Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Samba e MPB deram o tom na noite de quinta

Pela primeira vez em Triunfo, Chico César tocou seus principais sucessos (Foto: Ricardo Moura)

Pela primeira vez em Triunfo, Chico César tocou seus principais sucessos (Foto: Ricardo Moura)

Por André Dib

Geraldo Maia, Grupo Terra e Chico César fizeram da noite de quinta (27/7), em Triunfo, uma celebração da música brasileira, com foco na cultura nordestina. Muita gente que veio curtir o Palco Nação Cultural aplaudiu e dançou quando Chico surgiu no microfone, de figurino colorido e óculos escuros, entoando “Beradero”, emocionante declamação que foi emendada com “Mama África”. As duas músicas remontam ao início de sua carreira, assim como à sua origem geográfica - a cidade paraibana de Catolé do Rocha e, radicalizando, o continente africano.

No palco, Chico César reinou entre ritmos híbridos, com base no reggae e fortes elementos do forró, tocado com sanfona e triângulo, que sem causar espanto se combinam com o frevo, o rap e a música caipira, em versão para “Oratório”, de Milton Nascimento. Até Raul Seixas fez uma “passagem” relâmpago, em resposta ao velho e recorrente pedido de “Toca Raul”. Um pouco chateado com a brincadeira, Chico disse: “Viajei mais de seis horas para estar aqui e apresentar o meu trabalho. Toco Raul muito bem, mas somente releituras e versões pessoais”. Após os aplausos, cantou um trecho de “Trem das sete”.

Em ponto alto do show, Geraldo Maia convidou Josildo Sá para dueto (Foto: Ricardo Moura)

Em ponto alto do show, Geraldo Maia convidou Josildo Sá para dueto (Foto: Ricardo Moura)

Abrindo a programação, Geraldo Maia fez um show marcado por arte e técnica, em que as dimensões vocal e cênica de sua performance foram tão importantes quanto a de sua banda, formada por dois violonistas (Vinicius Sarmento e Rodrigo Samico) e dois percussionistas (Amendoim e Nego Grilo). Após interpretar uma série de sambas, maracatus e outros ritmos pernambucanos, Maia convidou Josildo Sá para cantar o forró “Cantiga do sapo”, grande sucesso de Jackson do Pandeiro.

Segunda atracão da noite, o Grupo Terra radicalizou no samba e no pagode. O grupo é do Recife, mas seu estilo é tradicionalmente carioca: vestidos de branco, seis músicos cantam e revezam percussão e cordas.

Confira a programação de hoje para o Palco Nação Cultural:

22h – Maestro Ademir Araújo e Orquestra Rockfônica
23h – Tulipa Ruiz
0h – Lenine

< voltar para home