Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Sertão é do punk rock hardcore

Banda Plugins, do Recife, fecha a noite do Projeto Garagem, em Arcoverde (Foto: Divulgação)

Banda Plugins, do Recife, fecha a noite do Projeto Garagem, em Arcoverde (Foto: Divulgação)

Rock alternativo abre programação do Palco Nação Cultural em Arcoverde

A cena musical pernambucana é nacionalmente conhecida pela sua diversidade. Dos ritmos regionais aos estilos mais contemporâneos, tudo cabe no vasto caldeirão sonoro do estado. É justamente essa pluralidade que poderá ser conferida a partir desta quarta (11/4), em Arcoverde, na programação do Festival Pernambuco Nação Cultural – Sertão do Moxotó 2012. Até o próximo sábado (14/4), bandas e artistas pernambucanos, ao lado de outros nomes nacionais, se apresentarão no palco montado na Praça Virgínia Guerra, região central da cidade.

Intitulada Projeto Garagem, a noite inaugural do palco principal é dedicada ao rock alternativo, movimento com forte presença na região, e suas variações, como punk rock, hardcore, trash metal, entre outras. Se apresentam no Palco Nação Cultural os grupos Fetus, Sistema de Protesto, BCR e Irmandade Punk (todos de Arcoverde), além dos grupos recifenses Plugins e B.U, projeto paralelo dos integrantes da Devotos.

O guitarrista e líder da banda Sistema de Protesto, Erick Maxuel, destacou a importância do evento para a cena local. “Estar na grade deste festival é extremamente significante para nós. É muito importante ver que a programação do evento soube respeitar a diversidade musical da região, incluindo uma noite dedicada ao rock alternativo. Vamos fazer uma apresentação que o público não vai esquecer”, comentou o líder da banda que lançará um novo EP durante o São João deste ano.

Um dos nomes mais emblemáticos do punk rock pernambucano, Canibal, da banda Devotos, traz para Arcoverde o seu projeto paralelo chamado “B.U”. Na banda, o músico deixa de lado as temáticas sociais presentes nas músicas de sua banda principal e investe em um repertório mais “sentimental”, com forte influência de grupos como The Cure, The Smiths e Legião Urbana.

Para Canibal, apesar das dificuldades ainda existentes, o momento atual da cena alternativa deve ser comemorado pelas bandas mais novas. “Conversando com outros colegas músicos sempre digo que eles têm sorte de atuarem nesta fase. Hoje temos mais incentivos para nos apresentar no interior, com uma infra-estrutura boa, som, divulgação”, afirmou. Para o músico, o Festival Pernambuco Nação Cultural tem como virtude principal proporcionar à população outras atividades além dos shows. “Isso ajuda a fomentar a resistência cultural e promover um intercâmbio entre capital e interior”.

 

< voltar para home