Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Importância da museologia pauta encontro na Estação Central Capiba

Dentro da Semana do Patrimônio, atividade aconteceu nesta terça (15) e tratou de temas como reserva técnica, higienização e curadoria do acervo

Marcus Iglesias/Secult-PE

Marcus Iglesias/Secult-PE

Na ocasião, os participantes puderam conhecer mais sobre os materiais utilizados no processo de higienização de um museu

A Estação Central Capiba foi palco nesta terça-feira (15) de um importante encontro sobre o papel da museologia na sociedade e as práticas que envolvem este trabalho. Como parte da 10ª Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco, o equipamento cultural localizado que também abriga o Museu do Trem recebeu o workshop Conservação, preservação e curadoria: nuances da educação patrimonial em acervos museológicos, ministrado por Adonias Ferreira, coordenador do acervo da Estação Central Capiba, e Camila Maria Santos, que integra a equipe do educativo do equipamento cultural.

“Esse encontro teve o intuito de mostrar a importância da preservação e o trabalho que há por trás dentro de um museu, bem como algumas atividades que fazem parte deste meio, como o processo de curadoria, da reserva técnica e construção das exposições”, disse André Cardoso, que atua no setor educativo da Estação Central Capiba.

Marcus Iglesias/Secult-PE

Grupo que participou do workshop da Semana do Patrimônio conheceu de perto peças do acervo da Estação Central Capiba que estão guardadas

Participaram da atividade interessados em conhecer mais sobre esses processos, além de jovens que participam do Projeto Ilhas, que integra a Fundação Ana Lima (FAL), cuja finalidade é promover às crianças de baixa renda reais condições de desenvolvimento profissional, artístico, e ético. “A gente já recebeu este grupo uma vez pra uma visita no museu e todos ficaram bastante encantados com o acervo. Então decidimos convida-los para esta vivência e para que eles pudessem compreender melhor sobre o universo da museologia”, completou André Cardoso.

Marcus Iglesias/Secult-PE

Encontro tratou de temas que envolvem a museologia, como o processo de curadoria, da reserva técnica e construção das exposições

Outros temas, como a diferenciação do que é patrimônio privado e público, bem como os processos de conservação, preservação e higienização dos acervos, também estavam na pauta. “Quando a gente fala que a higienização é mais complexa pra ser pensada é porque determinados objetos precisam de um cuidado particular. Os trens que estão lá fora são um exemplo. Seria mais fácil pegar uma mangueira e sabão e lavar tudo, a impressão que dá é que ele ia ficar brilhando. Mas esse equipamento tem no mínimo 60 anos. Eu precisaria nesse caso escolher a forma certa de limpar pra evitar que ele se desgaste com mais rapidez”, detalhou Camila Maria Santos.

Marcus Iglesias/Secult-PE

De acordo com Adonias Ferreira, o tombamento de peças e a museologia dos objetos existe para fortalecer a memória de uma sociedade

Adonias Ferreira explicou a importância da museologia e do tombamento de objetos para que a sociedade possa conhecer mais sobre sua história. “Estão vendo este telefone antigo? É um objeto totalmente diferente e se eu não mostrasse aqui vocês nunca teriam a verdadeira noção do que ele seria. Pra isso que existe o tombamento de peças e a museologia dos objetos. Hoje, esse telefone tem uma nova função, um novo fim de comunicação, que é visual e de memória”.

Na ocasião, os participantes puderam conhecer mais sobre os materiais utilizados no processo de higienização, como jaleco, touca, luvas, máscara e os produtos químicos específicos para este tipo de limpeza, além de ver de perto peças do acervo da Estação Central Capiba que estão guardadas. A programação da 10ª Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco segue até a próxima sexta-feira (18, e a aqui no Portal Cultura.PE é possível encontrar todas as atividades do evento.

< voltar para home