Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Literatura

Praça da Palavra aquece a cadeia produtiva do livro e da leitura

Até agora, mais de 5 mil pessoas já visitaram os stands. Volume de vendas de publicações é recorde.

Por: Ana Beatriz Caldas

Nos cinco primeiros dias da Praça da Palavra, espaço localizado entre os palco Dominguinhos e o Parque Euclides Dourado e dedicado à literatura no Festival de Inverno de Garanhuns desde 2012, cerca de 5 mil pessoas circularam pelo local, número que já ultrapassa em 50% o da edição passada, segundo o coordenador de Literatura da Secretaria de Cultura de Pernambuco, Wellington de Melo. “Temos visitantes em todos os horários de funcionamento e mais de mil pessoas participaram de nossas atividades, como debates, palestras e oficinas. A cada ano, a estrutura se torna mais aconchegante, o que já consolidou nosso espaço como um lugar querido e ideal para parar, tomar um café e conversar”, comemorou o coordenador.

Normando Siqueira/Secult-PE

Normando Siqueira/Secult-PE

Os stands são montados na Praça da Fonte Luminosa

O grande trunfo do local, segundo Wellington de Melo, tem sido o stand do Sesc, destinado a lançamento de livros e oficinas para o público infantil. “Nosso objetivo é fidelizar o público e fazer com que as crianças cresçam com o hábito da leitura, além de participar de atividades lúdicas como oficinas de produção de brinquedos, origami etc”, lembrou, ressaltando que o FIG deixou de ser um festival apenas de música há muito tempo.

Para quem concorda com o coordenador e está a procura de novos títulos para seu acervo, a Praça da Palavra ainda possui um escambo e dois stands para compra de livros: o da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), que lançou, nesta quarta-feira (22), os títulos premiados pelo II Prêmio Pernambuco de Literatura, e o do Sebo e Livraria Armorial, que migrou de seu endereço na rua Dr. José Mariano à procura de novos clientes e colaboradores.

Normando Siqueira/Secult-PE

Normando Siqueira/Secult-PE

Movimento ocupa todos os stands durante o dia

De acordo com o proprietário da livraria, Luiz Carlos de Andrade, o crescimento da venda foi de mais de 500% com relação aos dias usuais em Garanhuns. “Apesar do momento de crise, a literatura já está consolidada como parte do festival e as pessoas não deixam de consumi-la. A cada ano que pude participar da Praça da Palavra, vejo que o interesse de moradores e turistas aumenta, até pelo clima do festival, que estimula o interesse pela cultura”, frisou.

A projeção é que, até o último dia do 25º FIG, pelo menos 9 mil pessoas tenham passado pela Praça da Palavra para discutir, conhecer ou adquirir obras literárias. Um dos grandes destaques durante a programação tem sido a literatura de cordel, pela linguagem regional, divertida e o preço acessível. Até a metade da semana, mais de 200 cordéis foram vendidos só no stand da Secretaria de Cultura de Garanhuns, onde os leitores também podem prestigiar e comprar outros livros de escritores da cidade. Já no stand ocupado pela Secretaria de Educação do município, escolas da rede pública exibem seus projetos de leitura e escrita para os transeuntes.

 

< voltar para home