Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Fundarpe

Música e literatura mudam a rotina escolar em João Alfredo

Edição do projeto 'Outras Palavras' foi acompanhada por mais de 150 estudantes

A cidade de João Alfredo recebeu nesta quarta-feira (17) o projeto Outras Palavras, realizado pela Secretaria Estadual de Cultura e Fundarpe. A ação contou com a presença do escritor e poeta da cidade de Passira e vencedor do premio Pernambuco de Literatura de 2013 com a obra “Discursos e Anatomias”,  Joseilson Ferreira. A manhã de trocas culturais teve ainda a participação da Banda Musical Curica, Patrimônio Vivo de Pernambuco.

Jan Ribeiro/Fundarpe

Jan Ribeiro/Fundarpe

Estudantes da cidade lotaram auditório da Escola Miguel Arraes

A vice-presidente da Fundarpe, Antonieta Trindade ressaltou a importância do projeto: “Nosso objetivo é integrar a cultura, educação e cidadania. Nós já estamos nos aproximando das 300 escolas visitadas em todo o estado de Pernambuco. Sabemos que ainda é pouco o acesso à cultura no ambiente escolar, então, é ampliar esse conhecimento”.

Jan Ribeiro/Fundarpe

Jan Ribeiro/Fundarpe

Antonieta Trindade destacou a importância do projeto

A programação iniciou com o momento de cinema, exibindo o curta-metragem criado por estudantes do curso de iniciação audiovisual do projeto Cine Cabeça, “A Hora da Saída”. O filme foi dirigido por Cynara Santos e Gabriela Freitas, tem roteiro de Lucas Cintra e Vitor Vinícius e produção de Cynara Santos e Camila Barros. Na sequência, o jornalista e cineasta Marcos Enrique Lopes mediou uma conversa com o escritor e poeta Joseilson Ferreira, que abordou temas como fazer poesia no interior de Pernambuco.

Jan Ribeiro/Fundarpe

Jan Ribeiro/Fundarpe

Joseilson foi um dos contemplados com o Prêmio Pernambuco de Literatura 2013

“Foi algo natural, a principio, iniciei com literatura de cordel. No interior, sempre tem a figura daquele vendedor de literatura de cordel. Em Passira não foi diferente, eu esperava ansioso pra ir à feira no domingo comprar livros e, com isso, foi crescendo o gosto pela leitura e consequentemente pela escrita que resultou no que faço hoje”, contou.

Sobre o processo de construção do livro de poesia “Discursos e Anatomias”, vencedor do Prêmio Pernambuco de Literatura em 2013,  o escritor ressaltou que quando começou a escrever, ainda em 1992, o investimento era muito precário. “Na década de 90, você escrevia pelo prazer. Nós não tínhamos acesso fácil a computador, tampouco à internet, portanto, era muito difícil o acesso a livros e autores. Hoje em dia, com essa facilidade de acesso, os alunos devem aproveitar para se aprofundar e conhecer cada vez mais o mundo da literatura”.

Jan Ribeiro/Fundarpe

Jan Ribeiro/Fundarpe

Estudantes recitaram poesias

O poeta falou ainda que João Cabral de Melo Neto foi sua maior influência e divisor de águas na sua escrita. Carlos Drummond de Andrade e Mário Mota também o influenciaram. “Esse papo de que escrever é um dom que você nasce com ele é ‘balela’, tudo surge a partir de sua inspiração, da entrega à leitura e da vontade de escrever”, afirmou. Joseilson falou também sobre seu primeiro livro de poesia romântica “Anjo Negro”, inspirado na poesia de João Cabral. Após a conversa, quatro estudantes aceitaram ir à frente do auditório para recitar poesias do livro premiado.

Jan Ribeiro/Fundarpe

Jan Ribeiro/Fundarpe

A Banda Musical Curica encerrou a programação

Ao final da manhã, professores e alunos ainda assistiram à apresentação da Banda Curica, comandada pelo maestro Everton Luiz Silva do Nascimento. Com mais de 167 anos de atividades ininterruptas, a Curica foi a primeira banda filarmônica a receber o titulo de Patrimônio Vivo de Pernambuco.

< voltar para home