Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

La Ursas foram às ruas de São Bento do Una

La Ursas de São Caetano desfilaram em São Bento do Una (Foto: Costa Neto)

La Ursas de São Caetano desfilaram em São Bento do Una (Foto: Costa Neto)

Por Julya Vasconcelos

Saindo do Casarão Alceu Valença, passando pela avenida principal e chegando ao Largo 18 de Copacabana, em frente à igreja matriz de São Bento do Una, um grupo de La Ursas fez na tarde do sábado (18/8) um pequeno Carnaval na cidade, situada a 215 km do Recife.

A manifestação, cuja origem remonta a ciganos da Europa que saíam pelas ruas com animais dançando e tocando em troca de algumas moedas, foi incorporada pela cultura pernambucana, sobretudo na cidade de São Caetano, no Agreste do estado. “No ano passado a gente fez esse encontro na cidade de São Caetano, onde cada La Ursa veio saindo das suas sedes, dos terreiros dos mestres. Esse ano a gente resolveu tirar de São Caetano, já que todo mundo ali já conhece, e levar pra uma cidade que não recebe esse tipo de manifestação”, explicou a coordenadora de Cultura Popular da Secretaria de Cultura, Alexandra Lima.

Com seus macacões peludos, máscaras de papel maché cobertas de brilho e ornamentadas com fitas coloridas, as La Ursas dançaram ao som de tambores, triângulo, reco-reco e outros instrumentos. Eduardo e Jean, ambos de 17 anos, disseram que a batida forte dá uma alegria que não conseguem explicar. “É muito bom pra se divertir”, revelou Jean.

Xoba, um dos grandes mestres de La Ursa de São Caetano, levou seus dois grupos para o encontro: A troça do Xoba e o Urso da Frinca. Também estiveram presentes o grupo La Ursa Rua do Sapo e um grupo de Perna de Pau, fruto da oficina de um projeto social de São Caetano.

“Eu brinco desde os 10 anos de idade. Também puxo Zé Pereira no Carnaval e sou mestre do Urso Samambaia, que é um urso de raiz mesmo, do finado Neguinho, que eu herdei”, contou Mestre Xoba. “Eu me sinto emocionado, porque é minha cultura”, declarou o mestre, que não tem dúvidas quanto ao seu papel de cuidador dessa cultura.

< voltar para home