Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

“Ventos de Agosto” estreia no Festival de Locarno

Saiba como foi a coletiva de imprensa com o diretor Gabriel Mascaro, a atriz Dandara de Morais e a produtora Rachel Ellis.

 

Festival del film Locarno

Festival del film Locarno

A atriz Dandara de Morais e o diretor Gabriel Mascaro na estreia do filme na Suíça.

O longa-metragem “Ventos de Agosto” estreou mundialmente no 67º Festival de Locarno, Suíça, nesta sexta-feira (08). Confira um pouco do que foi dito na coletiva de imprensa pelo diretor do filme, Gabriel Mascaro, pela atriz Dandara de Morais e pela produtora Rachel Ellis. “Ventos de Agosto” tem incentivo do Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura. As citações foram publicadas originalmente em italiano no site oficial do festival. A tradução para português foi uma cortesia do jornalista Guilherme Almeida.

Gabriel Mascaro, diretor
Comecei a viajar ao longo da costa, no Sudeste do Brasil, onde vi uma série de casas destruídas e um cemitério próximo ao mar que me impressionaram muito. Isso me fez pensar como os cadáveres criam uma relação estreita com os habitantes de um lugar: isto me levou a refletir sobre o relacionamento entre morte e vida.

No filme, há um estranho personagem, interpretado por mim, que procura gravar o som do vento. Para mim, é uma tentativa de trabalhar com os elementos: eu venho do documentário e, neste filme, procurei seja contar o impossível seja reconstruir a realidade. De qualquer forma, não considero documentário e ficção duas coisas distintas, e o mesmo vale para morte e vida, temas centrais ao filme: para mim, representam uma única entidade da qual tento me aproximar com uma abordagem convergente.

O som do filme foi completamente refeito; todos os personagens voltaram ao estúdio para dublar a própria voz. Queríamos o acesso a um novo nível de ficção, levando os não-atores a interpretarem si mesmos em um grande estúdio de gravação.

O personagem de Dandara não existia no começo do projeto, nós o criamos durante o processo: devia permanecer no set somente dois dias e depois passou vinte. As primeiras cenas são as mais importantes: o diálogo entre ela e a avó foi a primeira coisa que filmamos.

Dandara de Morais, atriz
A mulher que interpreta a avó começou a me tratar, de fato, com uma neta: passava todo o dia com ela e escutava as suas histórias. Instauramos um ótimo relacionamento.

Rachel Ellis, produtora
Este filme foi feito por seis pessoas: nós trabalhamos juntos, desenvolvendo o roteiro, e tentamos unir uma abordagem entre ficção e documentário. Foi um processo criativo realmente fantástico para todos aqueles que participaram. A montagem, então, foi um processo muito longo, que durou um ano e meio, e no qual trabalharam duas pessoas.

< voltar para home