Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Sulanca vira tema de exposição em Santa Cruz do Capibaribe

Com incentivo do Funcultura, a mostra "Sulanca: uma Evolução Tecnológica" fica em cartaz até janeiro no Moda Center

Gilberto Geraldo/Divulgação

Gilberto Geraldo/Divulgação

Exposição conta com 100 monóculos

Fonte geradora de emprego e renda, a tradicional Feira da Sulanca de Santa Cruz do Capibaribe, município localizado no agreste pernambucano, é tema de uma exposição que, com incentivo do Funcultura, fica em cartaz até janeiro no Moda Center, grande polo comercial da cidade.

Idealizada por Beto Assis e a pesquisadora Sandra Roberta, a mostra Sulanca: uma Evolução Tecnológica retrata a transformação que o polo têxtil do município viveu ao longo das últimas seis décadas, através de fotos, máquinas de costuras e um documentário produzido especialmente para o projeto. “O documentário revela a história de diversas figuras que mantiveram ou ainda possuem alguma relação com a sulanca. É possível encontrar no vídeo várias curiosidades, como a da primeira máquina de overloque trazida para Santa Cruz, por seu Mauro Feitosa, em 1968″, contou Beto.

A exposição ainda conta com 100 monóculos (pequenos tubos de imagens) que retratam imagens da feira e de seus frequentadores nos anos 70 e 80. “Devido às festas de fim de ano, a nossa exposição tem feito o maior sucesso entre o público que frequenta o Moda Center. As pessoas se sentem retratadas naquelas imagens e é impossível passar por ali e não conferir. Além de Santa Cruz, pretendemos levar para outras cidades aonde a cadeia têxtil é bem atuante na economia local, como Caruaru e Toritama”, afirmou o idealizador sobre a receptividade da mostra no polo comercial.

Feira da Sulanca
Originada na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, a Feira da Sulanca iniciou o seu primeiro movimento de vendas na esquina entre a Rua Siqueira Campos e a Av. João Francisco Aragão. O termo sulanca durante muito tempo ficou conhecido como termo pejorativo para roupa de baixa qualidade e, conseqüentemente a Feira da Sulanca também acompanhou durante muitos anos este estigma, de só ter produtos de baixa qualidade. Atualmente, o espaço funciona como uma espécie de atacado para centenas de pequenos comerciantes de outras cidades, que chegam em ônibus fretados especialmente para a feira, vindos de diversas partes do Brasil.

O termo sulanca provém do tecido helanca. Surgiu na década de 1960, quando os comerciantes José Morais, Manuel Francisco de Deus, além de algumas famílias tradicionais da terra, tal como a Monteiro, começaram a fabricar e vender, em Santa Cruz do Capibaribe, as primeiras peças de vestuário utilizando retalhos de helanca trazidos de São Paulo, além do próprio tecido.

Serviço
Exposição Sulanca: uma Evolução Tecnológica
Em cartaz até o mês de janeiro
Onde: Moda Center Santa Cruz do Capibaribe (PE-160, 12 – Bela Vista, Santa Cruz do Capibaribe)
Acesso gratuito
Telefone:(81) 3759-1000

< voltar para home