Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Encontro literário encerra FPNC do Moxotó

O Festival Pernambuco Nação Cultural do Sertão do Moxotó se despede este domingo com um dos principais destaques da programação de 2012 na região: o I Encontro de Escritores em Sertânia, programado para as 18h, na Praça da Academia da Cidade.

A ideia é reunir escritores e outros artistas que tenham ligação forte com a poesia e com a região do Moxotó, como é o caso de Lirinha e Silvério Pessoa, que estarão presentes na mesa. Além deles, Ésio Rafael, Josessandro Andrade, Luiz Pinheiro, Wilson Freire, Marcelino Freire e Valéria Fagundes estarão no encontro. O intuito é “promover uma discussão da identidade cultural daquela região, com a questão dos êxodos, das idas e vindas, de você de repente ser de uma região e sair dela. E como se dá o diálogo com a produção contemporânea”, explica Wellington de Melo, coordenador de Literatura da Secretaria de Cultura de Pernambuco.

Segundo ele,“o encontro vai ser em uma praça pública, num lugar aberto. As pessoas têm a ideia de que a literatura precisa ficar em lugares fechados. E a gente tem essa proposta de sempre tentar fazer literatura e ir pra rua, mostrar que a literatura é acessível às pessoas, tentando fazer uma coisa não só para iniciados. Literatura com o pé no chão mesmo”.

A escolha por Sertânia não foi à toa. “A cidade tem uma tradição literária interessante. Uma coisa peculiar de lá é que você tem uma tradição tanto de poetas como também de prosadores. Marcelino Freire e Wilson Freire são dois escritores que são de lá. O próprio Marcelino, por exemplo, é premiadíssimo como contista. Já Wilson tem uma produção tanto de conto como de romance e poesia. Há uma tradição consolidada dentro de Sertânia. Existe, por exemplo, um jornal de poesia, que já tem uns 20 e poucos anos: o ‘Cabeça de Rato’, talvez o mais antigo do estado. É interessante fortalecer essa tradição que existe em Sertânia”, diz Wellington, justificando a escolha da cidade para sediar grande parte dos eventos literários do FPNC do Moxotó.

Marcelino Freire, radicado em São Paulo, fala de seus sentimentos e expectativas em relação ao encontro: “É sempre muito emocionante voltar para Sertânia, de onde saí com apenas 3 anos. Toda vez que volto pra Sertânia eu lembro da minha mãe, dessa retirante que saiu da cidade com nove filhos para que eles pudessem estudar. Voltar como escritor para conversar exatamente sobre literatura, e como isso se dá naquela cidade, naquela região, é como um agradecimento. É uma alegria voltar”.

A programação literária de Sertânia contou ainda com oficinas, o projeto itinerante de poesia A Gente da Palavra e o Disk Literatura, que aconteceu durante todo o sábado (14/4), como uma espécie de delivery de poesia.

Marcelino Freire

Marcelino Freire

< voltar para home