Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Veia autoral do som nordestino atual encerra FPNC Sertão do Moxotó

Otto leva repertório do disco "The moon 1111" (Foto: Caroline Bittencourt)

Otto leva repertório do disco “The moon 1111″ (Foto: Caroline Bittencourt)

Por Leonardo Vila Nova

Com uma programação repleta de shows de artistas dos mais variados estilos, chega ao fim a etapa Moxotó do circuito do FPNC 2013. O Palco Nação Cultural, montado no Centro de Arcoverde, recebe música nordestina contemporânea e autoral na noite deste sábado (20/4), preparando-se para seguir adiante (a próxima parada é Caruaru, em maio).

Quem abre a noite sertaneja, às 21h, é o cantor e compositor Vertin Moura, natural de Juazeiro (BA). Ele faz uma música em que filosofia, sensibilidade e poesia dão o tom das composições, com forte influência do teatro, através do qual iniciou sua trajetória artística. A segunda atração do palco vem da cidade de Triunfo (PE). A dupla Radiola Serra Alta chama atenção à primeira vista, com seus integrantes trajados de O Careta e A Veinha, personagens típicos do Alto Sertão do Pajeú. Após o primeiro impacto, visual, vem o impacto sonoro. Uma mistura arrojada, híbrido das tradições populares, como o coco de roda e a embolada, diluídos nas batidas eletrônicas do drum’n’bass e do house.

Uma das atrações mais aguardadas do FPNC, a banda Os Sertões é liderada pelo violonista e compositor Clayton Barros (ex-Cordel do Fogo Encantado). Não é a primeira vez que eles tocam na cidade (já haviam passado por Arcoverde em 2011), mas agora com o seu primeiro álbum, “A idade dos metais”, em mãos. Sem contar com o DNA arcoverdense nas veias de Clayton, à frente da banda. Show que promete impressionar, por trazer ao palco um grupo de formato enxuto, mas de som potente, vigoroso, que congrega os ecos sertanejos à concepção de um som urbano.

O encerramento do Palco Nação Cultural caberá a ninguém menos que o cantor e compositor Otto. Sempre impressionando com seus trabalhos recheados de novas e surpreendentes referências, ele apresenta na cidade o seu mais recente álbum, “The moon 1111”. Dessa vez, o cinema de Truffaut, o rock do Pink Floyd e o afrobeat de Fela Kuti são as fontes de inspiração sob a batuta e o comando da mente inquieta de Otto. “Um disco futurista, espacial”, como ele mesmo define. No show, Otto fará o repertório baseado neste disco, além de tocar músicas dos trabalhos anteriores.

Todas as atrações do Festival Pernambuco Nação Cultural são abertas ao público.

Coreto e cultura popular

Em seu último dia de programação, neste sábado (20/4), o Polo Coreto, na Praça da Bandeira, faz um passeio por várias linguagens musicais e cênicas nordestinas, e também vai adiante, rumo além mar. Diretamente da cidade de Évora, Portugal, o pianista Mário Moita é uma das atrações do dia, e mostra a tradição do fado lusitano, com o qual vem percorrendo diversos países. Também se apresentam o grupo cearense Dona Zefinha, que mistura música com uma forte carga cênica, e o músico Tonino Arcoverde, com o show “Depois da chuva”, em que musicou poemas de Cancão. Quem abre a programação, às 17h, é a Caravana Tapioca, com o espetáculo circense Brincando no Picadeiro.

Já no Bairro de São Miguel, o Palco da Cultura Popular tem mais um dia sob o comando do coco. Quem for ao local, vai dançar ao som do Coco de Roda do Mestre Bio Caboclo, Adiel Luna e O Coco Camará e Quebra Coco Aliança, além do Samba Veio da Ilha do Massangano, um dos mais tradicionais representantes da cultura popular de Petrolina.

Serviço:
Palco Nação Cultural (FPNC Moxotó) – Praça Virgínia Guerra, Centro, Arcoverde.
Shows de sábado, 20/4, a partir das 21h:

- Vertin Moura
- Radiola Serra Alta
- Os Sertões
- Otto

< voltar para home