Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

FPNC em noite para dançar agarradinho

Por Leonardo Vila Nova

A noite dessa sexta (2/8), no Palco Nação Cultural, em Triunfo, foi de muito forró e romantismo. Uma multidão, com gente de várias idades, vindas até mesmo de fora do estado, foi conferir as atrações do FPNC, que chegou ao Sertão do Pajeú com a proposta de levar artistas para públicos diversos. Entre as atrações, Liv Moraes e Adilson Ramos fecharam a noite.

Liv Moraes homenageou o pai, Dominguinhos (Foto: Costa Neto)

Liv Moraes homenageou o pai, Dominguinhos (Foto: Costa Neto)

Homenageando o pai, o músico Dominguinhos, a cantora Liv Moraes subiu ao palco com um show especial. O forró foi a tônica da sua apresentação. De cara, um pot-pourri que trazia “Tenho sede”, “Sete meninas” e “Eu só quero um xodó”, talvez, o maior dos sucessos do sanfoneiro – o coro do público em peso foi a prova disso. E a saudade foi inevitável. A cada momento, Dominguinhos era relembrado através das suas canções, da sua música, herança maior que poderia deixar para a filha. Outros clássicos  – de Dominguinhos e de outros compositores – também fizeram parte do repertório, como “Jogo de cintura”, “Olha pro céu, meu amor”, “Isso aqui tá bom demais”, “Pedras que cantam” e “Frevo mulher”.

O romantismo de Adilson Ramos contagiou o público (Foto: Costa Neto)

O romantismo de Adilson Ramos contagiou o público (Foto: Costa Neto)

E o clima frio da Triunfo foi um pretexto pra ficar agarradinho com seu par. Ao som de Adilson Ramos, a pedida foi ainda mais certeira. Chamando o público para “dançar que nem antigamente, coxa com coxa”, Adilson reverenciou o romantismo, sua marca registrada há mais de cinco décadas. A energia vibrante do cantor, que não para um segundo sequer no palco, é um dos seus maiores trunfos no palco. Parecendo um menino que acaba de descobrir o amor, Adilson compartilha desse sentimento com seu público, embalando os casais apaixonados. Canções como “Sonhar contigo”, “A chuva me lembrou você”, “Olga”, “Um toque de recordação” foram acompanhadas em coro, pela plateia. Até mesmo  ao “machucar os corações”, com “Negue”, Adilson teve o público como sua segunda voz. Um show que terminou por volta das 3h, mas que poderia ter ido até o sol raiar. Pique e disposição para isso, Adilson tem. Triunfo também.

Também se apresentaram nessa noite as bandas Edição Extra e Forrozão das Antigas.

Confira abaixo a programação deste sábado (3/8), do Palco Nação Cultural:

a partir das 21h
– Rua
– Orquestra do Sucesso
– Jorge de Altinho
– Fafá de Belém

< voltar para home