Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Ritmo e poesia na primeira noite de shows do FPNC Sertão do Pajeú

Zé Brown e Faces do Subúrbio, do Alto José do Pinho para o Sertão do Pajeú (Foto:Edmar Melo/Secult-PE)

Zé Brown e Faces do Subúrbio, do Alto José do Pinho para o Sertão do Pajeú (Foto:Edmar Melo/Secult-PE)

Do Alto José do Pinho para Alto do Sertão do Pajeú, Zé Brown e Faces do Subúrbio fizeram um show poderoso, que convocou o público de Triunfo e fez ecoar palavras e batidas por toda a cidade. A mil metros acima do nível do mar e com um frio de 14 graus, o grupo conseguiu elevar a temperatura com muita energia.

Com músicas novas e consagradas no repertório, esta é a segunda apresentação do grupo desde que voltou à ativa, no último mês de abril. E em oito anos, a primeira vez que pega a estrada. No backstage, pouco antes do show começar, Zé Brown diz que esta é um momento importante para o Faces. “Aqui é a terra de Nelson Triunfo (n.e.:  ativista social e um dos pioneiros do break no Brasil), que respeito como rapper e é meu amigo”. Sobre a volta do Faces, Brown conta que foi um movimento natural. “Durante as minhas viagens uma das perguntas mais recorrentes era: ‘e o Faces?’. Além da expectativa do público, sentimos que este é o momento para retomar o nosso som pesado,  voltar aos palcos e gravar um novo álbum”.

Brown ainda conta que pretende reativar um outro projeto, o da Orquestra de Repente, com o cantor Josildo Sá, que marcou presença no show. “Vamos apresentar o projeto à Fundarpe no ano que vem”, disse Josildo.

De Arcoverde, Helton Moura e o Cambaio abriu a programação (Foto:Edmar Melo/Secult-PE)

De Arcoverde, Helton Moura e o Cambaio abriu a programação (Foto:Edmar Melo/Secult-PE)

Antes, o grupo  Helton Moura e o Cambaio, de Arcoverde, deu início às atividades com uma bela apresentação, marcada pela poesia de influência sertaneja e referências de diferentes vertentes do rock inglês. Além da riqueza das palavras, a performance de Helton carrega forte influência cênica, o que rendeu alguns momentos surpreendentes durante o show.

Encerrando a noite, a dupla Radiola Serra Alta apresentou um set em que a música eletrônica dialoga com a cultura popular, em remixes produzidos na hora por DJs que mantém a identidade em segredo, com os rostos e corpos ocultos por máscaras e roupas do Careta e Veinha, personagens típicos do carnaval de Triunfo.

Confira as atrações do Palco Nação Cultural desta quinta (26/7)

22h – Geraldo Maia
23h – Grupo Terra
0h – Chico César

< voltar para home