Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Noite de grandes sucessos e música contemporânea em Gravatá

No último sábado, a cidade de Gravatá despediu-se de mais uma edição do Festival Pernambuco Nação Cultural. O Pátio de Eventos da cidade ficou lotado para assistir a uma programação de shows que – como já faz parte do conceito do evento – mesclou grandes nomes a artistas com trabalhos ainda no início de carreira. Foi assim que, na mesma noite, o público conferiu, pela primeira vez, o talento de Ylana Queiroga e, no final da noite, reviu os sambas clássicos de um dos maiores nomes do gênero: Jorge Aragão.

Ylana acabou de lançar seu primeiro CD, que tem sido considerado pela crítica especializada como um dos melhores lançamentos da música pop brasileira deste ano. Filha do maestro Spok, irmã do multi instrumentista Yuri Queiroga, Ylana tem uma banda que é um luxo. Aliado a esta formação instrumental que faz muita diferença, uma voz suave e um repertório que orbita entre os temas do amor, vida, beleza e outras filosofias. São composições do próprio Yuri, do povo da Nação Zumbi, de China, Isaar, Siba, Ortinho, Alceu Valença. Ylana se mostra uma intérprete que veio dar uma renovada na canção contemporânea pernambucana.

Ylana Queiroga apresentou, em Gravatá, o repertório do seu primeiro CD. Foto: Costa Neto

Ylana Queiroga apresentou, em Gravatá, o repertório do seu primeiro CD. Foto: Costa Neto

Outro projeto que sacudiu a praça e fez o povo pensar, enquanto ouvia e dançava: Projeto Intercâmbio, do DJ Big. Formado há seis anos, o show se utiliza de uma base (a do DJ Big) um coro feminino, dois rappers e uma viola. É rap com base e viola, com direito a desafios de ambos os lados. Passeia também por outros gêneros da música nordestina, como o maracatu e o afoxé.

10150581243_d6444492e5_z

DJ Big e seu Projeto Intercâmbio. Foto: Costa Neto

Sucesso de público, Del Rey surpreendeu a praça já lotada por milhares de pessoas, que ainda não conheciam a versão roqueira que a banda faz das músicas de Roberto Carlos. Show para cantar e dançar do começo ao fim. No final, a banda foi ovacionada e o pedido de bis também foi em dobro. Ninguém queria deixar a banda terminar o show. Com projeto musical autoral e também programa de TV, nos bastidores, China repetia que a Del Rey era o “empreendimento” que mais lhe dava retorno. Roberto Carlos, segundo ele, só autoriza qualquer registro do projeto a partir de 2015. Até lá, para conhecer a Del Rey, somente indo aos shows.

Banda Del Rey tocou os grandes sucessos do rei Roberto Carlos. Foto: Costa Neto

Banda Del Rey tocou os grandes sucessos do rei Roberto Carlos. Foto: Costa Neto

Jorge Aragão, com sua malemolência de sambista carioca, arrematou a alegria da plateia.  Com mais de 30 anos de carreira, o cantor e compositor embalou a praça com sambas de todas as épocas de sua carreira: da clássica Papel de pão até hits como Vou Festejar, Coisa de Pele e Coisinha do Pai.

O sambista Jorge Aragão encerrou a noite com grande sucessos. Foto: Costa Neto

O sambista Jorge Aragão encerrou a noite com grande sucessos. Foto: Costa Neto

Público lotou o Parque de Eventos Chucre Mussa Zarzar para conferir o último de shows do Palco Nação Cultural. Foto: Costa Neto

Público lotou o Parque de Eventos Chucre Mussa Zarzar para conferir o último de shows do Palco Nação Cultural. Foto: Costa Neto

 

< voltar para home