Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Projeto de salvaguarda do Leão Coroado será apresentado no CCC Recife

Na próxima terça-feira (3/4), no Centro Cultural Correios, a partir das 15h, serão apresentados os produtos realizados para salvaguardar a memória deste grupo que é Patrimônio Vivo de Pernambuco

Divulgação

Em 2006, o Maracaru Leão Coroado foi reconhecido oficialmente pelo Governo de Pernambuco como Patrimônio Vivo do estado

O Centro Cultural os Correios será palco na próxima terça-feira (3/4), a partir das 15h, a culminância do projeto Salvaguarda do Maracatu Nação Leão Coroado, 150 anos de tradição, cultura e religião. Na ocasião, que é aberta ao público, será oferecida uma programação com mesa de diálogo, exibição do filme documentário A Coroa do Leão, dirigido por Mateus Sá e Diego Di Niglio, e o lançamento de um livro comemorativo sobre o Maracatu realizado por vários pesquisadores acadêmicos.

Durante o evento, serão distribuídos gratuitamente o livro, o DVD com o documentário e um CD com as 16 toadas tradicionais do Patrimônio Vivo de Pernambuco. O projeto contou com incentivo do Governo de Pernambuco, através do Funcultura, e a parceria de Comissão Pernambucana de Folclore, Fundação Joaquim Nabuco – FUNDAJ, Museu da Abolição – MAB, e Confraria de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos.

Em seus quase dois séculos história, cada loa, cada tambor, cada indumentária e cada calunga do Leão Coroado simbolizam a força, a resistência, a cultura, a religiosidade, a tradição, a identidade e a ancestralidade do povo africano e afro-brasileiro.

Priscilla Buhr/Divulgação

 Priscilla Buhr/Divulgação

Em seus quase dois séculos história, cada loa, cada tambor, cada indumentária e cada calunga do Leão Coroado simbolizam a força, a resistência, a cultura, a religiosidade, a tradição, a identidade e a ancestralidade do povo africano e afro-brasileiro

“Mas durante todo esse período, devido à própria natureza da pedagogia da oralidade, por meio da qual é feita a transmissão de saberes e fazeres do povo africano, quase nada foi documentado sobre o Maracatu Nação Leão Coroado”, explica Lia Miceli, proponente do projeto. Segundo ela, ensaios, apresentações, Carnavais, oficinas, palestras e rituais ficaram guardados apenas na memória de quem vivenciou esses momentos e de poucas pessoas que ousaram fazer alguns registros, a maioria dispersos.

Foi assim que surgiu o projeto de salvaguarda do próprio Leão Coroado, partindo do pressuposto de que o registro e a salvaguarda de bens imateriais são basilares para proteger, conservar e preservar a memória, bem como assegurar a permanência e a continuidade dessas culturas e tradições.

“Em parceria com o Instituto de Cooperação Econômica Internacional (ICEI Brasil) e com o apoio de uma equipe de pesquisadores e profissionais das ciências humanas e sociais, das artes e da comunicação, os envolvidos realizaram um conjunto de ações de identificação, pesquisa, sistematização e catalogação do acervo do grupo”, conta Lá Miceli.

O resultado foi a produção de materiais de registro e divulgação; um livro contando a história do grupo; um CD com 16 toadas tradicionais; um documentário audiovisual; um site; além das oficinas de transmissão dos saberes e formação de aprendizes, com o envolvimento direto da comunidade cultural que integra o Leão.

Sobre o Leão Coroado - É um dos grupos conhecidos como maracatu de baque virado, típicos do carnaval do Recife e sua região metropolitana, que são considerados como a manifestação lúdica mais aproximada das raízes africanas no folclore brasileiro. São também conhecidos como maracatus de nação africana.

Em 2006 foi reconhecido oficialmente pelo governo do Estado de Pernambuco como Patrimônio Vivo e é também considerado Símbolo de Resistência Negra. Por ser um folguedo de escravos, que eram analfabetos, não há registros documentais.

Um dos poucos grupos que mantêm vivas a tradição e a religiosidade deste tipo de maracatu no estado de Pernambuco, o Nação Leão Coroado considera como data oficial de sua criação o dia 8 de dezembro de 1863 completando, no final de 2017, 153 anos de história ininterrupta, sendo então o mais antigo maracatu em evidência.

Serviço:
Salvaguarda do Maracatu Nação Leão Coroado, 150 anos de tradição, cultura e religião
Terça-feira (3/04) | 15h
Centro Cultural Correios Recife (Av. Marquês de Olinda, 262 – Recife, PE)
Gratuito
Mais informações: (81) 9 8822.1263 | leaocoroado@hotmail.com

Confira a programação:

15h – Abertura dos trabalhos

15h30 – Palestra e mesa de diálogo
Os Palestrantes: Paola Verri de Santana, pesquisadora da UFAM, Mestre Afonso Gomes de Aguiar, presidente do Maracatu Leão Coroado, Cecília Canuto, pesquisadora, e representante da Confraria de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de Olinda, e Julia Cunha do Setor de Patrimônio Imaterial do Iphan, Pernambuco. Moderador da mesa Diego Di Niglio presidente do Icei Brasil.

17h – Exibição do documentário “A Coroa do Leão” de Mateus Sá e Diego Di Niglio, duração 40 min. Classificação indicativa: Todo tipo de público.

18h – Apresentação dos produtos realizados no marco do projeto de salvaguarda. Aberto ao público
18h – Apresentação a cargo do Mestre Afonso, Isabelle Câmara curadora editorial do livro, Climério de Oliveira diretor musical do CD, e Mateus Sá codiretor do documentário “A Coroa do Leão” e Lia Miceli López Lecube, do ICEI Brasil. Contando com a presença de representantes das autoridades (Secretaria de Cultura do Governo de PE, FUNDARPE, IPHAN, Prefeituras de Olinda e Recife, FUNDAJ, MAB).

19h – Entrega gratuita dos produtos (livro, CD, DVD) e degustação de gastronomia de terreiro.

< voltar para home