Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Fundarpe

Conselho de Preservação do Patrimônio tomba a antiga Casa de Câmara e Cadeia do Recife

Divulgação

Divulgação

Prédio abriga atualmente a sede do Arquivo Público Estadual.

O Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CEPPC) deferiu o tombamento estadual da antiga Casa de Câmara e Cadeia do Recife. Após a votação pelos conselheiros, por unanimidade, houve ainda a autorização do envio do Parecer nº 0021/2014 ao Iphan, para pedido de abertura do processo de tombamento federal do antigo prédio, onde atualmente funciona a sede do Arquivo Público Estadual, localizada na Rua do Imperador Pedro Segundo, no bairro de Santo Antônio.

“O prédio já se encontra com o seu exame técnico realizado pela Unidade de Preservação da Fundarpe. Agora, estamos encaminhando ao Iphan o pedido de tombamento federal, para que os próximos passos envolvendo a preservação do imóvel sejam dados, como a abertura do processo de tombamento do acervo que compõe o Arquivo Público Estadual”, explicou Rodrigo Cantarelli, conselheiro relator do processo de tombamento.

HISTÓRIA – Segundo o parecer, o edifício histórico foi inaugurado em 1732, mas teve sua pedra fundamental assentada em 31 de outubro de 1729, na antiga Rua da Cadeia Nova, hoje denominada de Rua do Imperador. “Em 1824, com a mudança da Câmara Municipal para um prédio nas proximidades da atual Praça Dezessete, o edifício passou a ser inteiramente ocupado pela Cadeia, função que abrigou até 1855, quando seus presos foram transferidos para a Casa de Detenção”, aponta a pesquisa.

“No ano seguinte, o prédio foi ocupado pelo Tribunal da Relação, órgão do poder judiciário, instalado em Pernambuco a partir de 1822, que foi substituído, em 1892, pelo Superior Tribunal de Justiça do Estado. Com a construção de um novo prédio para abrigar o poder judiciário, o Palácio da Justiça, inaugurado em 7 de setembro de 1930, o antigo prédio da Casa de Câmara e Cadeia do Recife foi desocupado e destinado a receber a Biblioteca Pública do Estado”, informa o parecer.

“Enquanto internamente o edifício foi remodelado para receber o novo uso, o seu exterior recebeu elementos decorativos de gosto Neocolonial, no entanto, mantendo-se o partido arquitetônico anterior. A Biblioteca Pública Estadual aí permaneceu até 1975, quando foi inaugurada a sua atual sede, no Parque Treze de Maio. O prédio da antiga Casa de Câmara e Cadeia do Recife passou então a ser ocupado pelo Arquivo Público Estadual, que permanece aí até os dias de hoje”, conclui o parecer. 

< voltar para home