Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Rock, reggae e pop em Salgueiro

Marco Polo tocou clássicos do Ave Sangria (Foto: Daniela Nader)

Marco Polo tocou clássicos do Ave Sangria (Foto: Daniela Nader)

Por Julya Vasconcelos

Nesta sexta-feira (25/5), a expressão “bandas de garagem” ampliou o seu alcance e abarcou, em uma mesma noite, pop, reggae e rock dos mais variados estilos. O palco montado ao lado da estação ferroviária de Salgueiro foi marcado pela diversidade. A noite foi para todos os gostos: do mangue beat ao grunge, do heavy metal a Legião Urbana, passando por Batuquetos, uma banda cover de Edson Gomes, que abriu a noite abusando dos metais e das coreografias no palco.

Lobo Mauz, Black Out, 12 Anjos e Irradiação Fóssil mostraram um pouco da cena underground salgueirense. Covers de Nação Zumbi, Nirvana, Red Hot Chili Peppers, Black Sabath e Iron Maiden agradaram ao publico presente, composto em sua maioria por adolescentes.

Fechando a noite, Marco Polo trouxe um ótimo show, abrindo com “Lá fora” e passando por todas as 12 músicas do álbum clássico do Ave Sangria, lançado em 1974, um marco do rock experimental brasileiro. Acompanhado de baixo, guitarra e bateria, o cantor fez uma apresentação com energia do início ao fim.

Irradiação Fóssil no Encontro de Bandas de Garagem (Foto: Daniela Nader)

Irradiação Fóssil no Encontro de Bandas de Garagem (Foto: Daniela Nader)

FPNC

Severino Pessoa, Presidente da Fundarpe, e Leo Antunes, Coordenador Geral dos Festivais, subiram ao palco enfatizando a satisfação de levar ao Sertão Central e a todas as 12 regiões de desenvolvimento do estado, o Festival Pernambuco Nação Cultural. Pessoa também ressaltou que além dos shows, os festivais atendem, por princípio, a todas as linguagens artísticas através de oficinas, apresentações, debates e palestras. “Tem sido uma festa muito bonita. Salgueiro é uma cidade que respira cultura”, diz o presidente.

Leo Antunes explicita seu desejo de que as atividades das bandas não parem, e que a noite seja uma forma de fomentar a cena local. “Nós queremos ser parceiros dessa cena musical”, afirmou o coordenador.

< voltar para home