Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Exposição de fotografias Patrimônio Vivo chega a Igarassu

Mostra integra a programação pelos 480 anos da cidade. Ação é uma parceria da Fundarpe com a Prefeitura de Igarassu e Iphan

Divulgação

A exposição fotográfica Pernambuco Vivo, com 39 quadros de fotografias dos Patrimônios Vivos de Pernambuco, irá ocupar o Sobrado do Imperador, que é a Casa do Patrimônio do Iphan, em Igarassu. A exposição, que ficará em cartaz de hoje (13) até o dia 31 de março, integra a programação de atividades pelos 480 anos de Igarassu. Integrantes do Maracatu Estrela Brilhante de Igarassu estarão presentes hoje, na abertura. No dia 17, a programação abre espaço para uma Roda de Diálogo sobre o tema “Patrimônio Imaterial”. No dia 27 haverá uma visita guiada pela exposição, com estudantes de uma escola pública de Igarassu, mediada por Mário Gouveia, da equipe de Educação Patrimonial da Fundarpe.

A mostra é resultado de uma série de reportagens publicadas pelo Jornal do Commercio, em outubro de 2013. As fotografias retratam imagens do cotidiano e da vida de relevantes personagens da Cultura Pernambucana, agraciados com o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco. As fotografias são de renomados fotógrafos do Estado, tais como Heudes Regis, Ricardo Labastier e Priscila Buhr, da agência JC Imagem.

Divulgação

Em 2014 o acervo foi doado pelo Jornal do Commercio ao Governo do Estado e está sob os cuidados da Diretoria de Preservação, da Secretaria de Cultura. O objetivo é que as fotos circulem pelo estado, divulgando as imagens e consequentemente a própria história de vida de cada mestre ou mestra da nossa Cultura. A exposição já foi montada no Festival de Inverno de Garanhuns de 2014. Também esteve, ano passado, no Museu do Barro (Mubac), em Caruaru, e na Torre Malakoff, no Bairro do Recife, durante a Semana do Patrimônio.

A seleção do Patrimônio Vivo é anual (com a escolha de três novos patrimônios a cada edição). O objetivo é reconhecer e apoiar mestres e grupos que detenham conhecimentos e técnicas necessárias para a produção e a preservação de aspectos da cultura tradicional ou popular. Cada “patrimônio vivo” recebe do Governo do Estado uma bolsa mensal vitalícia e passa por diversos programas de ensino-aprendizagem, como oficinas, palestras e cursos com o propósito de transmitir seus saberes, processos fundamentais para a produção, manutenção e recriação de nossas manifestações culturais.

< voltar para home