Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

MÚSICA

Polo Hip-Hop presta homenagem ao movimento Manguebeat

A programação do evento, que acontece no próximo domingo (16), contará com vários shows, danças, DJ e beats. O acesso é gratuito

Divulgação

Divulgação

O Polo Hip-Hop ocupa o palco montado às margens do rio Capibaribe, no Cais da Alfândega

A Associação Metropolitana de Hip-Hop de Pernambuco (AMH2PE) realiza, neste domingo (16), a 17ª edição do Polo Hip-Hop, no Cais da Alfândega. A edição deste ano vai homenagear o movimento Manguebeat e promete agitar a tarde do Recife Antigo, com muitos shows, danças, DJ e com muitos beats. O evento tem o objetivo de romper os estigmas de que o rap e o hip-hop são ambientes excludentes e machistas e promovem a representatividade da identidade negra e feminina nos palcos.

O evento, que começa às 16h e vai até às 0h, conta com apresentações musicais de grupos de RAP de dentro e de fora do Recife. Além dos shows, haverá espaço para danças urbanas como o break e o popping (dança baseada na técnica de contrair e relaxar os músculos de forma rápida, como o Moonwalk de Michael Jackson, por exemplo) e a presença do DJ Stanley, que se apresenta nos intervalos de cada atração e que vai fazer o público dançar ao som de beats renomados. O Polo Hip-Hop 2020 é uma realização da Associação Metropolitana de Hip-Hop de Pernambuco, tem o incentivo da Prefeitura do Recife e o apoio da Secult-PE/Fundarpe.

O Polo Hip-Hop 2020 também conta com grafiteiros que vão desenvolver sua arte nas paredes de uma zona reservada para este tipo de trabalho. A mostra de grafite será responsabilidade dos artistas Téo Armando, conhecido pela série de grafitagens com o tema da cultura pernambucana na mostra R.U.A, e Guerreiro Master, um dos primeiros grafiteiros de Pernambuco e amante do funk e do break, já que fez parte de grupos como a Roboy, Break Brothers e Rock Master Crew.

Com a presença de Lula Dias e Mary Periférica como mestres de cerimônia (MC’s), o grande destaque deste ano é a produção de um EP do Polo Hip-Hop 2020. Cada artista que se apresentar no palco deve ter uma faixa no álbum musical. A edição deste ano é a segunda desenvolvida pela nova gestão da AMH2PE, que tem a coordenação-geral de Sérgio Melo.

Uma das novidades da edição deste ano é a realização de um Cortejo. O TCM Mangue Boys vai realizar um arrastão pelas ruas do Recife Antigo, às 16h, com a presença do boneco gigante de Chico Science, maior representante do Manguebeat, movimento homenageado nesta edição do Polo Hip-Hop. Após o encerramento do desfile, que será no palco onde as apresentações musicais serão feitas, os shows musicais começam.

Sobre o Polo Hip-Hop 2020, Sérgio explica que “quer tornar o festival mais heterogêneo. Precisamos tentar trazer a perspectiva feminina através da presença de mulheres no palco. O hip-hop é uma forma de luta contra o obscurantismo e faz com que as pessoas reconheçam o seu lugar de fala. A luta contra qualquer tipo de preconceito é uma luta diária e o festival vem somar com esta luta”.

::PROGRAMAÇÃO DO POLO HIP-HOP::

16h – TCM Mangue Boys (Cortejo)
17h – Ibura Bagdá
18h – A Cria
19h – Lua MC
19h55 – Gustavo Pontual
20h50 – Rock Master Crew (danças urbanas)
21h – Sistema X
22h – Mundo Livre S/A
DJ residente: DJ Stanley
Mestres de Cerimônia: Lula Dias e Mary Periférica
Mostra de Grafite: Guerreiro e Téo Mova-se

Serviço
Polo Hip-Hop 2020
Quando: 16 de fevereiro (domingo), a partir das 16h
Onde: Cais da Alfândega
Acesso gratuito

< voltar para home