Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

MÚSICA

Alceu Valença e Orquestra Ouro Preto apresentam “Valencianas II”, no Parque Dona Lindu

O show será neste domingo (27), às 18h, em Boa Viagem. A entrada é franca

Após a bem-sucedida parceria entre Orquestra Ouro Preto, o cantor e compositor pernambucano Alceu Valença estreia, no próximo domingo (27), às 18h, no Parque Dona Lindu (Boa Viagem), o concerto Valencianas II. O acesso é gratuito.

Naty Torres/Divulgação

Naty Torres/Divulgação

A estreia da segunda temporada do concerto será no Recife

Com o desafio de trazer ao público novas músicas, novos arranjos e vai abranger ainda mais sucessos do artista, o espetáculo, além do Recife, já tem em São Paulo, Belo Horizonte e na cidade do Porto, em Portugal, onde gravam o CD e DVD Valencianas II, na Casa da Música. Em seguida, dia 21, será a vez de Lisboa acompanhar ao vivo o espetáculo, encerrando a passagem por Portugal.

Valencianas II
A Orquestra Ouro Preto, regida pelo Maestro Rodrigo Toffolo, e o cantor e compositor Alceu Valença, lançam a 2ª edição de Valencianas, com novas obras no repertório que pretendem surpreender os fãs da poesia de Alceu, com ainda mais beleza e sonoridades musicais. “Alceu é um ícone da música popular brasileira por sua eterna ousadia e, ao mesmo tempo, contemporaneidade. Por isso acreditamos que depois de cinco anos, estava na hora de, mais uma vez, associar os ritmos do sertão e o folk da guitarra elétrica de Alceu à música de concerto impregnada de versatilidade da Orquestra Ouro Preto”, conta o maestro Toffolo lembrando que a parceria entre a música de concerto e a música popular brasileira surpreendeu até seus produtores que viram nesses cinco anos de projeto teatros sempre com ingressos esgotados dias antes das apresentações e plateias encantadas com a performance dos parceiros.

E o sucesso foi além dos teatros. Com a gravação do CD e DVD Valencianas, Alceu Valença e Orquestra Ouro Preto tiveram o trabalho elogiado pela crítica levando-os a receber o Prêmio da Música Brasileira, em 2015, como melhor disco de MPB, categoria de maior prestígio da tradicional premiação.

No repertório novo, os inúmeros sucessos que ficaram de fora do primeiro espetáculo deixaram margem para que fosse árdua a tarefa de selecionar as canções que fariam parte desta segunda edição. O Maestro Rodrigo Toffolo revela algumas: “Como Dois Animais”, “Dia Branco”, “Solidão” “Tesoura do Desejo”, “Taxi Lunar” e “Pelas Ruas que Andei”. Escolhidas a dedo por Alceu, estas obras prometem emocionar o público, em arranjos especialmente confeccionados por Mateus Freire, que também propõe uma nova Suíte Orquestral para abertura do espetáculo”, revela Rodrigo Toffolo.

“Mais uma vez, o que queremos é proporcionar um encontro inesquecível entre a música de concerto e a música de Alceu Valença, com Valencianas 2. Uma forma não só de homenagear este mestre da MPB, bem como a brasilidade que a obra de Alceu nos remete”, conclui Rodrigo Toffolo.

Histórico
Valencianas, a primeira edição do espetáculo, foi concebida em 2010, para celebrar os 40 anos de carreira de Alceu Valença, fruto do encontro com Paulo Rogério Lage, que há tempos planejava proporcionar contornos orquestrais à sua obra, juntamente com o maestro da Orquestra Ouro Preto e o homenageado. Até então, o trabalho do cantor e compositor pernambucano, não havia recebido tal tratamento, o que representou uma experiência inédita na carreira de Alceu. O sucesso da parceria foi absoluto, levando mais de cem mil pessoas a teatros e praças no Brasil e em Portugal.

Com a gravação do CD e DVD Valencianas: Alceu Valença e Orquestra Ouro Preto, em 2014, o trabalho, elogiado pela crítica e festejado pelo público, ganhou o Prêmio da Música Brasileira, em 2015, como melhor disco de MPB, categoria de maior prestígio da tradicional premiação. Já nas mídias sociais e em aplicativos de streaming, o sucesso da parceria alcançou números inimagináveis, tanto para artistas da MPB, quanto para Orquestras, registrando, por exemplo, mais de 30 milhões de visualizações e listenings no YouTube e Spotify, respectivamente.

A Orquestra
Uma das mais prestigiadas formações orquestrais do país, a Orquestra Ouro Preto tem como diretor artístico e regente titular o Maestro Rodrigo Toffolo. Premiado nacionalmente, o grupo jovem vem se apresentando nas principais salas de concerto do Brasil e do mundo. A orquestra foi criada em 2000 e seu trabalho é marcado pelo experimentalismo e ineditismo.

A essência da Orquestra Ouro Preto está em tornar a música de concerto acessível e interessante ao público, tirando a música erudita das salas de concerto e levando até o público em um exercício de popularização do estilo. Por isso, maestro e músicos estão sempre atentos ao exercício de desmistificar o estilo, tornando-o atraente aos ouvidos de todos.

A fórmula escolhida pela Orquestra Ouro Preto para isso é a junção entre a excelência e a versatilidade, a mistura entre o clássico e os estilos mais populares, fazendo um encontro milenar da música clássica com o rock, a MPB e até o hip hop, linguagens amplamente difundidas e repletas de contemporaneidade. Parte daí a especial atenção do grupo à efervescência cultural da américa Latina, com foco na música brasileira de concerto e nas demais manifestações musicais de países vizinhos, assim como à pesquisa e difusão do repertório vinculado à Escola Mineira de Compositores do Séc. XVII

Maestro Rodrigo Toffolo
Rodrigo Toffolo é diretor artístico da Orquestra Ouro Preto desde sua fundação, em 2000, e assumiu a regência titular do grupo em 2007, após formação junto ao Maestro Ernani Aguiar, um dos maiores compositores e pesquisadores brasileiros em atividade. Doutorando em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa (Portugal) e Mestre em Musicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rodrigo Toffolo imprimi na Orquestra uma visão ampliada de gestão e musicalidade, que ele gosta de conceituar como “excelência e versatilidade”.

Serviço
Orquestra Ouro Preto e Alceu Valença estreiam Valencianas 2 em Recife
Quando: 27 de outubro, domingo, 18h
Local: Parque Dona Lindu (Av. Boa Viagem, s/nº, Boa Viagem – Recife/PE)
Entrada Franca

< voltar para home