Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Cinema em Conceição das Crioulas

Comunidade assistiu a cinco curtas pernambucanos na mostra (Foto: Clara Gouvêa)

Comunidade assistiu a cinco curtas pernambucanos na mostra (Foto: Clara Gouvêa)

Por Chico Ludermir

A Comunidade de Conceição das Crioulas, importante quilombo pernambucano em Salgueiro, recebeu nesta terça-feira (22/5) a Mostra Cinema na Estrada. Inserida na grade do Festival Pernambuco Nação Cultural do Sertão Central, a programação contou com cinco curtas: “Vou estraçaiá”, “Cinema americano”, “Dia estrelado”, “Menina do algodão” e “Poesia em alto relevo”.

A partir das 19h, os alunos da escola municipal Professor José Mendes foram enchendo o auditório da Associação Francisca Ferreira e, quando as luzes se apagaram, o pouco que se viam eram rostos atentos. Os meninos do 6º ao 9º ano respondiam a cada filme, ora com risadas, ora com espanto. E assim foi do primeiro ao quinto filme.

Para Cícero Antônio da Silva, aluno do 6º ano, o filme mais marcante foi “Dia estrelado”, que retrata, em stop motion, um cenário de seca. “A gente está nessa mesma situação precária de falta d’água”, disse. Em consonância, a professora Eliane Dionísio acrescentou: “Ele conta a nossa história. Só está faltando a gente chorar pedra”, disse, aludindo a uma cena do curta.

Mas também teve quem gostasse do clima descontraído do “Vou estraçaiá”, documentário sobre o pugilista Todo Duro. “Eu achei engraçado. Gostei do jeito que eles falam”, contou Ivanildo da Silva, de 17 anos. Aluno do 8º ano, Ivanildo confessou gostar muito de cinema, apesar de assistir pouco.

“A mostra vem justamente para estimular este hábito”, explicou Mauro Lira, assessor da Coordenação de Audiovisual da Secretaria de Cultura de Pernambuco. “Onde não existem cineclubes, as ações vêm para instigá-las. Onde já existe, como é o caso de Conceição das Crioulas, o que a gente faz é estimular ainda mais”, reforçou.

Conceição das Crioulas e o audiovisual

Conceição das Crioulas tem sua origem ligada a seis mulheres negras que lá chegaram por volta de 1802. Com o dinheiro da venda de algodão, conseguiram comprar “três léguas em quadra” de terra (cada légua corresponde a 6km) e construíram uma capela para Nossa Senhora da Conceição, em homenagem a uma imagem da santa que lá existia. Daí o porquê do nome que faz referência à Nossa Senhora e às negras.

A partir da década de 1930, se intensificaram os confrontos com fazendeiros vizinhos, o que resultou na perda de 70% do território da comunidade, incluindo as terras mais férteis. Desde 2000, quando foi reconhecida pela Fundação Cultural Palmares como comunidade quilombola, o Incra vem conduzindo o processo de indenização para a desapropriação das terras antigas, o que também tem acirrado os conflitos.

Desde sua origem, a comunidade tem uma ligação forte com a arte, em especial com o artesanato. Primeiro com o algodão, depois com a fibra do caruá, a argila e a palha de catolé. “O artesanato é uma forma de contar a nossa história”, afirmou Adalmir José da Silva, sócio e voluntário da AQCC – Associação Quilombola de Conceição das Crioulas.

Além do artesanato, Conceição das Crioulas vem investindo em outra arte: o audiovisual. Desde 2005, existe a produtora Crioulas Vídeo, que já conta com mais de 10 documentários com temáticas da região. Através do projeto Tankalé (que na língua iorubá significa “contar para todo mundo”), a Crioulas Vídeo tem dado oficinas também em outras comunidades quilombolas.

“O Crioulas Cine surge da necessidade de mostrar os vídeos na comunidade”, explicou Adalmir. O cineclube vem realizando mostras de vídeo em parceria com as três escolas da comunidade, em exibições semanais desde 2009.

“Os debates no início eram tímidos. Mas depois os participantes começaram a se envolver cada vez mais. O cinema leva as pessoas a terem outra visão do audiovisual, para além das novelas. Traz reflexão e contribui na formação das pessoas”, disse Adalmir.

Confira programação* da Mostra Cinema na Estrada no Sertão Central

Parnamirim
Quarta-feira, 23/5, 19h –  Local: Escola Estadual Antônio de Carvalho

São José do Belmonte
Quinta-feira, 24/5, 19h – Local: Castelo Armorial

Mirandiba
Sexta-feira, 25/5, 19h – Local: Ponto de Cultura Vivendo Cultura (Zumbi dos Palmares)

Verdejante
Sábado, 26/5, 19h – Local: Espaço Cultural Cícero Lopes de Sá

* Os filmes exibidos são os mesmos curtas apresentados em Conceição das Crioulas

< voltar para home