, em Recife é possível encontrar vitrais da década de 1930 até o final do Século XX, presentes em exemplares da arquitetura eclética à moderna. Muitos desses vitrais encontram-se em edifícios públicos e estão disponíveis para apreciação, como os vitrais do Palácio da Justiça, de Heinrich Moser, o vitral do Cinema São Luiz, de Aurora Lima e o altar da Igreja Nossa Senhora de Fátima de Boa Viagem, que possui uma obra de Marianne Peretti, artista francesa, radicada em Olinda, e uma das maiores vitralistas do Brasil.

Com isso, o projeto Recife Arte Pública pretende oferecer a um grande número de pessoas o acesso a essa preciosa coleção de arte pública, um acervo de memórias da cultura pernambucana disponível a toda sociedade. Você poderá criar percursos para conhecer as obras de arte públicas da cidade, escolhendo bairros, autores, temas ou o que a sua imaginação achar mais interessante. Conhecer a arte pública do Recife pode propiciar experiências artísticas e novas descobertas culturais, dar novos sentidos para os espaços urbanos coletivos e motivar discussões acerca da cidade e seus lugares.

SERVIÇO:

Quarta-feira, 20 de dezembro de 2017, das 16h às 18h

• Lançamento do site “Recife Arte Pública: Vitrais” - www.recifeartepublica.com.br ;
• Distribuição gratuita do mapa impresso “Recife Arte Pública” com a localização das esculturas, murais e vitrais públicos do Recife;
• Apresentação do acervo histórico-documental da Fundaj em meios digitais na Villa Digital, espaço multiusuário criado para promover a pesquisa, a preservação e a difusão do acervo e da produção científica e cultural da Fundação Joaquim Nabuco.

< voltar para home