Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Literatura

Garanhuns celebra a Literatura neste 25º FIG

Praça da Palavra é totalmente dedicada à programação literária durante o Festival de Inverno. O espaço funcionará de 19 a 25 de julho, das 10h às 21h.

Eric Gomes/Secult-PE

por Leonardo Vila Nova

Como já é de praxe, Garanhuns contará com seu cantinho dedicado à literatura durante o FIG. A Praça da Palavra marca presença nesta 25ª edição do festival, trazendo aos visitantes uma extensa programação onde o universo da leitura e do imaginário literário é o grande protagonista. A começar pela grande homenageada deste ano, a escritora garanhuense Luzilá Gonçalves, que coloca a literatura na linha de frente deste FIG 2015. A programação, que ocupará a Praça Souto Filho, de 18 a 25 deste mês, sempre das 10h às 21h, contará com debates, lançamentos de livros, saraus, contação de histórias e performances ao longo de todo o festival.

Este ano, temos uma programação que, tradicionalmente, é voltada para o público adulto e o infantil. Quem for à Praça da Palavra, poderá acompanhar tanto uma programação matinal, principalmente as de contação de histórias, algo que vem se fortalecendo a cada ano, como conferir as palestras, debates, assistir às performances. Temos também uma expectativa de um público cada vez maior no stands de venda de livros, o que projeta ainda mais essa circulação de livros”, comenta o coordenador de Literatura da Secult-PE, Wellington de Melo.

Como não poderia deixar de ser, Luzilá Gonçalves terá espaço de destaque na programação. A escritora e sua obra serão abordadas em vários momentos do FIG. No sábado (18), às 19h, o escritor e professor Alexandre Furtado (UPE) conversa com a escritora sobre sua produção literária. No domingo (19), às 11h, ela relança o seu livro infantil A cabra sonhadora (CEPE), com contação de histórias. Na quinta (23), 16h, ela conversa com a também escritora Luzinette Laporte sobre o tema “Livros infantis e formação do leitor”, abordando a importância da literatura para estimular o gosto da leitura nos pequenos. E na sexta (24), às 17h, a homenageada ministra a palestra “Autores pernambucanos: um panorama”.

Outros destaques na programação: a participação do escritor paulistano Ricardo Lísias, que conversa com o também escritor Mário Rodrigues, sobre o tema “Literatura e autoficção: esses espelhos”, no sábado (18), às 16h. De 22 a 24, sempre às 10h, acontecerá “Pequenos universos portáteis”, uma intervenção facilitada por Cristiane Amador e Margarita Semperos, que irá estimular nas crianças a criação poética através de artefatos diversos que não sejam somente a palavra. O encontro da Literatura de cordel de Pernambuco e Alagoas acontece no dia 20, às 16h, em um sarau que irá reunir os poetas Cícero Emanuel (AL), Santana do Mundaú (AL), Edmilson Soares (AL), Edilene Soares Palmerina (PE), Sergio Nunes Terezinha (PE) e Dorgival Fabiano Bispo (PE).

Nova literatura se encontra
Os quatro vencedores do II Prêmio de Literatura – Wander Shirukaya, Tadeu Sarmento, Helder Herik e Rômulo de Melo – participam de um encontro na programação da Praça da Palavra. “Nova literatura pernambucana: manual de instruções” será um bate-papo com os escritores sobre um panorama da cena literária estadual, suas obras e como editais como o Prêmio Pernambuco contribuem para fomentar a cadeia produtiva local.

Performances
Para muito além das páginas dos livros, a literatura também se dá através de sons, gestos e do corpo. Neste dias de FIG, a fruição literária transcende a leitura e ganha outras possibilidades. Entre os nomes que darão novas abordagens ao seu fazer poético, destacam-se Allan Jones, apresentando a performance inédita “Intra-barulho: poesia & megafone”, que contará com as participações de Pedro Bomba e Fábio Barros.

O poeta José Juva se junta a Jonatas Onofre e Camillo José para a performance poético-musical “Poesia ao vivo”. No palco, eles dirão poemas inéditos de suas autorias, personificando o Trimúrti, baseado nos três principais deuses hinduístas: Brahma (criação), Vishnu (manutenção) e Shiva (destruição). O instante em que o poeta usa da palavra falada para dar vida à poesia, em sua potência criadora, é a tônica da performance. “O lance é dizer ‘poesia ao vivo’ e indicar que o poema, que a poesia está bem além da página, que ela acontece no momento de sua enunciação e que a palavra poética é criadora de circunstâncias, situações”, conta Juva sobre a performance.

A poesia também é memória, afeto. A jornalista Julya Vasconcelos vai registrar momentos vividos por moradores de Garanhuns na ação “Cápsulas sentimentais”. De 23 a 25 de julho, balões de hélio serão espalhados em diversos pontos da cidade. Dentro de cada um deles, uma história, uma recordação, cartas, poesias de garanhuenses que vão abrir seu coração poderão ser “lidos” por quem achá-los. “Eu pretendo unir três coisas: jornalismo, artes visuais e literatura. A ideia é conversar com as pessoas para que elas tragam memórias relativas às suas vivências na cidade, reunir essas informações como se fosse um perfil dessas pessoas e trazer isso para uma dimensão poética”, explica Julya. “Essa produção vai ter uma dupla importância: tanto o de trazer essas memórias à tona como de dar a elas esse tratamento literário. Além disso, distribui-las pela cidade, pra que qualquer pessoa possa encontrar um balão desses e conhecer a história de outra pessoa”, conta ela.

Outras ações
Poetas uniformizados baterão à porta dos garanhuenses, oferecendo poesia de graça. É o A Gente da Palavra, que irá percorrer bairros da periferia de Garanhuns, recitando poemas seus e de outros autores. Participarão Joy Carlu, André Monteiro, Clécio Rimas e Wilson China. Eles irão visitar as seguintes localidades: bairro da Boa Vista (20/7, das 14h30 às 16h30), bairro Magano (21/7, das 9h30 às 11h30) e bairro Mané Xéu (22/7, das 9h30 às 11h30).

Das 10h às 20h, a Praça da Palavra também estará promovendo o Escambo de Livros. Lá, o público poderá levar um livro seu, que esteja em bom estado (menos livros didáticos ou religiosos) e trocar por outro, incluindo livros incentivados pelo Funcultura.

Tem também os “Livros Livres”, que estarão espalhados por Garanhuns, durante todo o Festival de Inverno. Quem se deparar com um livro, pode pegar e ler à vontade. Depois de ler, é só deixá-lo em outro ponto público da cidade, para que outras pessoas tenham acesso livremente.

< voltar para home