Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Literatura

pasárgada.doc apresenta Rejane Paschoal

A segunda temporada do pasárgada.doc apresenta a escritora Rejane Paschoal, uma das vencedoras da Terceira Edição do Prêmio Pernambuco de Literatura, com o livro de contos Manuscritos em grafite, publicado pela Cepe.

Divulgação

Divulgação

Rejane Paschoal venceu o III Prêmio Pernambuco de Literatura com o livro de contos ‘Manuscritos em grafite’

Recifense, graduada em Direito pela UNICAP e em Educação Artística pela UFPE, lecionou Artes Plásticas na Rede Municipal de Ensino, de 1981 a 2007. Em 2010, recebe Menção Honrosa no Primeiro Concurso de Literatura Infantil e Juvenil, tendo o seu livro, Histórias do Encantarerê, também publicado pela Cepe. Em 2015, passa a integrar o Grupo Literário Dom Graciliano.

Rejane Paschoal foi a primeira mulher a vencer o Prêmio Pernambuco de Literatura. “Fiquei muito contente porque sei que tem muita mulher escrevendo, e não está chegando até o fim. Eu suponho que é por questão de trabalho (que falta visibilidade). A mulher ainda é muito sacrificada na nossa sociedade. Sou eu quem faço tudo, em casa, no banco, na rua. Eu sou muitas, sou várias. Mas no meio disso tudo eu estou escrevendo”, diz ela.

A série é um projeto especial da Coordenadoria de Literatura da Secult-PE, em parceria com o Espaço Pasárgada e a coordenação do Portal Cultura.PE. Serão 12 episódios, disponíveis no canal de Literatura do portal, lançados sempre nas primeiras quartas-feiras de todo mês, até julho de 2018.

Para o secretário de Cultura, Marcelino Granja, “o programa se insere na política estadual de valorização dos artistas pernambucanos e aponta também para a necessidade de consolidarmos instrumentos de comunicação que ampliem e qualifiquem debates urgentes sobre arte, cultura e políticas públicas”.

De acordo com a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, “disponibilizar o Espaço Pasárgada como set de gravações para um programa de literatura tem um simbolismo muito forte, mas é também uma forma de sugerir a vivência equipamento cultural, que ganha mais vida a cada visita dos escritores e das escritoras”.

Confira AQUI os episódios anteriores:

< voltar para home