Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

A noite é de dança no Palco Nação Cultural

Móveis Coloniais de Acaju estreia em Arcoverde (Foto: Divulgação)

Móveis Coloniais de Acaju estreia em Arcoverde (Foto: Divulgação)

Cultura popular pernambucana e uma atração inédita no Sertão do Moxotó estão na grade desta quinta (18/4)

Por Leonardo Vila Nova

A programação do Festival Pernambuco Nação Cultural segue movimentando a cidade de Arcoverde, no Sertão do Moxotó. E o Palco Nação Cultural é o principal ponto de encontro das grandes atrações musicais que se apresentam nestes dias.

Na noite desta quinta-feira (18/4), a cultura popular abre os trabalhos, às 21h, ao som da rabeca do Mestre Luiz Paixão, que mostrará o vigor da sua música concebida nos forrós de engenho e que hoje encanta gente nos quatros cantos do mundo. No show, ele apresentará canções do seu disco “Pimenta com pitú” e do seu novo trabalho, “A arte da rabeca”, com lançamento previsto para maio.

Em seguida, sai de cena o forró e o cavalo-marinho e entra o coco. Mestre Ciço leva ao palco o Samba de Coco Trupé de Arcoverde. Com o gingado e o ritmo contagiante de sua dança, o grupo vai botar todo mundo na brincadeira, que já é tradição e ultrapassa gerações na cidade. O repertório da apresentação está no CD “Vamo pra lá, vamo pra cá e não deixe o coco parar”, lançado recentemente.

Pela primeira vez tocando em Arcoverde, quem vem na sequência é a Academia da Berlinda, que desce as ladeiras de Olinda e chega ao Sertão do Moxotó com suas guarachas, merengues e cumbias, além de uma vestimenta moderna e um jeito caliente e debochado de ser. O repertório é recheado de sucessos dos seus dois álbuns, “Academia da Berlinda” e “Olindance”.

Também estreando em Arcoverde, a banda brasiliense Móveis Coloniais de Acaju, que encerra a noite, coleciona passagens por Olinda e Recife, além de Garanhuns. As performances frenéticas, divertidas e – principalmente – interativas do grupo têm se tornado uma atração à parte nos seus shows. Além de, é claro, a mistura de ska, hardocre, pós-punk , garage rock e a autêntica irreverência brasileira, que eles definem como “feijoada búlgara”. No show desta noite, canções dos álbuns “Idem” e “C mpl te”. E, como não poderia deixar de ser, em se tratando de Móveis Coloniais de Acaju, surpresas são esperadas no palco (ou fora dele).

A programação do FPNC é totalmente aberta ao público. O Palco Nação Cultural está montado na Praça Virgínia Guerra, Centro de Arcoverde. Os shows começam sempre às 21h.

Coreto
Para aqueles que querem assistir a uma programação mais diversa, o eclético Polo Coreto, na Praça da Bandeira, centro de Arcoverde, é o local certo. Ele será ponto de encontro entre a música e outras expressões artísticas – como o circo e a poesia. Sempre a partir das 17h. Nesta quinta (18/4), a programação abre com a apresentação do Cia. Garret Circus, com o espetáculo Circo-lando Arte, que resgata a veia mambembe das performances de rua, com uma linguagem contemporânea.

Quem vem na seqüência é Helton Moura e O Cambaio, banda com origem em Arcoverde, que mescla influências poéticas do trovadorismo e a sonoridade setentista do Udigrudi de Ave Sangria e Lula Côrtes. Em Canto e Poesia, a terceira atração, irá presentear o público com sua música de forte veia lírica, recheada de poesia do Alto Sertão do Pajeú. Fechando a programação do dia, o projeto Coração de Poeta, de Sertânia.

Confira a programação do Palco Nação Cultural até sábado (20/4):

Quinta-feira, 18/4
- Luiz Paixão
- Samba de Coco Trupé de Arcoverde
- Academia da Berlinda
- Móveis Coloniais de Acaju (Brasília)

Sexta-feira, 19/4
- Nume
- Juliano Holanda
- Mombojó
- Di Melo

Sábado, 20/04
- Vertin Moura
- Radiola Serra Alta
- Os Sertões
- Otto

 

< voltar para home