Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Homenagens e frevo no pé marcam abertura oficial da VIII Semana do Patrimônio

Patrimônio de todos nós, de toda a humanidade, o frevo, ritmo genuinamente pernambucano, foi quem deu o tom da abertura oficial da VIII Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco, nesta segunda (17). No palco do imponente Teatro de Santa Isabel, um dos palácios da nossa cultura, três maestros – e patrimônios vivos do estado – mostraram o porquê desta celebração: Duda, Ademir Araújo (Formiga) e Nunes reafirmaram, através da música, porque temos, sim, uma das mais preciosas e originais manifestações culturais brasileiras e mundiais.

Costa Neto/Secult-PE

Costa Neto/Secult-PE

Público acompanhou a apresentação da Orquestra do maestro Nunes sob as regências de Ademir e Duda

Para reverenciar o frevo e prestigiar o evento, vários dos 36 patrimônios vivos de Pernambuco acompanharam a abertura. Maestro Nunes era um deles. Junto à sua família, ele assistiu a homenagem que os colegas Duda e Ademir lhe prestaram, ao reger sua orquestra. A filha de Nunes, Mércia, estava lá e, emocionada, não escondeu a alegria que foi esse momento para ela e sua família. “Foi muito gratificante, muito emocionante, ver as músicas de ‘painho’ tocadas por dois grandes maestros como Duda e Ademir. Eu tenho muito orgulho da pessoa que ‘painho’ foi e que ele é. Eu compreendo que, muitas vezes, ele não estava com a gente por amor ao frevo. E esse amor dele pelo frevo foi um dos responsáveis por termos hoje um dos mais belos carnavais de rua do mundo. As músicas dele tem uma carga de emoção grande, e é muito bom ouvir a sua música, dançar, pular e sentir essa energia. Hoje está sendo muito feliz pra todos nós”, declarou Mércia.

Costa neto/Secult-PE

Costa neto/Secult-PE

Orquestra do maestro Nunes adentrando o Santa Isabel

E eis que a Orquestra de Nunes adentra o teatro, fazendo ferver os pés, o corpo, a alma e o coração dos presentes. Sob a batuta de Duda, executaram É de perder os sapatos, frevo que ganhou arranjo de Duda no terceiro volume da coletânea Frevos de Rua (1999). “Conheço Nunes há mais de 50 anos e ele começou fazendo aqueles frevos mais fáceis, para os músicos pegarem mais rapidamente. Isso fez com que a gente tivesse hoje diversos frevos de rua famosos criados por ele”, conta Duda. A importância de Nunes também foi endossada pelo colega Ademir Araújo, o Maestro Formiga. “Pra mim, hoje é um momento histórico! Abrindo a Semana de Patrimônio com o frevo, ao lado do meu mestre dos mestres, que é Duda, e com a orquestra de Nunes, que é o homem que, com sua obra, sustentou o carnaval de rua de Pernambuco, o nosso patrimônio cultural está representado com toda a sua importância”, pontuou Ademir, que regeu a orquestra na execução de Cabelo de Fogo, frevo de rua clássico em todo o estado.

Costa Neto/Secult-PE

Costa Neto/Secult-PE

Maestro Formiga cumprimenta Nunes, um dos homenageados da cerimônia

Prêmio
A cerimônia de abertura da VIII Semana do Patrimônio também foi marcada pelo lançamento oficial do Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho. Compareceram à cerimônia o secretário estadual de Cultura, Marcelino Granja; a presidente da Fundarpe, Márcia Souto; e o governador de Pernambuco, Paulo Câmara. Também compuseram a mesa a secretária de Cultura do Recife, Lêda Alves; o prefeito de Igarassu, Mário Ricardo; o arquiteto, urbanista e imortal da APL, José Luiz da Mota Menezes; e, representando o Ministério da Cultura, o diretor do Departamento do Patrimônio Imaterial do Iphan, TT Catalão.

Costa Neto/Secult-PE

Costa Neto/Secult-PE

Governador assinou decreto instituindo o Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho

Através do prêmio, serão reconhecidas anualmente ações voltadas à preservação, sobretudo, da memória cultural do estado de Pernambuco, com ênfase na preservação dos patrimônios culturais tangíveis e intangíveis. O nome da honraria é uma referência ao engenheiro, professor, intelectual e gestor público, Ayrton de Almeida Carvalho, que, entre outras importantes iniciativas, foi fundamental para a implantação da Superintendência do Iphan em Pernambuco, e foi responsável pelo primeiro restauro do Teatro de Santa Isabel. “É uma alegria extraordinária pra gente! Papai foi um grande homem para o estado e, sem dúvida alguma, com esse prêmio, o seu nome está imortalizado”, disse José Antônio, filho de Ayrton.

O governador Paulo Câmara assinou o decreto que institui a premiação e falou sobre a importância de termos nossos bens culturais preservados para o fortalecimento das demais áreas que tangem ao desenvolvimento da sociedade. “Tudo isso se fortalece cada vez, se mantivermos nossa história, nossa tradição e nossas raízes. Preservar o patrimônio público, artístico e cultural, incentivar os nossos artistas. Isso tem que estar presente na nossa agenda do dia a dia”, observou Paulo Câmara, ao dizer que o Prêmio também tem papel fundamental para a preservação desse patrimônio. “Estamos implantando hoje um prêmio, uma singela homenagem ao professor Ayrton, que é claramente em favor da nossa cultura, do nosso patrimônio, em favor das futuras gerações”, concluiu.

Sob o tema “Práticas sustentáveis e territórios de sociabilidades”, a VIII Semana do Patrimônio pretende, através das várias ações – em especial as mesas e palestras – pensar e debater a importância da preservação do nosso patrimônio cultural em consonância com os debates que pautam, hoje em dia, a sociedade contemporânea brasileira, como a melhor utilização dos espaços de convivência e sociabilização nas cidades. Para a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, “a parceria com sete municípios do estado que estão realizando ações é importante para garantirmos que esse debate chegue a ainda mais pessoas, que seja incorporado ao cotidiano das cidades, que esteja na escola, nas ruas e que possamos desenvolver ações integradas e permanentes de valorização do nosso patrimônio”.

O secretário estadual de Cultura, Marcelino Granja, destacou que a política estadual para o setor “vai ampliar o diálogo com as políticas públicas de urbanização das cidades, se integrar a elas, com a educação, o turismo, a segurança. Também vai buscar a ‘sociabilidade avançada’, pensar territórios de criatividade nas cidades, para que nosso povo possa respirar verdadeiramente a cultura“. Ainda de acordo com Marcelino, “o que está em curso é uma política de preservação do patrimônio que busca o surgimento de ambientes democráticos, de respeito ao diferente, de tolerância, de convivência entre todos. Com isso, a gente vai permitir a preservação do passado, sempre olhando para o futuro”, destacou.

Ayrton de Almeida Carvalho – O novo prêmio que irá incentivar as práticas que resultam em preservação de bens materiais e imateriais homenageia em seu título o engenheiro, professor, intelectual e gestor público, Ayrton de Almeida Carvalho. É um reconhecimento à importante contribuição do seu trabalho na implantação da Superintendência do Iphan em Pernambuco e na atuação como professor na Universidade Federal de Pernambuco, formando profissionais que seguem com o legado de desenvolver práticas de preservação dos bens culturais materiais no estado.

Confira a programação completa da Semana e participe!

< voltar para home