Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Trupe circula pelo Recife com intervenções de rua

Sessões fazem parte do projeto 'O ator em situação de rua', que conta com incentivo do Funcultura e teve seis meses de pesquisa sobre a expressão

Divulgação

Divulgação

Nesta etapa do projeto, é a vez das ‘Intervenções Quase Espetaculares’ chegarem a diversos espaços do Recife

Após seis meses numa pesquisa aprofundada sobre o teatro de rua e suas singularidades, o grupo Trupe Circuluz, de Olinda, se prepara para dar início a mais uma temporada d’O Ator em Situação de Rua. O projeto, que é um estratégia de fomento ao teatro de rua realiza nesta etapa as chamadas Intervenções Quase Espetaculares em diversos espaços do Recife.

As sessões ao ar livre, gratuitas, acontecerão no centro e nas comunidades da periferia da capital pernambucana. Os encontros terão início na próxima sexta (9), quando a companhia estará em frente ao Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco, a partir das 18h. Em seguida, o grupo segue para o Alto José do Pinho, onde fará uma apresentação às 20h.

Nas intervenções, a Trupe Circuluz experimenta diferentes propostas de atuação no espaço urbano, utilizando a roda, o cortejo ou cena em coro e performances simultâneas. Os integrantes brincam em cena com a mistura do cavalo-marinho de Pernambuco com o bumba-meu-boi do Maranhão, jogando com ritmos, corporeidades, toadas e dramaturgias desses dois universos.

Divulgação

Divulgação

Uma das oficinas foi ministrada por Junior Santos, o palhaço Cuzcuz, que contou sobre seus mais de 30 anos de carreira

A pesquisa elaborada pela Trupe Circuluz, ao longo de seis meses, investigou singularidades do teatro de rua a partir de três eixos: Ator/Atriz Processos Criativos, Dramaturgia Para o Teatro de Rua e Espaço Cênico. Diversas ações já foram realizadas pelo projeto, como as oficinas, experimentos, vivências e seis grupos de estudo sobre teatro de rua.

De acordo com Raquel Franco, diretora da trupe, a maioria das ações foram realizadas na sede da Capoeira Lua de São Jorge, na Cidade Tabajara, em Olinda. “Esta é a comunidade onde grupo teatral se situa e a maioria das oficinas foram realizadas, todas com lotação máxima das turmas”. O projeto conta com incentivo do Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura.

Em uma das oficinas ministradas por Junior Santos, o palhaço Cuzcuz, o artista contou sobre seus mais de 30 anos de carreira. O momento foi de intensa troca de saberes sobre teatro de rua, brincadeiras, escuta, musicalidade, olhar e sentidos que permeiam o papel do ator de rua. O outro encontro teve a presença do Mestre Martelo, que é Mateus do Cavalo Marinho Estrela de Ouro, que também participou dos Escambos Populares, “outro momento bem rico da pesquisa”, segundo Raquel Franco.

Divulgação

Divulgação

O segundo encontro foi ministrado por Seu Marcelo Mateus, do Cavalo Marinho Estrela de Ouro

“Fizemos duas visitas a brincadeiras populares de Pernambuco, o Reisado e o Cavalo Marinho. No primeiro momento, a gente foi lá em Arcoverde, no povoado de Caraíbas, e visitamos um dos reisados mais antigos em atividade. Passamos uma tarde inteira ouvindo as canções do grupo e a história da formação do reisado, que aconteceu como herança dos pais. São todos senhores já idosos, que contaram da realidade deles e como eles fazem pra levar a brincadeira adiante. Realmente bastante inspirador, tanto pessoal como artisticamente”, narra Raquel.

O segundo encontro aconteceu no município de Condado, onde mora mestre Martelo. “Fomos até lá visitá-lo, na casa dele e passamos o dia com a família. Um encontro muito interessante, porque eles nos mostrou a indumentária, fotos, contou como confecciona o chapéu e histórias da brincadeira. Um momento muito importante, de troca de registros com ele que é o Mateus mais antigo em atividade no Brasil”.

Outra ação, mais interna, que fez parte do projeto foram os Experimentos Vivências. “A gente passou seis meses se encontrando semanalmente pra trabalhar diferentes elementos do teatro de rua, tais como a parte corporal, treinamento das danças populares, leituras de textos. A ideia era experimentar o corpo do dançarino, trabalhando os jogos, danças e elementos das festas populares”, explica a diretora do grupo. O projeto contou também com diversos seminários e debates abertos ao público sobre a temática do teatro de rua.

Todo o material resultante das pesquisas e investigações do grupo será compartilhado com o público em geral, por meio do site da trupe. “Vamos deixar um material de registro bem bacana, com nossos processos e experimentos, inclusive em formato de audiobook pra deficientes visuais”, comenta Raquel Franco.

Serviço
O Ator em Situação de Rua
Sexta (9) | 18h
Universidade Federal de Pernambuco (Av. Prof. Moraes Rego, 1235 – Cidade Universitária)
Gratuito

Programação d’O Ator em Situação de Rua em dezembro:

Sexta (9) | 18h
Local: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) – Várzea – Recife/PE

Sexta (9) | 20h
Local: R. Vespasiano – Alto José do Pinho – Recife/PE

Sábado (10) | 18h
Local: Praça do Carmo – Olinda/PE

Domingo (11) | 18h
Local: Praça do Arsenal – Recife/PE

Quinta (15) | 20h
Local: Terminal de Ônibus da Guabiraba – Recife/PE

Sábado (17) | 18h
Local: Praça da Paz, Cidade Tabajara – Olinda/PE
(Ao lado da Escola Municipal 12 de Março)

< voltar para home