Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Literatura

Programação no Recife celebra o centenário de Marguerite Duras

Artista visionária e polêmica faria 100 anos em 2014

Informações da assessoria do evento


Este é o ano em que o mundo celebra o centenário de um dos ícones do século 20: a escritora francesa Marguerite Duras (1914-1996). Entre os dias 6 e 15 de novembro, os pernambucanos terão a oportunidade de conhecê-la melhor no evento “Descobrindo Marguerite Duras”, uma homenagem da Aliança Francesa Recife, em parceria com Cláudio Kovacic, um conhecedor apaixonado da artista visionária, de escrita poética e interpretações polêmicas sobre a condição humana.

A programação, que conta ainda com o apoio do Consulado Geral da França no Recife, terá a apresentação de espetáculos, performances e música, além da exibição de filmes, de um menu temático, de debates, de um mercado de pulgas à la Paris e de um mercado gastronômico para celebrar a primavera no encerramento, dia 15. Tudo isso na unidade do Derby da Aliança.

A proposta é comemorar o centenário promovendo um diálogo com os artistas e agentes culturais da cidade, para que atualizem o pensamento e o legado de Duras, passando não necessariamente por sua obra, mas pelo espírito e por temas que marcaram sua passagem por este mundo. “A Aliança Francesa é uma associação brasileira, pernambucana, recifense que tem por missão promover o diálogo franco-brasileiro. Gostaria que ela desse a todos os artistas talentosos de Recife a oportunidade de se apropriar da língua e da cultura francesa para questioná-las, manipulá-las e reconstruí-las num intercambio fecundo”, ressalta Adrien Lafèvre, diretor executivo da Aliança Francesa Recife.

Entre os destaques da programação, a estreia do novo monólogo da atriz Ceronha Pontes, a peça “Não importa se tu me amas. Eu sou Duras”, escrita e dirigida por Cláudio Kovacic. O espetáculo, que terá nove apresentações em formato de anfiteatro, marca a segunda atuação da atriz para um ícone francês (a primeira foi Camille Claudel), desta vez em contexto pernambucano. “É uma Duras no Recife, amiga de Clarice Lispector, que reflete sobre o sentido do amor e da morte”, define Kovacic sobre o novo papel de Ceronha, também seu primeiro trabalho solo como encenador e dramaturgo.

Ainda na programação cênica, única apresentação do solo “OssoVao”, de Silvinha Góes, no dia 13, às 21h. Nele, a bailarina escritora provoca o público com palavras e poesia. Para esta ocasião, ela usará trechos escritos de Marguerite Duras em sua preparação. Também aproveitará os espaços da Aliança Francesa a artista visual e designer pernambucana Isabela Faria, com uma performance surpresa no encerramento do evento.

No evento, o cinema tem destaque com os filmes da obra de Duras, como “Hiroshima, meu amor” (1959), roteirizado por ela e dirigido pelo célebre diretor francês Alain Resnais, e “O amante” (1992), baseado no livro (1984) mais famoso da autora, vencedor do Goncourt, o mais prestigiado prêmio literário da França. Duras assinou ainda títulos como “O homem sentado no corredor” (1980), “A doença da morte” (1982), “A dor” (1985) e “Olhos azuis, cabelos pretos” (1986). A exibição de “O amante”, na sexta, dia 14, será acompanhada de um bate-papo com a professora e doutoranda em comunicação Catarina Andrade, atualmente à frente das atividades mensais do Cineclube da Aliança Francesa Recife.

Além dos filmes de sua obra, o evento aprofunda outras discussões, com a projeção de documentários ligados a questões de gênero, da coleção do Institut Français, e a exibição diária do acervo de videoarte da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). Debates sobre bissexualidade e vidas “no limite” – mediados por Tatiana Ranzani e Beatriz Ivo, respectivamente – também estão na programação (confira abaixo).

Nesta travessia de descobertas pelo universo de uma das autoras mais lidas e festejadas do século 20, a gastronomia também tem seu lugar. No dia 5, data da pré-abertura do evento, o Bistrot La Comedie, localizado dentro da Aliança Francesa, abre as portas para o público conhecer o menu temático “Claudius”, com cardápio feito a quatro mãos pelos chefs Cláudio Manoel e Cláudio Kovacic. Durante todos os dias, o menu será oferecido no almoço e no jantar, com entrada, prato principal e sobremesa no valor único de R$ 35. Estão ainda no cardápio quitutes para serem degustados durante todo o dia, a R$ 20 cada.

Sobre Marguerite Duras
Nascida em 1914, na província francesa de Gia Dinh, na Indochina (atual Vietnã), Marguerite Duras foi um dos mais significativos nomes das artes do século 20, tendo atuado como romancista, novelista, dramaturga, roteirista e diretora de cinema até falecer no ano de 1996, aos 81 anos. Engajada na Resistência Francesa durante a Segunda Guerra Mundial, Duras exerceu grande influência nos universos acadêmico e intelectual da Europa, com uma obra de teor confessional que é um verdadeiro relato sobre as paixões e desventuras da vida.

Confira a programação completa:

Quarta, 5
12h – Estreia do menu temático “Claudius”, no Bistrot La Comedie, com cardápio elaborado a quatro mãos pelos chefs Cláudio Manoel e Cláudio Kovacic*
*Todos os dias do evento, o menu será oferecido no almoço e no jantar, com entrada, prato principal e sobremesa no valor de R$ 35. Também estão no cardápio quitutes para serem degustados durante todo o dia, a R$ 20 cada.

20h – Avant première da peça “Pouco me importa se tu me amas. Eu sou Duras”
Com coquetel para convidados

Quinta, 6
18h – Mostra de Artes Visuais – Fundaj
20h – Estreia para o público da peça “Pouco me importa se tu me amas. Eu sou Duras”

Sexta, 7
16h45 – Falemos de Duras: envolvendo os alunos da Aliança Francesa na programação
do centenário de Marguerite Duras
18h – Mostra de Artes Visuais – Fundaj
20h – Peça “Pouco me importa se tu me amas. Eu sou Duras”

Sábado, 8
15h às 19h – Simplesmente Gênero: Documentários
“The ballad of genesis and lady jayne”, “Mon cerveau a t-il un sexe ?”, “Françoise
Héritier et les lois du genre”, “XXY” e “Pleure ma fille, tu pisseras moins”
20h – Peça “Pouco me importa se tu me amas. Eu sou Duras”

Domingo, 9
10h30 às 18h30 – Marche aux puces
Bazar com brechó (A Vaca Foi para o Brechó, Ateliê de Carol Monteiro e Wundabar), aquarelistas (Dan Cabral e Dani Pessoa), desenhos de Dani Acioli, livros do La Seboza Páginas Ambulantes, origamis de Eva Duarte, instrumentos artesanais do Castanho Instrumentos Percussivos, peças do Artes Artesanatos Reciclados, astrologia, dança, apresentação da banda de percussão Adamante e comidinhas de cozinheiros novos e divertidos da cidade
18h – Mostra de Artes Visuais – Fundaj
20h – Peça “Pouco me importa se tu me amas. Eu sou Duras”

Segunda, 10
18h – Mostra de Artes Visuais – Fundaj
20h – Peça “Pouco me importa se tu me amas. Eu sou Duras”

Terça, 11
18h – Mostra de Artes Visuais – Fundaj
20h – Peça “Pouco me importa se tu me amas. Eu sou Duras”
21h15 – Simplesmente bissexualidade: “barbi-papo” entre Tatiana Ranzani Maurano (psicóloga social especialista em assuntos LGBT) e convidados

Quarta, 12
18h – Mostra de Artes Visuais – Fundaj
20h – Peça “Pouco me importa se tu me amas. Eu sou Duras”
21h15 – Simplesmente no limite: vinho e verbo com Beatriz Ivo (jornalista e consultora sênior especialista em marketing e comunicação) e convidados

Quinta, 13
18h – Exibição do filme “Hiroshima, mon amour”
20h – Peça “Pouco me importa se tu me amas. Eu sou Duras”
21h – Solo de dança “OsseVao”, de Silvinha Góes

Sexta, 14
17h – Exibição do filme “O amante” + bate-papo com Catarina Andrade (Cineclube da Aliança Francesa Recife)
19h – Apresentação ao ar livre de violino e violoncelo

Sábado, 15
11h às 17h – Alegoria da primavera: encerramento dos festejos com performance da artista visual Isabela Faria, performance musical de tango de Mayra Clara Vitorino, mercadinho de quitutes, música e dança. Participam do mercadinho: Kovacic A Arte de Cozinhar, Ana Claudia Frazão, Siwichi, Vegetariano, Sociedade Vegana Brasileira, Lucas Piubelli, A Comedie, Nathalia Mesquita Drink’s, Mrs. Peppers – Charcutiere, O Tapete Mágico e outros.

SERVIÇO:
Descobrindo Marguerite Duras
Quando: De 6 a 15 de novembro, com pré-abertura no dia 5 para convidados
Onde: Aliança Francesa do Derby (Rua Amaro Bezerra, 466)
Acesso gratuito, com entrada a R$ 15 para a peça “Não importa se tu me amas. Eu sou Duras”

Informações: (81) 3202.6262, pelo site www.af.rec.br ou pelo hotsite www.af.rec.br/duras

< voltar para home