Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Fundarpe

Outras Palavras faz balanço dos seus três anos de atuação nas escolas

Durante os quatro anos de realização do programa, o Outras Palavras atingiu 615 escolas, beneficiou 18.456 mil estudantes e distribuiu 6.514 mil livros nas bibliotecas por onde passou

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Para Antonieta Trindade, idealizadora do Outras Palavras e secretária de Cultura de Pernambuco, o objetivo principal desse projeto sempre foi ter como centro a literatura e integrar as várias outras linguagens artísticas, possibilitando aos estudantes o acesso à cultura de qualidade

Por Marcus Iglesias

Uma das metas do programa de governo Paulo Câmara, lançado em 2014, foi a promoção do diálogo e a integração entre as cadeias da Cultura e da Educação. Neste sentido, um dos mais exitosos programas da pasta da Cultura, o Outras Palavras, celebrou seus números alcançados. A iniciativa foi realizada em parceria com a Secretaria de Educação do estado, através das escolas públicas, que serviram como espaços culturais para os jovens pernambucanos. Durante os quatro anos de realização do programa, a iniciativa atingiu 615 escolas, beneficiou 18.456 mil estudantes e distribuiu 6.514 mil livros nas bibliotecas por onde passou.

Para avaliar os três anos do projeto, na manhã do último dia 12 de dezembro, no auditório do Centro de Artesanato de Pernambuco (Praça do Marco Zero), foi realizado o 1º Encontro Outras Palavras, um balanço de execução do programa com espaço para depoimento de artistas e gestores tanto da Secult/Fundarpe, quanto de escolas que participaram de suas edições.

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe
Participaram do encontro artistas da literatura, como Rejane Paschoal, Ezter Liu, Cida Pedrosa, Chico Pedrosa e Sidney Rocha, que participaram diversas vezes dos encontros nas escolas

Participaram do encontro artistas da literatura, como Rejane Paschoal, Socorro Lacerda, Marcelo Mario de Melo, Ezter Liu, Cida Pedrosa, Chico Pedrosa e Sidney Rocha, que participaram diversas vezes dos encontros nas escolas. Também estavam presentes Patrimônios Vivos de Pernambuco, como Dedé Monteiro e Lula Vassoureiro, além de outros artistas como Adiel Luna, Dudu Alves (Quinteto Violado) e Jorge Riba, da atriz Cira Ramos, bem como diversos professores, educadores e representantes das Gerências Regionais de Educação do estado.

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Também estavam presentes Patrimônios Vivos de Pernambuco, como Dedé Monteiro e Lula Vassoureiro

No processo, de 2015 a 2018, dezenas de artistas e escritores foram até as escolas públicas do estado para dialogar com os alunos e aproximá-los da arte e da cultura, sobretudo a literatura. O resultado desta troca é algo que não se mede em números, mas pode ser analisado, avaliado e festejado diante da repercussão que teve dentro do ambiente escolar de Pernambuco.

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

O Outras Palavras dialogou diretamente com uma das metas do programa de governo Paulo Câmara, lançado em 2014: a promoção do diálogo e a integração entre as cadeias da Cultura e da Educação

Para Antonieta Trindade, idealizadora do Outras Palavras e secretária de Cultura de Pernambuco, o objetivo principal desse projeto sempre foi ter como centro a literatura e integrar as várias outras linguagens artísticas, possibilitando aos estudantes o acesso à cultura de qualidade. “Não apenas isso, mas também garantir o fortalecimento do pensamento crítico da nossa juventude. Criar um ambiente escolar que estimule a criatividade. E resistir, como resistiram bravamente os parlamentares que não deixaram o projeto da Escola Sem Partido passar no Congresso Nacional”, opinou a secretária durante o encontro.

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

“É preciso pensar em como é possível avançar ainda mais. Como desenvolver uma política permanente em apoio às produções culturais das próprias escolas”, refletiu Márcia Souto

A presidente da Fundarpe, Márcia Souto, refletiu na ocasião que fazer o balanço do Outras Palavras é de uma satisfação enorme por conta das expectativas superadas. “Ele consegue fazer a junção entre a cultura e a educação de uma forma lúdica e envolvendo atores importantes da cultura pernambucana.  Precisamos cada vez mais de programas como esse, que reafirmam nossas raízes e promovem a resistência. Tenho certeza que a próxima gestão dará continuidade porque esse projeto precisa ser um programa de governo”.

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

O encontro teve a participação de outros artistas como Adiel Luna e Jorge Riba, bem como diversos professores, educadores e representantes das Gerências Regionais de Educação do estado

De acordo com Márcia Souto, o próximo desafio é fazer uma reflexão da importância e legado que o Outras Palavras deixou. “E pensar em como é possível avançar ainda mais. Como desenvolver uma política permanente em apoio às produções culturais das próprias escolas”.

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Quem também participou foi Mariângela Jansen, assessora da Secretaria Executiva de Educação Profissional, representando a Secretaria de Educação – principal parceira do Outras Palavras

Representando a Secretaria de Educação do estado, Mariângela Jansen, assessora da Secretaria Executiva de Educação Profissional, destacou que além das escolas, os estudantes puderam conhecer de perto vários equipamentos culturais que nunca tinham ido antes, como o Cinema São Luiz, por exemplo. “Fomos muitas vezes também que fomos assistir a espetáculos que fugiam do padrão de um teatro estabelecido, e que provocaram muitas manifestações artísticas dentro da escola. Porque muitas vezes os estudantes querem ser provocados pra que aflore sua arte interna. E que vocês também tenham acesso ao espaço da escola para instigar essa juventude a produzir nossa cultura e consumir arte”,
falou, se referindo aos artistas que a ouviam.

A poetisa e Secretária da Mulher do Recife, Cida Pedrosa, elogiou o projeto e sugeriu que o Conselho  Estadual de Política Cultural proponha a transformação do projeto em lei para que seja institucionalizado. O músico Dudu Alves, do Quinteto Violado, enalteceu a valorização da cultura pernambucana que o Outras Palavras possibilita e realçou a importância da manutenção e continuidade do Projeto. Já a atriz Cira Ramos realçou a importância do projeto em se tornar uma politica publica de estado. O escritor Sidney Rocha, que participou de várias edições, valorizou o fato do Outras Palavras ser direcionado ao ambiente das escolas públicas levando cultura e arte aos jovens estudantes.

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

Elimar Caranguejo/Secult-PE e Fundarpe

“Ouvimos muitas sugestões aqui, e era importante ouvi-las para que a gente possa fechar um documento de gestão sobre o Outras Palavras. E que este projeto continue vivo e se desenvolva”, pontuou Guido Bianchi

De acordo com Guido Bianchi, vice-presidente da Fundarpe e atual gestor do Outras Palavras, a ideia do encontro teve a intenção não só de apresentar um balanço, mas também ouvir as opiniões dos professores, artistas e patrimônios vivos participantes. “Ouvimos muitas sugestões aqui, e era importante ouvi-las para que a gente possa fechar um documento de gestão sobre o Outras Palavras. E que este projeto continue vivo e se desenvolva”.

DADOS DO OUTRAS PALAVRAS 2015-2018
Escolas/Instituições alcançadas: 615
Número de estudantes alcançados: 18.516
Livros distribuídos nas escolas públicas de Pernambuco: 6.514

DETALHAMENTO DAS AÇÕES
Edições Outras Palavras: 101
Edições Outras Palavrinhas: 5
Oficinas: 5
Espetáculos de Teatro: 7
Ópera: 1
Visitas Guiadas a exposições: 6
Ações em Parceria com o Programa Mãe Coruja: 9
Exibição de Filmes: 5
Participações em eventos e festivais literários: 10

< voltar para home