Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Fundarpe

Estudantes do Recife vivenciam ações do projeto “Outras Palavras’

O projeto reuniu cinema, literatura e cultura popular

Foto Jan Ribeiro

Foto Jan Ribeiro

Alunos da Escola João Bezerra declamaram poesias

Os estudantes das escolas estaduais, EREM João Bezerra, Luís de Camões e Assis Chateaubriand, situadas no bairro de Brasília Teimosa, zona sul do Recife, receberam nesta quarta-feira (3), a oitava edição do projeto ‘Outras Palavras’ 2017.  A ação reuniu cerca de 83 participantes. Desde 2015, a iniciativa reúne diversas atividades que integram cultura, educação e cidadania, uma realização da Secretaria Estadual de Cultura e da Fundarpe.

Na abertura, alunos da EREM João Bezerra declamaram poesias sobre o bairro de Brasília Teimosa e emocionaram todo o público presente, inclusive escritores e artistas convidados.

A programação incluiu a entrega de kits literários com livros de autores pernambucanos para as bibliotecas das três escolas pela vice-presidente da Fundarpe, Antonieta Trindade. Estudantes participaram de um diálogo com a escritora Cida Pedrosa e o escritor Fred Caju, mediado pelo jornalista Marcos Lopes. O grupo cultural A Cocada, de Olinda, encerrou as apresentações.

Foto Jan Ribeiro

Foto Jan Ribeiro

A escritora Cida Pedrosa e o escritor Fred Caju e mediação do jornalista Marcos Lopes, na oitava edição do projeto

A gestora da Escola João Bezerra, Viviane da Silva Gomes, destacou a importância da atividade: “Temos vários talentos na comunidade, vejo como uma forma de estimular os alunos a produzirem mais e gostarem da leitura. Divulgando nossa cultura e os talentos nordestinos”. Já para a professora de geografia da Escola João Bezerra, Rosineide Nunes Moraes, “todas as escolas públicas deveriam conscientizar os estudantes sobre a preservação do Patrimônio através da leitura. A valorização cultural tem que estar presente no contexto da escola. Sem leitura não há observação do mundo. O papel da escola é transformar culturalmente o aluno”, ressaltou.

Para o estudante Lucas Oliveira, 17 anos, da Escola João Bezerra, “foi muito interessante ouvir as experiências dos escritores pernambucanos e conhecer a nossa cultura. Achei muito bonita a apresentação de uma colega da Escola Assis Chateaubriand, que recitando um lindo poema mostrou que jovem também tem talento”. O aluno do 9º ano da Escola Luís de Camões, Márcio Kleber, 14 anos, também manifestou sua opinião: “achei muito bom para aprender mais sobre a literatura na escola, uma novidade para mim, conhecer autores pernambucanos e a nossa cultura”, destacou.

Narrando sua trajetória pela literatura, o escritor Fred Caju contou: “quando comecei era bem jovem, tinha 14 anos e comecei a publicar aos 18, não tive esse contato com os escritores. A internet ajudou um pouco no processo criativo da leitura no início do meu trabalho. Acho muito importante essa troca de experiências, escrever e fazer um livro é fundamental para o desenvolvimento social e cultural. O material que utilizo para confecção de um livro é casca de ovo, papelão, filtro de café, serigrafia e carimbos, tudo isso vira um livro. Ensinar para os alunos de escola pública é muito gratificante. Para mim é ótimo transmitir um pouco de conhecimento”.

A escritora e poetisa Cida Pedrosa, destacou o projeto como “inovador, por juntar duas coisas fundamentais: a cidadania e a cultura, que transformam mentes e corações”. Ao final do diálogo, confessou: “Foi no universo das palavras e da poesia que eu me encontrei aos 12 anos. Aprendi muito cedo que tudo é poesia. O poema pode mudar o mundo, as pessoas. Eu não consigo viver sem escrever”.

Segundo a vice-presidente da Fundarpe e idealizadora do “Outra Palavras’, Antonieta Trindade, “o projeto pretende dar aos alunos a oportunidade de ter acesso aos escritores premiados e conhecer os Patrimônios Vivos de Pernambuco. Dar à juventude a chance de refletir e sonhar, de assumir vários papéis na vida. A escola precisa ser um ambiente em que aprendemos a pensar, a ter uma visão crítica sobre tudo”, concluiu.

O projeto ‘Outras Palavras’ já circulou em 259 escolas do estado, são 5.730 estudantes e professores que participaram do projeto e 3.738 livros entregues nas bibliotecas das escolas.

 

 

< voltar para home