Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Noite para ouvir as rezadeiras em Lagoa de Itaenga

Dentre as muitas tradições da Mata Norte, a prática das rezadeiras segue como símbolo da forte presença de elementos do sagrado na rica cultura popular da região. Na noite de ontem, 8/4, o Festival Pernambuco Nação Cultural celebrou mais uma vez esta manifestação promovendo o III Encontro de Rezadeiras, Benzedeiras e Parteiras.

Encontro reuniu rezadeiras, benzedeiras e parteiras em Lagoa de Itaenga | Foto: Costa Neto

Encontro reuniu rezadeiras, benzedeiras e parteiras em Lagoa de Itaenga | Foto: Costa Neto

A atividade aconteceu em Lagoa de Itaenga, cidade natal de Dona Ninha, uma das ilustres convidadas. “Quem nasce com o dom da reza, não pode renegar. Tem que fazer o que puder pra socorrer quem chega na sua casa”, declarou durante sua saudação no Centro de Artesanato do município. Além dela, mais dez senhoras tiveram a oportunidade de transmitir seus conhecimentos, contar um pouco de suas vidas quase que integralmente dedicadas a curar – pela reza – dor de cabeça, “olhado, espinhela quebrada, vento caído”, entre outras aflições.

Bendito entre as mulheres, Seu Manoel Justino contou que, apenas no dia de ontem, rezou em dez pessoas: “Se o povo me procura, é porque a reza é boa mesmo”, garantiu. Depois de uma década ajudando com orações a população de Lagoa de Itaenga, Seu Manoel revelou que já pensou em desistir da prática, mas “não tem jeito, a gente sempre faz o tem que ser feito, o que Deus quer que a gente faça”.

O padre João Ribeiro também participou do encontro e manifestou apoio ao que chamou de “devoção popular” das lideranças espirituais ali presentes: “Não tenham vergonha de continuar fazendo o que vocês fazem e de expressar essa cultura que só traz o bem”, destacou o pároco do município.

Parteira formada e de tradição

Dona Anita, também de Lagoa de Itaenga, orgulha-se de ser parteira tradicional desde 1977: “graças a Deus, nunca uma mulher nem uma criança morreu na minha mão e olhe que naquele tempo não tinha nem gaze”, fez questão de ressaltar. Em 1988, Dona Anita resolveu que era hora de ser “parteira formada” e passou oito meses estudando em Carpina, o que lhe permitiu trabalhar também em maternidades da região.

Dona Anita encenou a realização de um parto tradicional no Encontro | Foto: Costa Neto

Dona Anita encenou a realização de um parto tradicional no Encontro | Foto: Costa Neto

Ao final das apresentações individuais, ela e Dona Maria Asa Branca encenaram a realização de um parto tradicional, momento em que, além dos saberes e instrumentos que utilizam, revelaram também as rezas e cantos que entoam para que tudo corra bem.

Dona Maria Asa Branca encenando a realização de um parto tradicional | Foto: Costa Neto

Dona Maria Asa Branca encenando a realização de um parto tradicional | Foto: Costa Neto

Encerrando o encontro, o Mestre Borge Lucas comandou a apresentação do grupo de São Gonçalo, do qual a maioria das rezadeiras e benzedeiras de Lagoa de Itaenga também participa.

O FPNC Mata Norte volta à cidade no próximo fim de semana. Confira a programação:

Sábado, 12/4

19h – Mostra de Mamulengo
Grupos Mamulengo Riso do Povo, de Mestre Zé Divina e Mamulengo Risada de Mestre Tonho
Local: Terreiro de Nieto

21h – Sambada de Maracatu de Baque Solto
Maracatu Cambinda Nova de Lagoa de Itaenga e Maracatu Pavão Dourado de Lagoa de Itaenga 
Local: Pátio da Capela de Nossa Senhora de Sant’Ana (Sítio Açude de Pedras)

Domingo, 13/4
15h – Encontro de Coco de Roda e Coco de Embolada
Coco de Roda Raio de Luz; Coco de Roda de Mestre Borge Lucas de Lagoa de Itaenga; Coco de Roda do Mestre Pita de Lagoa de Itaenga; Coco de Roda de Bio Caboclo de Lagoa de Itaenga; e Dupla de Emboladores Patury e Tapogi. 
Local: Centro Cultural Raio de Luz (Sítio Açude de Pedra)

 

< voltar para home