Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival pernambuco nação cultural

Vinicius Sarmento empunha seu violão no Polytheama

O jovem música se apresenta no Cineteatro Polytheama, às 21h30. Antes, às 20h, sobe ao palco o Duo Rafael Marques e Júlio César

Aos 22 anos, Vinicius Sarmento impressiona pelo virtuosismo | Foto: divulgação

Aos 22 anos, Vinicius Sarmento impressiona pelo virtuosismo | Foto: divulgação

Filho de Nuca, sobrinho de Bozó, afilhado de Raphael Rabello. Não tinha como Vinicius Sarmento não enveredar pelo caminho da música. Desde muito pequeno rodeado por instrumentistas, naturalmente, ele foi se interessando pelo ofício. Aos 14 anos, comprou seu primeiro violão de 7 cordas, aos pouquinhos, foi ganhando cada vez mais intimidade com o universo musical e daí não parou mais. O chorinho foi sua primeira escola. Hoje, aos 22 anos, ele exibe uma desenvoltura ao instrumento digna dos grandes virtuosos, que impressiona quem vê. E o público de Goiana terá a oportunidade de conferir, hoje, a arte desse jovem músico, às 21h30, no Cineteatro Polytheama. O show faz parte da programação do Festival Pernambuco Nação Cultural Mata Norte 2014.

Tendo o choro como sua porta de entrada para a música, Vinicius foi além, procurando imprimir sua marca ao jeito de tocar violão, com uma linguagem bem particular. Foi essa “pegada” que lhe rendeu convites para participar de shows com diversos músicos, já tendo dividido o palco com artistas como Dominguinhos, Yamandu Costa, Henrique Annes, Tibério Azul, Sebastião Tapajós, Lula Queiroga, China e Luiza Possi, entre outros. Além disso, ele também integra os grupos Seu Chico e Pouca Chinfra. Mas hoje, ele se apresenta solo. Apenas Vinicius e o violão.

O músico nunca havia subido ao palco em Goiana. “Conheço a cidade, a história, já fui algumas vezes.Espero encontrar um público carinhoso e atencioso, como geralmente é o pernambucano”, conta Vinicius. Se depender do repertório, Vinicius já ganhou a plateia. Ele vai mesclar um repertório que vai de autores pernambucanos – com composições de Lalão, Bozó, Maestro Duda e  Nuca – a grandes nomes da música brasileira, como Chico Buarque e Edu Lobo (em versão instrumental), Tom Jobim, Radamés Gnatalli, entre outros.

Antes de Vinicius, quem se apresenta é o Duo Rafael Marques e Júlio César, às 20h. Num dueto entre bandolim e acordeão, a dupla mostrará um repertório instrumental que prima pela sofisticação, mas que dialoga com a música popular. Serão frevos, baiões, maracatus e outros gêneros, em composições de autores como Nelson Ferreira, Milton Rangel e Luiz Gonzaga.

Confira AQUI a programação completa do FPNC Mata Norte 2014.

 

< voltar para home