Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Notícias cultura.pe

Mestre Zé Alfaiate prepara mais um Carnaval do Caboclinho 7 Flexas

Por: Roberto Moraes Filho

Com 90 anos de idade, o resistente carnavalesco José Severino dos Santos, ou simplesmente Mestre Zé Alfaiate, recebeu a equipe do Cultura.PE em seu apartamento, que também é uma extensão da sede do Caboclinho 7 Flexas do Recife, no bairro de Água Fria. Em meio aos inúmeros adereços e fantasias que o mestre vai finalizando para o Carnaval 2015, ele falou um pouco sobre sua constante luta para que a agremiação seja mantida pela família.

Costa Neto

Costa Neto

Aos 90 anos, Mestre Zé Alfaiate segue como referência maior do grupo, que é Patrimônio Vivo de Pernambuco

O caboclinho iniciou suas atividades no final da década de 1960, em um terreiro de umbanda na cidade de Maceió, em Alagoas. Em 1971, foi transferido para o Recife, onde oficialmente foi fundado e teve o nome atribuído ao guia espiritual Caboclo Sete Flexas. Não são poucas as conquistas do grupo desde então, sendo a mais inesquecível, o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, alcançado em 2008. Alguns registros da passagem do grupo por países como França, Itália e Cuba, além de diversos troféus conquistados estão ali, na sala de estar de seu fundador.

“Nossa agremiação não se preocupa muito com reconhecimentos, embora troféus e outras lembranças tenham um lugar especial nesta casa. A grande conquista é compartilhar com cada integrante, a tradição dos nossos rituais e ir construindo nossa história. Posso ser um campeão carnavalesco há 10 anos, mas não abro mão de dividir a cota com cada um dos que fazem parte do caboclinho”, comentou Zé Alfaiate.

Dos momentos à frente do grupo, um dos que mais especiais para o mestre foi o da aproximação com o multiartista pernambucano Antônio Nóbrega. “Quando ele estava iniciando a carreira, fui seu professor de caboclinho. Nóbrega já chegou no auge da representação com seus trabalhos dedicados à cultura pernambucana e mesmo reconhecido nacionalmente por isso, continua com aquele jeito simples de quando o conheci. Até hoje somos amigos”, comemora.

Alguns problemas de saúde fizeram o mestre Zé Alfaiate passar a presidência da agremiação para seu filho mais velho, Paulo Sérgio dos Santos Pereira, o popular Paulinho 7 Flexas. “Não tenho mais a obrigação de acompanhar os desfiles carnavalescos do caboclinho. Mas dou conta do recado como posso e sei do esforço do meu filho, para que tudo saia da forma que sempre fizemos”. E completou: “O tempo que me resta ainda será suficiente para repassar a Paulinho tudo o que pra ele manter o 7 Flexas num lugar de destaque. Já trabalhei muito por isso, agora chegou a vez dele”.

Desde o ano passado, Paulinho 7 Flexas é o responsável pela organização do caboclinho para os desfiles no Carnaval. Durante nossa visita ao mestre Zé Alfaiate, ele falou sobre sua história de 46 anos dedicados à agremiação e os trabalhos como novo presidente. “Fui inserido nas atividades ainda criança. Sem dúvida, me identifiquei mais com a dança, ocupando o posto de puxante das loas. Como novo presidente do caboclinho, tive a responsabilidade de preparar a agremiação para o desfile deste ano no Recife”, disse.

O desafio será concretizado na terça-feira (17), no Forte do Brum, onde o 7 Flexas irá apresentar novidades com a formação de várias alas pelos seus 150 integrantes. Compostas por cores e símbolos que representam as cidades do Recife e de Brasília, além de países como Portugal, França, Uruguai e Paraguai, as inovações adotadas nos figurinos prometem surpreender muita gente. “A tradição dos passos e ritmos continuam”, ressaltou Paulinho, reverenciando seu pai.

Conheça AQUI um pouco mais sobre a história do Caboclinho 7 Flexas

< voltar para home