Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Uma noite de boas surpresas musicais

Di Melo promete muito agito com sua black music suingada (Divulgação)

Di Melo promete muito agito com sua black music suingada (Divulgação)

A terceira noite do Festival Pernambuco Nação Cultural em Arcoverde reserva, para esta sexta-feira (19/4), atrações que dialogam com os mais variados estilos.

Quem abre a noite, às 21h, é a prata da casa: a Nume. Gestada em Arcoverde – onde fez sua estreia, no ano passado – a Nume é um projeto do percussionista Emerson Calado (ex-Cordel do Fogo Encantado). Desta vez, a apresentação traz um gosto de novidade, após a reformulação do grupo, que conta agora com Nego Henrique, também na percussão, e Silvério Pessoa nos vocais, além de músicos assumindo guitarras, violões, bateria, sanfona e teclado. Uma reformulação estética e artística, que apresenta elementos do Sertão e dos terreiros, mas com uma vestimenta urbana e “universal”, presentes no EP que o grupo se prepara para lançar.

Na sequência, o instrumentista, letrista, arranjador e produtor Juliano Holanda apresenta o show de pré-lançamento do seu primeiro álbum solo, “A arte de ser invisível”. Holanda conta com um currículo que inclui participações em mais de 50 discos e mais de 100 composições gravadas ao longo de 22 anos de trajetória. Agora, ele assume a linha de frente e dá cria a um mosaico de inúmeras referências, onde timbres e texturas se misturam, num trabalho poético-musical.

Terceira atração da noite, a banda Mombojó celebra o seu “11º aniversário”, recente disco comemorativo à passagem do tempo de uma banda que começou muito jovem, e que ainda traz em sua música a personalidade pueril e inquieta dos primeiros álbuns,  revisitados em novos arranjos neste último trabalho.

Encerrando a noite com muito suingue, o soulman pernambucano Di Melo leva a Arcoverde a sua black music regada com um molho tipicamente nordestino (mais exatamente pernambucano). Redescoberto pelas novas gerações, ele voltou à cena musical com toda a força e malemolência que lhe é peculiar, agradando em cheio ao público mais jovem. Neste show, acompanhado da banda Madeira Delay e de integrantes da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, ele mostrará canções do seu aclamado álbum solo de 1975, além de músicas inéditas.

Coreto e cultura popular
A programação do Polo Coreto, na Praça da Bandeira, centro de Arcoverde, chega ao seu segundo dia. Nesta sexta (19/4), às 17h, abre com o espetáculo circense Ismo, da Trupe Etnia, que traz os palhaços Mambança e Kakaroska, num divertido duelo de estripulias e interação com o público. Em seguida, Jaraguá e Mulungu vem com música tradicional, cantigas e poesia do Sertão nordestino. Também se apresentam a banda Roda 4 e o cantor Leno Simpatia, que vai colocar o público pra sambar. Fechando a programação do dia, o sanfoneiro de oito baixos Nego de Adélia.

Já no palco da Cultura Popular, no Bairro de São Miguel, quem comanda a festa nesta sexta é o coco. Vários representantes de um dos mais genuínos ritmos do Sertão do Moxotó promoverão um verdadeiro encontro em que as tamancas não se cansarão de bater. Samba de Coco Cancão Pio, Coco Tebei, Coco da Malhada e Coco das Irmãs Lopes se apresentam no local.

A programação do FPNC é aberta ao público. O Palco Nação Cultural está montado na Praça Virgínia Guerra, Centro de Arcoverde. Os shows começam sempre às 21h.

Programação do Palco Nação Cultural até este sábado (20/4):

Sexta-feira, 19/4
- Nume
- Juliano Holanda
- Mombojó
- Di Melo

Sábado, 20/4
- Vertin Moura
- Radiola Serra Alta
- Os Sertões
- Otto

 

< voltar para home