Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Literatura

Celeiro de poetas, Arcoverde recebe recital com música

Projeto comandado pelo poeta Allan Salles foi uma das ações do Festival Pernambuco Nação Cultural no Sertão do Moxotó.

Costa Neto/Fundarpe

Costa Neto/Fundarpe

Allan Sales e sua viola, ao lado de Clécio Rimas e outros convidados, levou música e poesia madrugada adentro em Arcoverde

Não é à toa que ela é reconhecida como um dos principais nascedouros de poetas em Pernambuco. A cidade de Arcoverde respira a expressão artística, tão viva no Sertão do Estado em forma de repente, embolada, cantoria ou recital. Uma mostra do potencial poético da região foi pincelada nesta quinta-feira (9), durante o projeto Quintas de Música com Poesia, comandado pelo anfitrião Allan Sales. A ação fez parte do Festival Pernambuco Nação Cultural Sertão do Moxotó, cuja programação se estende até o próximo sábado (11) em várias linguagens artísticas.

Para completar o misticismo poético da noite a lua, fonte de inspiração de diversos declamadores, estava cheia como manda o figurino. O encontro foi realizado na tradicional Budega da Poesia e contou com a participação da nova geração de poetas pernambucanos, nomes como Joy Carlu, de Moreno, Clécio Rimas, de Serra Talhada, e Alberone e Ícaro Tenório, estes dois últimos naturais de Arcoverde.

Allan Sales e sua viola se comportaram como os maestros da noite, seja no lado poético ou no lado musical da história. Em alguns momentos, o músico e cantador se apresentava ao lado de Clécio Rimas, que ao som do pandeiro puxava uma embolada de rima e métrica certeira. Noutros, Allan fez a base sonora para a declamação poética da Joy Carlu, com poesias próprias e de autores como Manuel Bandeira. Tiveram também as horas nas quais o cantador recitou contos e poesias de autoria própria, muitas vezes em forma de música.

Costa Neto/Fundarpe

Mas a sonoridade da noite tomou mais forma quando Allan e os arcoverdenses Alberto e Ícaro Tenório, com pandeiros e rabecas, enalteciam importantes nomes da poesia nordestina. Outro ponto alto do Quintas de Música com Poesia se deu no momento em que o microfone foi aberto ao público. Um deles, o poeta local conhecido como Sebastião, fez questão de homenagear dois personagens da cultura popular nordestina: Manuel Filó e João Paraíba, este último falecido recentemente. “Um dos poetas que falava mais bonito das coisas do Nordeste era João Paraíba”, disse Sebastião, para em seguida declamar o poema “Jesus Salva a Pobreza Nordestina – Com três meses de chuva no Sertão”.

< voltar para home