Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Fundarpe

Alepe recebe presidente da Fundarpe e artistas da música

Marcelo Canuto e grupo de artistas da música estiveram, na última terça-feira (25), com o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Eriberto Medeiros. No encontro, foram discutidas ações para enfrentar os desafios do setor durante e após a pandemia

O presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, e um grupo de artistas da música pernambucana estiveram, na última terça-feira (25), com o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Eriberto Medeiros. Os artistas entregaram uma carta que propõe ações para o cenário da música neste momento da pandemia e no pós-pandemia. No documento, reconhecem o importante trabalho que o Governo do Estado vem fazendo nos editais e ciclos festivos, entre eles o São João e o Carnaval, e fazem sugestões para discutir as próximas ações, enquanto ainda não for possível a realização de eventos que promovam aglomerações.

Marcelo Canuto avaliou que a carta apresentada pelos artistas se soma às reflexões que já vêm acontecendo com a sociedade civil, através do Conselho de Política Cultural e de outros representantes do setor em Pernambuco. “Esse novo grupo nos procurou com suas demandas, abertos ao diálogo, demonstrando entendimento de que a superação do momento difícil por que passa o setor deve acontecer em clima de cooperação e entendimento da política que construímos até aqui”, avalia Canuto.

canuto_alepe

Assinam a carta artistas como Maestro Spok, André Rio, Almir Rouche, Maestro Forró, Gerlane Lops, Karynna Spinely, Cristina Amaral, Quinteto Violado, Beto Ortis, Novinho da Paraíba, Michelle Melo, Kelvis Duran, Zé Renato, entre outros. Nas proposições, o grupo solicita que a discussão sobre o Carnaval em Pernambuco seja adiada para outubro, e pedem participação neste momento. Também solicitam orçamento para atividades alternativas, caso se confirme a impossibilidade de realizar o Carnaval nos moldes tradicionais.

“São propostas viáveis, feitas a partir de um entendimento de como funciona a máquina pública, e que internamente nós já vínhamos debatendo com os conselhos de cultura. A discussão sobre o Carnaval será feita mais adiante, quando teremos mais condições de avaliar o cenário da pandemia, mas já podemos garantir que nosso artistas terão alternativas de trabalho nos próximos ciclos festivos”, afirmou Canuto, após a reunião na Alepe. “A conversa com esse novo coletivo foi importante para ampliar a discussão sobre ações como o Carnaval, considerando ainda o cenário de pandemia. Iremos levar esse debate para a plenária do Conselho de Políticas, e trataremos juntos das saídas apropriadas para a realização do Carnaval”, frisou Severino Pessoa, vice-presidente da Fundarpe, também presente à reunião.

< voltar para home